Por Polyana Gonzaga Em Igreja Atualizada em 31 JAN 2019 - 16H36

“A Igreja não pode calar sua voz profética”, diz bispo sobre tragédia em Brumadinho

Isac Nóbrega/PR
Isac Nóbrega/PR
Nenhuma legenda adicionada


A Arquidiocese de Belo Horizonte (MG) mobiliza esforços no amparo às vítimas e famílias afetadas pelo rompimento da barragem em Brumadinho, na Região Metropolitana de BH, ocorrido última sexta-feira (25).

:: Buscas em Brumadinho chegam ao sétimo dia

Segundo o Arcebispo de Belo Horizonte, Dom Walmor Oliveira de Azevedo, além de uma campanha solidária para arrecadar roupas, alimentos e água para os atingidos pelo rompimento da barragem, a arquidiocese está envolvida no acolhimento às famílias e em diálogo com o Estado.

A12
A12
Nenhuma legenda adicionada

“No momento dessa tragédia tão absurda, a nossa Igreja se une para ser presença solidária, consoladora na vida das pessoas, tanto para o amparo das suas necessidades materiais e, sobretudo na necessidade humana e espiritual de cada família, de cada pessoa”, afirmou Dom Walmor.

Mineração na Serra da Piedade

O arcebispo destacou que é preciso estabelecer um diálogo para mudanças de prioridades no que diz respeito à Mineração em Minas Gerais e comentou a respeito de um projeto de exploração mineral na Serra da Piedade, território onde está o Santuário Basílica Nossa Senhora da Piedade – Padroeira de Minas Gerais. A proposta apresentada pela empresa de mineração prevê ampliar uma área já degradada da Serra da Piedade, que é tombada pelo Instituto Nacional do Patrimônio Histórico e Artístico (Iphan) e Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico (Iepha-MG).

“A Arquidiocese através da Associação de Desenvolvimento Regional Integral e com apoio da PUC Minas quer manter diálogo com os poderes públicos, com as universidades e instâncias de saber e de pesquisa para tratar desse assunto. Ao lado da Serra da Piedade existe um ponto de mineração, que também é criminoso, e que precisa ser corrigido”, afirmou o arcebispo.

Acolhimento

Para o bispo auxiliar, Dom Vicente Ferreira, a Arquidiocese assumiu um protagonismo na atuação juntos a população que mais sofre.

“Nosso povo está cansado, desiludido, desamparado. Mas a força de nossas Igrejas, não só a Católica, trazem amparo ao povo. Estamos, em tempo integral, com equipes de visitação à famílias, indo ao cemitério para enterrar os corpos das vitimas, indo ao comando central das operações, dialogando com os militares, com o Corpo de Bombeiros para dar informação e acolhida ao povo”, afirmou Dom Vicente.

Lições sobre a tragédia

Arquidiocese de BH
Arquidiocese de BH
Dom Vicente em visita à barragem Córrego do Feijão.

Dom Vicente destacou dois pontos importantes de aprendizado a partir da tragédia de Brumadinho.

A Igreja não pode se intimidar na sua palavra profética diante de organizações criminosas, de empresas multinacionais que absorveram todo poder do nosso povo, que são hegemônicas e ligadas a um capital voraz como as mineradores. Não podemos nos calar, precisamos usar nossa voz profética e exigir mudanças imediatas contra essa mineração que está massacrando a nossa gente”.

Outro aspecto destacado pelo bispo é a solidariedade do povo que ajuda a amenizar angústia e o sofrimento. “A nossa Igreja é uma igreja fundamental para os dias de hoje. A fraternidade, a força e a solidariedade das nossas comunidades estão salvando o que ainda pode ser salvo aqui em Brumadinho”.

:: Samarco deve R$ 350 milhões ao Ibama por desastre em Mariana

Serviço gratuito de assistência jurídica

A Arquidiocese, em parceria com a PUC Minas, vai disponibilizar assistência jurídica gratuita à população. O serviço funcionará a partir de segunda-feira (04) na sede do Vicariato Episcopal para a Ação Social e Política da Arquidiocese em Belo Horizonte, das 8h às 18h.

“Essa já é uma grande conquista para o bem da nossa população e para evitar, como já vimos no episódio de Mariana (MG), a manipulação de informações e a possibilidade de se aproveitarem a ingenuidade do nosso povo pobre”, concluiu Dom Vicente.

O Vicariato Episcopal para a Ação Social e Política fica na Rua Além Paraíba, nº 208 – Lagoinha, em Belo Horizonte. O telefone de contato é (31) 3422-6122.

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Polyana Gonzaga, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.