riquezas_no_ceu (Shutterstock)
Espiritualidade

A riqueza que Jesus nos promete

Padre José Raimundo Vidigal, C.Ss.R. (Arquivo pessoal)

Escrito por Pe. José Raimundo Vidigal, C.Ss.R.

25 OUT 2021 - 10H35 (Atualizada em 25 OUT 2021 - 10H47)

Hoje gostaria de continuar nossa conversa do mês passado, que terminou assim: “Amigos, a riqueza que Jesus nos promete é outra, não é o dinheiro”. A gente comentava certas pregações que prometem aos fiéis crescimento financeiro, sucesso nos negócios e prosperidade material, em troca de ofertas sempre maiores para a igreja.

A mensagem católica é bem diferente; é baseada em palavras tiradas dos próprios Evangelhos, as palavras de Jesus. Quando Ele enviou os doze apóstolos para anunciar o Reino de Deus, disse que não levassem nem cajado, nem bolsa, nem pão, nem dinheiro; pois estavam levando uma riqueza muito maior, que era o Evangelho da salvação. Eles ganharam o poder de fazer curas, de expulsar demônios e de anunciar o mundo renovado pela lei do amor fraterno.

Tem muita razão o nosso povo simples, quando diz: “Sou pobre, mas rico da graça de Deus”. De fato, todo cristão batizado pode se considerar como um daqueles coríntios, aos quais São Paulo escreveu que “em Cristo foram cumulados de todas as riquezas, as da palavra e as do conhecimento” (1Cor 1,5).

A história da nossa salvação, que nos enriqueceu de toda graça, começa antes da criação do mundo, quando Deus nos predestinou, nos abençoou com toda sorte de bênçãos e nos escolheu para sermos seus filhos adotivos e participantes da natureza divina, da plenitude da vida nova em Cristo.

Leia MaisDeus quer nos fazer ricos?Deus Pai ama tanto a cada um de nós, que nos deu seu Filho único para realizar a redenção, a remissão dos pecados pelo sacrifício de sua vida. Ele veio para que todos tenham uma vida plena, que vale a pena viver.

Sob o símbolo da água que mata a sede, Ele nos prometeu o Espírito Santo, que habita em cada um de nós. Sob os sinais do pão, Ele nos alimenta com sua própria carne na Eucaristia.

Antes de morrer por nosso amor, deu-nos a sua paz, a paz que excede todo entendimento e deixou-nos o seu mandamento da caridade, para o mundo ser feliz. Ele é a nossa paz, pois veio realizar a união, a concórdia. No Calvário, deu-nos sua Mãe, Maria, para ser nossa Mãe, e antes de subir ao céu, prometeu que estaria sempre conosco até o fim do mundo.

Há um cântico da Semana Santa que diz: “Que mais podia Eu ter feito, que mais podia Eu te dar?” Dando-nos seu Filho Jesus, Deus Pai não nos deu muito mais do que o mundo inteiro? Agradeçamos a Deus tanta riqueza que possuímos! Obrigado, Senhor!

Escrito por
Padre José Raimundo Vidigal, C.Ss.R. (Arquivo pessoal)
Pe. José Raimundo Vidigal, C.Ss.R.

Missionário Redentorista, diplomado em Teologia e em Ciências Bíblicas por Universidades de Roma e de Jerusalém. É o tradutor da Bíblia de Aparecida.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.