Por Pe. José Inácio Medeiros, C.Ss.R. Em Notícias

O desafio da missão urbana

Nas últimas décadas o Brasil vem passando por um processo acelerado de mudanças. Uma das características mais forte deste processo é o crescimento das cidades, sobretudo, dos grandes núcleos urbanos. Usa-se hoje a expressão "explosão urbana" para caracterizar este movimento. No Brasil, cerca de 50% da população concentram-se em 450 cidades e mesmo nas pequenas cidades do interior chegam os reflexos das mudanças socio-econômicas pelas quais passam nosso país e a nossa sociedade.

cidade

Essas mudanças causam um forte impacto em todos os setores da vida humana, trazendo ainda reflexos na forma da Igreja evangelizar, cumprindo o essencial de sua missão, pois com a urbanização diminui a prática religiosa das pessoas e o trabalho passa a tomar a maior parte de suas maiores preocupações.

Também as Santas Missões, na sua busca de atualização, buscam uma adaptação de métodos e de ação para bem evangelizar a realidade urbana, surgindo a necessidade de se usar novas estratégias. 

Uma pergunta intrigante é sempre essa: Como evangelizar a cidade? Muitos vão responder: A cidade é muito perigosa, é violenta e é complexa. É quase impossível evangelizar. Será que não existe uma fórmula? 

Aqui vão algumas sugestões:

Os desafios são imensos, mas as experiências bem sucedidas vão se avolumando, pois nada tira a sede que as pessoas têm de Deus. A questão principal é dar respostas certas às questões que as pessoas apresentam. A Igreja precisa ter a lucidez de perceber se as respostas que está dando vão ou não de encontro às perguntas que as pessoas estão se fazendo.

"É importante de início passar dessa postura de medo e desconfiança, para uma atitude de amor à cidade. É preciso amar a cidade: ir ao encontro da cidade".

Conversamos com o Pe. Werner Antônio Anderer, C.Ss.R., um dos nossos mais experientes missionários que já pregou centenas de missões por todo o Brasil. Ele nos disse que "ir ao encontro da cidade é ultrapassar os limites estritamente geográficos e estruturais da paróquia, estendendo a evangelização às escolas, às fábricas, às periferias... É partir para a pastoral da conquista, realizando um trabalho de 'corpo a corpo' em todos os ambientes. É aproximar-se das pessoas, conhecê-las pelo nome, visitar suas casas, seus locais de trabalho, de lazer, e partilhar com elas suas dificuldades e suas esperanças, anunciando o Reino que se realiza a partir dessa realidade concreta e atual".

Foto de: reprodução.

Padre Werner nas missões

Pe. Werner, um dos mais experientes missionários redentoristas, já pregou centenas de missões por todo o Brasil

A necessidade de bem evangelizar, tentando responder aos anseios do homem moderno exige uma atitude de inculturação. Ir ao encontro da cidade é inculturar-se. Fala-nos ele que "o evangelizador deve respeitar as manifestações culturais, os fenômenos, as opções do mundo urbano, buscando harmonizar os seus valores com sua identidade cristã, que não pode ser dissimulada". 

"A inculturação é o centro da Nova Evangelização e seu aspecto mais importante" (Santo Domingo n-0 229).

Ir ao encontro da cidade é aproveitar ao máximo os Meios de Comunicação Social, investindo nas emissoras de rádio, nas publicações alternativas: folhetos, cartazes, murais, rádios populares, boletins... e, na difusão dos nossos jornais e revistas e, principalmente, no uso intensivo das redes sociais, colocando o fenômeno da internet a nosso favor. 

Santas Missões e Pastoral Urbana

Para ir ao encontro da cidade as Santas Missões Populares Redentoristas baseiam sua ação na setorização, isto é, na criação dos Setores Missionários como Igreja na base, na estruturação de novas comunidades e na descentralização das atividades pastorais, deixando de concentrar as atividades na matriz que torna-se desta forma, a comunidade-mãe de uma rede de comunidades. Desta forma, afirma-nos o Pe. Werner, torna-se mais fácil "valorizar e incentivar os pequenos grupos de famílias; as pastorais específicas e os movimentos leigos" sabendo-se que nestes grupos as pessoas cultivam laços, refletem e assumem comportamentos genuinamente cristãos. Eles são uma tentativa de resposta para a Evangelização das pessoas nos seus ambientes e comunidades.

E neles destaca-se o protagonismo dos leigos, especialmente os Coordenadores e Auxiliares Missionários.

Ir ao encontro da cidade é fazer das devoções e celebrações populares momentos e lugares fortes para a Evangelização. As músicas, o folclore, as festas nas comunidades, as encenações, a linguagem com os ditos e expressões do povo enriquecem o trabalho e podem ser fortes momentos de espiritualidade e evangelização do mundo. Urbano” arremata-nos o missionário.

 

Padre Inácio Medeiros, C.Ss.R.
Equipe de Comunicação
Araraquara, SP

 

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. José Inácio Medeiros, C.Ss.R. , em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.