Por Redação A12 Em Santo Padre Atualizada em 31 JUL 2018 - 10H24

Cinco vezes em que o Papa Francisco reagiu ao aborto

No último dia, 26 de julho os bispos do Regional Leste 1 da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), que abrange todo o estado do Rio de Janeiro, publicaram uma mensagem se manifestando em face da Ação de Descumprimento de Preceito Fundamental 442/2017 (ADPF 442). No documento, os bispos reafirmam posição firme e clara da Igreja sobre o aborto. O episcopado exorta ainda que os católicos e todas as pessoas que desejam um país democrático, pacífico e protetor da vida se posicionem contrários ao que está sendo proposto através da presente medida judicial que permite o aborto até 12 semanas de gestação.

Em diversa ocasiões, o Papa Francisco também falou de modo aberto e contundente sobre o tema. Relembre abaixo cinco delas:

1. "É nazismo com luvas brancas"

Shutterstock
Shutterstock

Em 18 de junho de 2018 o Papa Francisco, disse que o aborto, em alguns casos, é o 'nazismo com luvas brancas'. Dois dias depois da aprovação do Projeto de Lei de interrupção voluntária da gravidez pela Câmara dos Deputados na Argentina, o Pontífice reagiu à derrota que sofreu em seu país de origem com declarações fortes.

2. Luta contra injustiça e tão importante quanto lutar contra o aborto

Shutterstock
Shutterstock

“Lutar contra injustiça é tão importante quanto combater ao aborto”, pontuou o Papa no dia 9 de abril de 2018. No documento Galdete et exultate, Francisco critica católicos que relativizam os ensinamentos sociais da Igreja.

3. Discurso a ginecologistas católicos

Shutterstock
Shutterstock

Leia MaisPapa visita amiga em Roma Em 29 de setembro de 2013, Francisco discursou: “Entre estes seres frágeis, de que a Igreja quer cuidar com predileção, estão também os nascituros, os mais inermes e inocentes de todos, a quem hoje se quer negar a dignidade humana para poder fazer deles o que apetece, tirando-lhes a vida e promovendo legislações para que ninguém o possa impedir. Muitas vezes, para ridiculizar jocosamente a defesa que a Igreja faz da vida dos nascituros, procura-se apresentar a sua posição como ideológica, obscurantista e conservadora; e no entanto esta defesa da vida nascente está intimamente ligada à defesa de qualquer direito humano".

4. Exortação apostólica Evangelii Gaudium

Shutterstock
Shutterstock

Em 24 de novembro de 2013, o Santo Padre ressaltou que “Infelizmente, objeto de descarte não são apenas os alimentos ou os bens supérfluos, mas muitas vezes os próprios seres humanos, que acabam ‘descartados’ como se fossem ‘coisas desnecessárias’. Por exemplo, causa horror só o pensar que haja crianças que não poderão jamais ver a luz, vítimas do aborto".

5. Discurso aos membros do corpo diplomático

Shutterstock
Shutterstock

Em 13 de janeiro de 2014, o Papa afirmou: “Nos dias de hoje, para a economia que se implantou no mundo, onde no centro se encontra o deus dinheiro e não a pessoa humana, o resto é ordenado a isso, e o que não faz parte desta ordem é descartado. Descartam-se os filhos que são a mais, que incomodam ou que não é oportuno que nasçam… Os bispos espanhóis falaram-me, recentemente, sobre o número de abortos, e eu fiquei petrificado.”, espantou-se Francisco.


1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Santo Padre

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.