Notícias

Conheça o nordestino que caminhou cinco anos até Aparecida

Pedro Guedes caminhou mais de três mil quilômetros desde o dia 1° de outubro de 2017 para cumprir promessa

Escrito por Guilherme Gomes

18 JAN 2022 - 16H40 (Atualizada em 25 JAN 2022 - 16H15)

Alessandro Cardoso


Fé. Persistência. Gratidão. Essas são algumas das palavras que podem resumir a romaria de Pedro Guedes em direção ao Santuário Nacional de Aparecida. Com 80 anos de idade e carregando uma cruz de 33 kg, o peregrino caminhou por quase cinco anos para chegar a Aparecida (SP) e cumprir uma promessa pela cura de uma trombose.

A12 cobriu com exclusividade a chegada do devoto ao Santuário Nacional. Pedro saiu de Caruaru, em Pernambuco, no dia 1° de outubro de 2017 e passou por seis estados brasileiros - Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia, Minas Gerais e São Paulo - para completar um percurso com mais de três mil quilômetros até a Casa da Mãe, cumprir a promessa e deixar sua cruz na Sala das Promessas.

Vim pela cura. Fiz a promessa e estou curado. Tenho que agradecer. Eu fiquei um ano me preparando, me afastei de todo mundo, me afastei da família, ficava reservado para poder confiar na promessa que Deus deu para o homem. E hoje, graças a Deus e Nossa Senhora, eu estou aqui”, disse o romeiro ao entrar em Aparecida (SP).

E engana-se quem pensa que o peregrino demonstrou dor ou cansaço durante a longa caminhada. 

“Estou com saúde e vou ficar alegre. É isso que Deus quer da gente. Quer alegria. Alegria sincera com amor e com carinho” Pedro Guedes, o pagador de promessas Durante o trajeto, o “pagador de promessas”, como se autodenomina, contou com a ajuda de voluntários e caminhoneiros, que se solidarizaram durante o percurso e o ajudaram com refeições e locais para dormir. 

.:: Veja fotos da chegada do "pagador de promessas" na Cidade da Mãe:

Além da promessa pessoal, Pedro trouxe na cruz centenas de terços e fitinhas de outros devotos que conheceu pelo caminho. Até chupeta de criança tem nos objetos de devoção. “Quando eu saí da minha cidade, não tinha nada. A cruz estava sem nada. Durante a caminhada, cada fita dessas e cada terço é uma pessoa. É a mãe que faz o pedido para o filho que está doente e coloca uma chupeta. Cada objeto desses é um pedido. A fé do povo é muito grande, contou.

Junto da cruz, o romeiro carregou durante todos esses anos a sua casa na bagagem. Pedro montou um carrinho com todos os pertences que julgou necessário para a missão de fé: tem barraca para dormir, cadeira para pausas e descanso, galões de água, garrafa de café e um balde que virou sua mala e ajuda a proteger as roupas da chuva.

“Eu tenho tudo o que eu preciso comigo. Mas o mais importante é a minha fé e gratidão, finalizou o peregrino.

Acesse materiais exclusivos do A12:

.:: Visite a cúpula do Santuário Nacional em 360º com o A12

.:: Conheça 5 pontos secretos do Santuário

.:: Conheça o passeio do bondinho aéreo da Casa da Mãe

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Guilherme Gomes, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.