Por Pe. Inácio Medeiros, C.Ss.R. Em Notícias

A missão nas famílias e a palavra partilhada em Guarulhos (SP)

Testemunhos da Missão nas Famílias em Guarulhos (SP)

Missões Redentoristas em Guarulhos (SP)Os encontros realizados na Segunda Fase das Missões Redentorista duram em média 45 minutos e acontecem durante 31 dias, cada dia em uma casa de família que compõe o Setor Missionário. O encontro sempre é iniciado com a acolhida ao andor ou capelinha de Nossa Senhora Aparecida e a oração de pelo menos um mistério do Santo Terço, conduzidos pelo livrinho “Missão nas Famílias”. Depois é realizada a partilha da Palavra de Deus e rezadas as preces comunitárias. 

Em Guarulhos (SP), na Paróquia Santo Antônio de Pádua, as pessoas que têm participado dos grupos, nos diversos setores, têm relatado que o momento é de muita graça e benção para a família e para a comunidade. As Santas Missões têm sido uma grande oportunidade de resgate de muitas pessoas e famílias que se encontravam afastadas da Igreja, especialmente daquelas não possuem religião ou até mesmo não são católicas, mas que se sentem tocadas pelas ações propostas pela missão redentorista. 

Novo jeito de se viver em comunidade

Segundo José Carlos, integrante do setor 25, a missão promove o encontro entre as pessoas e a Palavra de Deus, sustento da vida comunitária. 

“A missão nos mostra um novo jeito de viver em comunidade, pois podemos sentir a presença de Deus. Precisamos um do outro e muitas vezes não conhecemos nem mesmo os nossos vizinhos. Somos muito indiferentes aos acontecimentos do outro, dizendo que não temos nada a ver com isso, que o outro se vire para resolver seus problemas sozinhos”.

Neiva Trevizan, por sua vez, está vivendo essa mesma experiência em seu condomínio, com a coordenação da senhora Natalina. Ela recebeu a visita dos missionários e dos vizinhos em sua casa. “Estamos fazendo a oração todos os dias aqui no condomínio, está sendo maravilhoso participar. Uma experiência abençoada”, afirmou. 

Para Márcio Ferreira, auxiliar do setor 19, a acolhida das famílias têm sido um dos pontos positivos, desde o primeiro contato, antes da visita, até o encontro do missionário com as famílias. 

Missão em condomínios

As Santas Missões Redentoristas tem como meta atingir todo o território, até mesmo os condomínios fechados.

A experiência da auxiliar Débora, contextualiza bem essa realidade enfrentada durante a Primeira Fase. 

Ao receber o convite para o trabalho de visitação em um condomínio, as dúvidas eram muitas, desde o 'como começar' já que a maior parte dos condomínios não permite a entrada de pessoas sem autorização dos moradores. Débora começou com apenas duas fichas de voluntários da paróquia e depois de mais duas pessoas conhecidas. Com essas famílias, ela marcou uma reunião em sua casa para elaborar uma forma de trabalho. 

"Traçamos as estratégias e dividimos as tarefas: primeiro, divulgar em uma rede social do condomínio; depois, fazer divulgação pelas caixas de correspondências; pedir ajuda para a monitora das crianças; e falar com os conhecidos', relata Débora. 

Nesse momento, ela contou com a ajuda de seu filho, Bruno, que tinha colegas da escola no prédio. "Orei e pedi para Deus me ajudar e ele me mandou o primeiro anjo: meu filho Bruno. Colocamos nosso crucifixo, pegamos nossas fichas e partimos. Comecei visitando os apartamentos dos amigos do Bruno, ele me apresentava e eu pedia a permissão para falar sobre nossa proposta missionária. Antes de ir embora eu pedia para a pessoa me indicar alguém que ela conhecesse no condomínio para eu fazer o cadastro, e assim fomos abordando mais e mais pessoas sem infringir o regulamento do condomínio", lembra a auxiliar. 

Com o número de fichas e famílias aumentando, Débora formou um grupo de bate-papo no celular com as famílias que visitava. "Assim fomos multiplicando os resultados. Não me lembro de ninguém ter me recebido mal", conta.

Nesse trabalho, a auxiliar usou da criatividade e simpatia na tentativa de levar a mensagem do Evangelho a todos. Até uma cabeleireira evangélica, colaborou com Débora para conseguir novas fichas e famílias para visitação.

"Pedi ajuda para a cabeleireira do condomínio para ela fazer a gentileza de preencher as fichas das clientes que fossem passando por ela. Só ela fez 16 fichas, o que nos ajudou muito. E o mais relevante é que ela é evangélica". 

No início da Segunda Fase, a auxiliar pode verificar a importância de seu trabalho, para que mais pessoas possam ser apresentadas à mensagem de Jesus.

"Iniciamos a segunda etapa e cada visita torna-se uma lição de vida e de fé. Somos seis agentes ativas hoje. Para mim esse trabalho está sendo um dos mais gratificantes que já fiz até hoje pela Igreja. Superou minhas expectativas e me ensinou jamais subestimar um desafio, ainda mais quando se trata de uma missão divina. O grupo se identificou tanto que ouso falar que somos a 'família missionária do supera'. A missão pode ter data e etapas determinadas, mas nós não vamos parar, porque sabemos que a Palavra de Deus é eterna", finaliza. 

A Paróquia Santo Antônio de Pádua inicia nesta quinta-feira (22) a Terceira Fase das Santas Missões, às 20h, com a missa de acolhida aos religiosos redentoristas e os grupos missionários. Esta última etapa com a presença dos missionários acontece até o dia 1º de novembro.  

Mais notícias no site da paróquia. 


Equipe Pascom

Paróquia Santo Antônio de Pádua, Guarulhos (SP) 

Pe. Inácio Medeiros, C.Ss.R. 

Equipe de Comunicação Santas Missões

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Inácio Medeiros, C.Ss.R., em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.