Por Eduardo Gois Em Igreja Atualizada em 23 DEZ 2019 - 09H34

Campanha da Fraternidade: reencontre caminhos que revelem o sentido da vida

Reprodução/CNBB
Reprodução/CNBB


Em diversas ocasiões, o Papa Francisco insiste para que sejamos uma Igreja em saída ao encontro das periferias geográficas e existenciais. Contemplando a realidade como discípulos e missionários, nota-se diversos sinais onde a vida não é valorizada como dom.

Pensando nisso, a Campanha da Fraternidade (CF) de 2020 traz o tema “Fraternidade e vida: dom e compromisso” e o lema “Viu, sentiu compaixão e cuidou dele” (Lc 10, 33-34), além de Santa Dulce dos Pobres no Cartaz Oficial.

“Falta um compromisso para com a vida dom de Deus a ser cultivado e compromisso a ser assumido. Vivemos em uma cultura marcada pelos traços de Caim onde já não se reconhece o outro como irmão. Neste cenário, os bispos do Brasil nos propõem uma bela e pertinente reflexão sobre a vida”, diz o Secretário Executivo de Campanhas da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Padre Patriky Samuel Batista, em entrevista exclusiva ao A12.

Confira abaixo, na íntegra.

Qual o motivo e o que inspirou o tema deste ano?

CNBB/Daniel Flores
CNBB/Daniel Flores
Secretário Executivo de Campanhas da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Padre Patriky Samuel Batista


Padre Patrik Samuel Batista
- Para lançar um olhar mais detalhado sobre a vida temos a inspiração bíblica do Bom Samaritano. Ele foi capaz de interromper sua rotina, adiar seus compromissos para cuidar da vida que estava abandonada a beira do caminho; Ele viu, sentiu compaixão e cuidou dele.

Eis a inspiração para vivermos o tempo quaresmal. Coração que se converte é coração disposto a cuidar da vida em todas as suas formas e expressões, desde a concepção, passando pelo término natural, rumo a plenitude. Foi uma feliz escolha o tema da CF 2020.

Creio que ajudará cada fiel e cada uma de nossas comunidades a redescobrir o valor e a beleza da vida. Não somente redescobrir, mas reencontrar os caminhos que revelem o sentido da vida; Vida que é um intercâmbio de cuidados; Vida que é Dom; Vida que é o próprio Cristo; Vida que grita hoje por sobrevivência.

Em tantos anos de CF o mundo mudou muito, mas algumas urgências ainda são muito parecidas com as mesmas do passado. Continuam existindo muitos pobres, a Igreja continua fazendo um trabalho social necessário e urgente em várias partes do Brasil. Na sua opinião, porque alguns aspectos persistem? Podemos dizer que a Evangelização hoje passa muito pelo cuidado com a vida em várias dimensões diferentes?

Padre Patrik Samuel - Evangelizar é cuidar. Um cuidado que brota da experiência pessoal e comunitária que fazemos com o Ressuscitado. Aquele que, vencedor da morte, nos chama a sermos sal da terra e luz do mundo. Compreendendo o anúncio do Evangelho como cuidado anunciamos com o testemunho de vida o amor de Cristo que gera continuamente vida nova.

Evangelizar é cooperar com aquele que diz: “Eu vim para que todos tenham vida e vida em plenitude”. Sobre a persistência de vários aspectos que ainda hoje nos desafiam, penso que há uma série de fatores que contribuem para isso: desde as opções econômicas e sociais que os governos fazem, passando pela indiferença que reina entre as pessoas, chegando até a forma com a qual vivemos a fé cristã. Não basta sermos especialistas em diagnósticos, simplesmente apontar caminhos de superação se não somos capazes de trilhar este caminho.

Como o Bom Samaritano precisamos colocar nossa vida a disposição do outro. Ver, aproximar, cuidar! Um cuidado que vai além dos necessários primeiros socorros. Um cuidar que supõe acompanhar as situações, ir às causas. Tudo isso só terá sentido se, partindo de Cristo, nossa motivação for a interpelação que o Evangelho nos faz. Servimos aquele que é o Senhor da vida. Enquanto houver alguma situação de descuido e indiferença em relação a vida, não podemos descansar.

Leia MaisCartaz da Campanha da Fraternidade 2020 é inspirado em Irmã Dulce

O Cartaz com Irmã Dulce quer dizer que ela é a grande inspiradora para esta Campanha?

Padre Patrik - Foi uma feliz coincidência. Na verdade, um presente da Divina Providência. No fim de junho, em reunião com o secretário Geral da CNBB, Dom Joel Portela, estávamos uma equipe a pensar na identidade visual da CF 2020. Pensamos: quem seria o ícone do Bom Samaritano para os dias atuais? Vários nomes surgiram, na sua maioria mulheres dedicadas ao serviço do próximo.

Quando Dom Joel mencionou a Ir. Dulce a acolhida foi unanime. Isso antes mesmo de sair a data da canonização. Em Santa Dulce dos Pobres, ícone da compaixão e do cuidado, contemplamos o que o amor é capaz de fazer. A ousadia do amor que cuida nos recorda que vida doada é vida santificada. Sem sombras de dúvidas uma inspiração que ajudará muitas pessoas a darem um passo novo. Passos em sintonia com aquele que cuida de nós. (1Pd 5,7)

O que todos nós católicos poderíamos fazer para viver melhor o período da CF com ações concretas. Pode nos dar dicas?

Padre Patrik - Abrir a Palavra de Deus e com ela viver comprometido. Somos cristãos! Vivemos à Luz da Palavra que converte os corações e transforma a realidade. Costumo dizer que as mudanças que esperamos acontecer no mundo começarão a ser realidade quando começarem a se concretizar em nós. O que eu faço faz o mundo acontecer.

Talvez uma grande contribuição da CF 2020 seja cultivar a ousadia de, neste mundo tão acelerado e indiferente, interrompermos nossa rotina, fazer uma pausa para rever nossas opções de vida e começar, sem demora, a cuidar uns dos outros. Cuidado que supõe qualidade de nossa presença, olho no olho, mão a mão, corações compadecidos. A vida é um intercâmbio de cuidados.

No texto base, sobretudo na última parte, temos uma série de iniciativas para inspirar nossa ação em cada comunidade eclesial missionária. Muito mais ainda poderá ser feito. Mas aquilo que será realizado há de produzir frutos se, motivados pela fé em Cristo ressuscitados, iniciarmos processo de construção de uma nova identidade onde a capacidade de cuidar seja um estilo de vida. Ver, compadecer e cuidar! Sinais de uma vida Samaritana.

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Eduardo Gois, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.