Por Redação A12 Em Santo Padre Atualizada em 24 JAN 2018 - 11H28

Papa alerta sobre o mal que provocam as notícias falsas

Shutterstock.
Shutterstock.

As consequências da difusão das chamadas ‘fake news’, as notícias falsas, com objetivos econômicos ou políticos, que levam ao ódio e ao conflito, foi tema de uma Mensagem do Papa Francisco dirigida aos comunicadores de todo o mundo. O alerta está na Mensagem para o 52º Dia Mundial das Comunicações Sociais, que será comemorado em 13 de maio.

“O drama da desinformação é o descrédito do outro, a sua representação como inimigo, chegando-se a uma demonização que pode fomentar conflitos. Deste modo, as notícias falsas revelam a presença de atitudes simultaneamente intolerantes e hipersensíveis, cujo único resultado é o risco de se aumentar a arrogância e o ódio”, escreve. 

Com o tema "A verdade vos tornará livres (Jo 8,32). Fake News e jornalismo de paz", o texto foi divulgado hoje (24), na festa litúrgica de São Francisco de Sales que é padroeiro dos jornalistas. 

“Hoje, no contexto de uma comunicação cada vez mais rápida e dentro de um sistema digital, assistimos ao fenômeno das notícias falsas, as chamadas fake news: isto convida-nos a refletir, sugerindo-me dedicar esta Mensagem ao tema da verdade”, explica o Papa.

Francisco convida a prevenir a difusão destas notícias falsas e a “redescobrir o valor da profissão jornalística”, sublinhando a responsabilidade pessoal de cada um na “comunicação da verdade”.


“As fake news tornam-se frequentemente virais, ou seja, propagam-se com grande rapidez e de forma dificilmente controlável, não tanto pela lógica de partilha que caracteriza os meios de comunicação social como sobretudo pelo fascínio que detêm sobre a avidez insaciável que facilmente se acende no ser humano”, acrescenta.

Francisco aponta que as “motivações econômicas e oportunistas da desinformação têm a sua raiz na sede de poder, ter e gozar” e contra esse “embuste do mal” é preciso “educar para verdade”.

:: Audiência Geral: Papa recorda viagem ao Chile e Peru

O Papa apresenta como “antídoto” contra o vírus da falsidade “deixar-se purificar pela verdade” e o único sobre a qual podemos nos apoiar para não cair é o verdadeiro Deus vivo.

“Eis a afirmação de Jesus: ‘Eu sou a verdade’ (Jo 14, 6). Sendo assim, o homem descobre sempre mais a verdade, quando a experimenta em si mesmo como fidelidade e fiabilidade de quem o ama. Só isto liberta o homem: ‘A verdade vos tornará livres’ (Jo 8, 32)”.


Fonte: Agência Ecclesia e Vatican Media.

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Santo Padre

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.