Por Pe. Leo Pessini Em Igreja

Um rápido diagnóstico para conhecer os jovens millenials! (I)

Os jovens de hoje são chamados em geral de 'millenials' (ou geração do milênio), termo utilizado nos últimos anos para indicar aqueles que nasceram entre 1979 e 1999, e que portanto, hoje contam entre 18 e 38 anos. Esta geração iniciou sua fase jovem/adulta juntamente com o início do milênio em que estamos vivendo. E também chamada de geração Y.

Jovens usando celular - Foto: shutterstock
Foto: shutterstock

Os experts em demografia e estatística agruparam as gerações após a II Guerra Mundial, pelo menos nos EUA e nos países ocidentais, em 'cortes demográficos', assim classificados: 'Baby Boomers' (1946-1965), a Geração – X (1966-1985), e os 'millenials', ou Geração - Y (1979-1999). Os Baby-Boomers, os nascidos após a II guerra mundial, é a geração que agora tem entre 60-70 anos. A geração –X, é a geração nascida após a geração baby–boomers do após-guerra, entre 1966 e 1985. É a geração que agora tem entre 40 e 50 anos. Os millenials, também denominados geração –Y, é a geração dos nascidos entre 1979-1999, formada hoje pelos que tem entre 18-38 anos. Os Millenials são a geração dos que estudam em nossas universidades. Muitos estudiosos também chamam esta geração como 'geração global'. A geração Z é aquela nascida na última década do sec. XX e a primeira década do sec. XXI. Esta geração já nasceu conectada à internet.

 

Millenials: Estes estão acostumados a resolver tudo num clique. 

Os millenials são também chamados de nativos digitais. Apenas nos EUA, estamos falando de 80 milhões de pessoas e no brasil, quase 60 milhões de jovens adultos. Estes estão acostumados a resolver tudo num clique. Estão sempre ocupados e conectados (tempo foi totalmente instrumentalizado...) não existe mais o chamado 'ócio criativo' de que nos fala o pensador e sociólogo italiano, Domenico De Masi.

Esta geração Y é mais preguiçosa, se comparada as gerações anteriores, ou seja, menos ativa na busca de seus objetivos. São também mais alienados, pois demonstram menores níveis de engajamento social, pois lhes falta uma maior consciência coletiva. Por estarem o tempo todo conectados, isto compromete a capacidade desta geração em aprender coisas novas e com isso desenvolverem sua capacidade de reflexão. Desconhecem as coisas da atualidade e nem estão interessados em coisas do passado.

A exposição pessoal é um dos pontos centrais desta nova geração. O habito de se auto fgrafar (selfie) por exemplo, postar informações a todo o momento a respeito de onde se encontram, com quem estão, o que estão fazendo, o que estão vestindo, comendo, etc.... Teriam então, segundo alguns autores, contribuído na formação de uma geração de narcisistas.

Gerações X, Y e Z são conceitos sociológicos que caracterizam pessoas que nasceram em diferentes culturas. A geração Y nasce sob a égide do imediatismo, da informação instantânea, só acostumados a resolver tudo num simples clique eletrônico. Diferente dos seus pais, que esperavam até uma semana para saber dos principais fatos do mundo nas revistas semanais, a nova geração vê as notícias de ontem como algo já defasado, uma 'informação velha'. O fato tem que ser percebido no momento em que acontece e a única forma disso ocorrer é se manter-se permanentemente conectado, isto é, on line!

A internet está para a geração Y como a bibliotecas ou bancas de jornal estão para as gerações anteriores. A geração Y não sente a necessidade de aprender e se aprofundar em nada e muito menos de decorar algo. Um jovem conectado não demora mais do que alguns segundos para acessar qualquer texto ou informação que necessite, agora, neste instante, com um smartfone na palma da mão. Aos poucos, a internet vai substituindo para esta geração, os livros e material didático.

A visita a casa de um parente ou de um amigo já não é tão necessário para os millenials (a geração Y), como era para a geração precedente, a geração X. O relacionamento não precisa ocorrer presencialmente, e na preferência desta nova geração é melhor que não aconteça. Visitas são feitas virtualmente através de mensageiros instantâneos e sitio de relacionamentos com a marca da nova geração: o imediatismo. Basta apenas visitar o facebook de um 'amigo' e lá se sentem na intimidade de seu lar. Tudo o que o jovem precisa saber e tudo que pode gerar um relacionamento está na internet, e não mais em sua casa.

Celular (Foto:Shutterstock)
Foto: shutterstock

O jovem da geração Y é multitarefa, isto é, faz várias coisas ao mesmo tempo, o que popularmente dizemos 'assoviar e chupar cana'. Consegue falar com amigos ao telefone, enviar mensagens, visitar os sítios de relacionamento e ouvir uma música, tudo simultaneamente.

Os pais da geração Y, mantinham em média de 15 a 20 amigos, incluindo 3 ou 4 de contato mais próximo. Hoje, através do twitter ou facebook, um jovem mantem relacionamentos instantâneos, mas superficiais, com mais de uma centena de pessoas.

A geração Y mais do que marcas ou rótulos, busca inovação. Um novo gadget fará parte de sua lista de desejos antes mesmo de ser lançado. Passara horas numa fila para adquirir em primeira mão um produto que será lançado a meia-noite numa loja de eletrônicos. No dia seguinte ostentará a compra, onde estiver como um troféu. Contará, por horas a fio, a odisseia que passou na fila.

A geração Z é aquela nascida na última década do sec. XX e a primeira década do se. XXI. Semelhante é a geração Y, esta geração não é fiel a marcas, vive em função de inovações tecnológicas e prefere o mundo virtual ao real. A diferença entre ambas as gerações, é que se a geração Y precisa se conectar à internet, para entrar no seu mundo, a geração Z já nasceu conectada. Já não é mais necessário o computador, a internet está presente em todos os seus equipamentos: Telefone, notebooks, tevês de última geração e dispositivos portáveis. Conversa com os amigos por SMS, já que o e-mail já ficou fora de moda. Ao invés de usar o celular no ouvido o utilizam a frente dos olhos (vídeo fone). São multitarefa e não são fieis a trabalhos ou empregos que não estejam de acordo com suas crenças.

A gerarão Z é a encarnação do que a geração Y gostaria de ter sido. A geração Z trata as conexões a internet com fosse fossem o fornecimento de eletricidade ou água.   A Geração Z será a grande consumidora de tecnologia dos próximos anos. Enquanto todos festejam a geração Y como os consumidores do futuro, é a geração Z que acaba consumindo os gadgets mais badalados e inovadores (continua).

assinatura padre leo pessini

Escrito por
Pe. Léo Pessini Currículo - Aquivo Pessoal
Pe. Leo Pessini

Professor, Pós doutorado em Bioética no Instituto de Bioética James Drane, da Universidade de Edinboro, Pensilvânia, USA, 2013-2014. Conferencista internacional com inúmeras obras publicadas no Brasil e no exterior. É religioso camiliano e atual Superior Geral dos Camilianos.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Polyana Gonzaga, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.