Espiritualidade

Pai, o condutor da fé na vida de seus filhos

O amor de Deus como guia para a paternidade

Escrito por Isabela Araujo

13 AGO 2022 - 19H52 (Atualizada em 15 AGO 2022 - 12H11)

Thiago Leon

Leia MaisSer pai como Deus nos ensina: o exemplo de JóSer pai como Deus nos ensina: o exemplo de São JoséSer pai como Deus nos ensina: o exemplo do profeta AbraãoOs filhos são herança do Senhor, uma recompensa que ele dá. Como flechas nas mãos do guerreiro são os filhos nascidos na juventude. Como é feliz o homem que tem a sua aljava cheia deles! Não será humilhado quando enfrentar seus inimigos no tribunal” (Salmo 127).

O pai deve ser referência, ponto de conforto e amor, pessoa de confiança e fé, para guiar seus filhos pelo caminho do Senhor. Do outro lado, os filhos são combustíveis para o pai: de luta, perseverança, aprendizado e cuidado.

Dom Orlando, Arcebispo de Aparecida, deixa um grande ensinamento em mensagem gravada para o Dia dos Pais. 

Que maravilha ser pai, nós precisamos de vocês, do seu colo, precisamos do seus joelhos, um pai rezando marca a vida de um filho, precisamos da sua presença. Pai, você é um líder, você é um mestre, você é segurança! (...) Que maravilha então nós reconhecermos o seu amor de pai, que faz com que todos nós olhemos para Deus Pai e enxergamos Deus Pai no seu rosto.” - Dom Orlando.

Que enxerguemos Deus Pai no seu rosto. Essa mensagem nos remete exatamente a tentar ser a semelhança de Deus, em atitudes, ações, dizeres e sentimentos. Ser pai é uma vocação que demanda coragem, força e muita temência ao Senhor.

São os seus ensinamentos que reverberarão na vida de seu filho e lhe ajudarão a ser uma pessoa de fé, uma pessoa verdadeiramente boa. Por isso, tenha Deus como seu guia nessa Missão, afinal, quem melhor que Ele para ensinar sobre ser pai? Ele que ama sob todas as coisas, que acolhe sem julgamento, que ensina com maestria, mas nunca desampara!

Para Taissa Figueira, seu pai, Marco Antônio, é uma inspiração em sua vida, uma fonte de aprendizado e de caridade.

Meu pai é uma pessoa muito boa, é uma pessoa muito caridosa, (...) ele me ensinou muitos princípios de caridade, que com certeza quando eu comecei na caminhada, foram esses princípios que eu comecei a buscar para minha vida e eu tinha um exemplo em casa”, conta Taissa sobre a referência de seu pai em sua vida, principalmente quando iniciou sua caminhada junto de Deus.

Arquivo pessoal/ Taissa Figueira
Arquivo pessoal/ Taissa Figueira
Taissa junto de seu pai Marco Antônio

Taissa conta que quando era criança, seu pai não era católico praticante, mas isso nunca impediu que ele fosse luz e exemplo do Senhor em sua vida. Para ela, Deus é o centro de sua vida e seu pai vivenciou esse amor e essa trajetória junto dela.

“Tem uma frase que diz que a gente nunca pode deixar de lado nosso ponto de partida, então minha referência, o meu centro, sempre vai ser Deus e o meu pai ele vivenciou isso comigo de uma forma muito leve. Eu comecei a participar da catequese, eu fui crismada, eu fiz a primeira comunhão, e meu pai sempre participou de tudo isso comigo, conta Taissa.

Ela também explica que a partir do momento em que ela abriu seu coração para Deus, as coisas em sua casa mudaram e hoje todos vivem o amor do Senhor em família.

“Nós vamos à missa juntos durante a semana, aos domingos, a gente reza aqui em casa juntos. Deus é o meu tudo e a partir dessa abertura do meu coração as coisas foram acontecendo aqui em casa e hoje a gente vive junto com Ele, aqui, em família”, explica a cristã.

Papa Francisco, ao falar sobre a paternidade, divide a necessidade do pai estar presente em sua casa, sua família e na vida de seus filhos.

"O pai deve estar presente na família, que seja próximo da mulher, para compartilhar tudo, alegrias e tristezas, fadigas e esperanças. E deve estar próximo dos filhos em seu crescimento: quando brincam e quando se empenham, quando ousam ou hesitam, quando erram e voltam atrás. Pai presente, sempre! Presente não significa controlador, pois pode anular o filho”, compartilha o Pontífice.

Taissa, aproveita para deixar um agradecimento a seu pai e que vai de encontro exatamente com a fala do Papa Francisco: a presença na família e a proximidade com seus filhos.

“Pai, obrigada por sempre lutar por nós e pela nossa família! Obrigada por dedicar madrugadas trabalhando para que nunca faltasse nada em casa, obrigada por me fazer gostar de animais, por me ensinar a pescar e ver a beleza das coisas simples na vida!”, finaliza a filha.

Que todos os pais possam ser exemplo em suas casas, guias para seus filhos e tementes a Deus e a Seus ensinamentos, para que sejam pontos de luz, condutores de fé e fontes de amor na vida dos que juntos caminham.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Isabela Araujo, em Espiritualidade

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.