Por Luciana Gianesini Em Redação A12 Atualizada em 12 AGO 2019 - 14H23

"Quando meu dom colabora para a vida do outro, nisso está a realização da minha vocação"

No Redação A12 ao vivo, Padre Camilo Jr. fala sobre vocação

Renan Ventura
Renan Ventura


No Redação A12 ao vivo desta semana, o jornalista Eduardo Gois recebeu o diretor do A12Padre Camilo Júnior, para falar sobre vocação, tema que norteia grande parte das discussões na Igreja do Brasil durante o mês de agosto.

Mas, por que é importante ter um mês especial para celebrar e promover a vocação? Padre Camilo explica que a palavra "vocação" significa "chamado". Todos nós acreditamos que Deus nos chama e nos confia uma missão. O próprio Jesus insiste, no Evangelho, dizendo: "Por isso, pedi ao Senhor da messe que mande operários para sua messe” (Mateus 9, 38). A partir disso, então, a Igreja entende que é sua missão rezar pelas vocações e, acima de tudo, pedir que os vocacionados perseverem no chamado, na missão que Deus lhes deu.

"Toda vocação é dom de Deus para o coração humano. E toda vocação é também um chamado de amor, que exige uma resposta de amor. E a Igreja escolheu o mês de agosto como mês vocacional para que, rezando pelas vocações, aprendamos de Maria, vocacionada do Pai, a ter generosidade e alegria de coração para responder ao chamado do Pai: Sim, que aconteça na minha vida a Tua Palavra", diz.

:: Semana Vocacional 2019

Sobre o desafio de assumir a vocação religiosa, o padre ensina que a vocação nasce no dia do nosso batismo. "Todos nós recebemos a missão de sermos continuadores do amor de Jesus aqui na Terra. A partir da vocação batismal, em cada estágio da vida, outras vocações vão surgindo. Eu sou chamado, assim, a dar uma resposta de amor para que o Reino de Deus seja uma realidade, em mim, através de mim, no mundo onde eu vivo", afirma o sacerdote.

E, dentre as várias vocações, existe a vocação à vida religiosa consagrada. De acordo com o missionário redentorista, nem todos são chamados à castidade, obediência e pobreza. Mas, para aqueles que são chamados, devem ser referência do Cristo, um testemunho da caridade que gera vida, principalmente na capacidade de servir.

A vocação para o Casamento é para todo mundo?


Sobre a vocação para o matrimônio, Padre Camilo diz que cada pessoa é chamada por Deus para uma vocação, que traz uma missão. Mas cada um, mesmo que todos tenham sido chamados pelo batismo a ser sal e luz, tem seu papel particular.

O casamento também é vocação. É o chamado que Deus nos faz para construirmos uma família, no amor. A pessoa também tem que querer viver sua fé numa relação de comunhão, entrega e fidelidade ao outro. "Se abraçarmos uma vocação sem sermos chamados a ela, certamente não conseguiremos corresponder às exigências, às radicalidades, às renúncias necessárias para viver a santidade nesse estado específico de vida", aponta.

Renan Ventura
Renan Ventura


Vocação leiga consagrada

Padre Camilo ensina que a primeira e fundamental consagração na nossa vida é o batismo. Nossa dignidade diante de Deus não está relacionada a esta ou àquela vocação, mas sim a sermos, de fato, cristãos, a sermos de Cristo. A partir disso, somos então chamados a testemunhar Cristo nas diferentes vocações.

Entre estas, temos também aquelas pessoas que decidem se unir a comunidades de vida consagrada, que desejam viver a radicalidade da consagração batismal pelos conselhos evangélicos de pobreza, castidade e obediência, no anúncio do Evangelho, na vida ministerial das comunidades e no serviço aos pobres. São pessoas que querem fazer do batismo uma expressão do amor de Deus no mundo.

O discernimento vocacional do jovem

Muito cedo em nossas vidas, geralmente por volta dos 18 anos, o jovem tem de decidir o que quer fazer na vida. Como entender, fazer esse discernimento e como os pais devem orientar esse caminho?

Explica o sacerdote: "Quando se fala em vocação, o primeiro pensamento é na vocação sacerdotal e religiosa. Entretanto, inspirados por Jesus, todos somos chamados a passar por este mundo fazendo o bem. A vocação é um dom que Deus nos deu, para ser colocado a serviço.

Muitas pessoas hoje escolhem uma profissão pelo seu retorno financeiro. Porém, embora o trabalho seja a forma de vivermos com dignidade, ninguém deve trabalhar para si, mas para tornar o mundo um lugar melhor. Nenhuma vocação, nenhum trabalho é melhor ou mais importante que o outro. Todas as vocações se completam.

Quando eu me coloco a serviço da vida, e quando meu dom colabora para a vida do outro, nisso está a realização da minha vocação", conclui.

:: Confira, na íntegra, todas as explicações do Padre Camilo sobre vocação:


Por fim, neste dia em que se celebra o Dia Internacional dos Povos Indígenas (09 de agosto), Eduardo Gois convidou aos espectadores para conhecerem o infográfico sobre a Realidade Indígena no Brasil, uma parceria entre TV Aparecida e A12.

Sobre este tema, o próximo Redação A12 ao vivo recebe a repórter Camila Morais para falar sobre essa experiência de conhecer os atuais desafios das comunidades indígenas no Brasil.

Não perca, na próxima sexta-feira, dia 16, o Redação A12 ao vivo.  Inscreva-se em nosso canal do YouTube e ative o sininho das notificações.

:: Arquivo A: Confira o documentário inédito sobre a realidade indígena no Brasil

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Luciana Gianesini, em Redação A12

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.