Por Pe. José Inácio Medeiros, C.Ss.R. Em Notícias Atualizada em 27 MAR 2019 - 10H55

Santas Missões movimentam paróquias mineiras de Carangola e Faria Lemos

Missionários Redentoristas encerram etapa missionária nas cidades mineiras de Carangola e Faria Lemos. Na foto abaixo, a Matriz Nossa Senhora Aparecida é uma réplica do Santuário Nacional. 

Matriz de Nossa Senhora Aparecida em Carangola  (MG)

Situadas entre as montanhas da região leste do estado de Minas Gerais, a 18 km da divisa com o Estado do Espírito Santo e a 27 km do Estado do Rio de Janeiro estão as cidades de Carangola e a pequena Faria Lemos. Carangola tem uma população de aproximadamente 35 mil habitantes, dos quais cerca de 75% professam a fé católica. Faria Lemos tem, segundo dados do IBGE, cerca de 4 mil habitantes. O nome Carangola não tem um significado preciso. Conta a tradição que, no passado, os índios da região pintavam o rosto com tintas coloridas, ficando parecidos com a galinha D'Angola, dando origem ao nome da cidade. Faria Lemos é o nome do engenheiro construtor da estação ferroviária da cidade.

Carangola é formada por 2 paróquias: a de Santa Luzia e a de Nossa Senhora Aparecida, cuja igreja matriz é uma réplica do Santuário Nacional; a outra paróquia, dedicada a São Mateus está na cidade de Faria Lemos. Estas paróquias estão organizadas em 35 comunidades eclesiais, das quais 4 surgiram com as Santas Missões. Na Pré-Missão foram organizados 280 Setores Missionários, coordenados por cerca de 600 evangelizadores missionários.

Foto de: reprodução.

Cidade de Carangola em Minas Gerais

Vista da cidade mineira de Carangola, terra de missão redentorista desde maio passado.  

 

Tempo de Organização

Como toda missão realizada pelos missionários redentoristas, também em Carangola e Faria Lemos tivemos, inicialmente, uma fase de organização, realizada em duas etapas: a Missão da Visitação e a Missão nas Famílias, iniciadas no primeiro final de semana de julho.

Irmã Teresa Mendonça, que soma uma experiência de 36 anos de trabalho missionário com os redentoristas fala que "esta fase é a base de toda a ação missionária", assentando os fundamentos para as etapas posteriores. Na verdade, diz ela, "passando o tempo forte da pregação missionária, a estrutura criada nas fases iniciais é o que permanece como subsídio para a ação missionária a ser continuada na paróquia".

Já para o padre Jamir, pároco da Paróquia-Santuário de Santa Luzia, a mais antiga e tradicional da cidade, acredita que "a Missão é a hora da Graça de Deus" e que por isso mesmo "já se percebem diversas e belas conversões", inclusive "de pessoas que haviam abandonado a fé católica e que agora estão retornando ao seio da comunidade eclesial", completa. 

Unidos em Cristo

Na terceira etapa das Santas Missões, que começou no último dia 6 de agosto, Festa da Transfiguração do Senhor, foram realizadas atividades em todas as comunidades dos dois municípios, começando pela zona rural, passando pelos bairros da periferia até chegar às maiores comunidades, que se encontram na região mais central das duas cidades.

A equipe missionária, formada por 19 padres e 1 irmão religioso, além das duas irmãs que já estão em Carangola e Faria Lemos desde o dia 30 de maio, tem a participação de 10 estudantes redentoristas de diversas unidades do Brasil que neste ano realizam o seu noviciado na cidade de Tietê, SP.

Para o noviço Wendel da pertencente à Vice-Província de Recife, que está realizando o trabalho de evangelização nas escolas, tem sido "muito gratificante estar no meio do povo" e define essa oportunidade como "uma experiência ímpar". O missionário noviço destaca ainda a participação dos adolescentes e jovens nas atividades, bem como o carinho e a acolhida do povo das comunidades que "tem uma disposição à toda prova e não sabe medir esforços para que a boa mensagem seja anunciada".

Aos estudantes-noviços ficou a responsabilidade de visitar quase todas as escolas das cidades, sobretudo, aquelas de ensino médio e fundamental que abriram as portas aos redentoristas. Por outro lado, especialmente na última parte da 3ª fase das missões, se fará um trabalho especial com a juventude, sob a coordenação do padre Anchieta, integrante da Equipe Missionária de Araraquara.

Foto de: arquivo.

equipe_missionaria_e_parocos_carangola_2c_mg_001

Equipe missionária formada por missionários, noviços e irmãs redentoristas. 

 

Celebrações, encontros especiais com os diversos grupos humanos, caminhadas ao raiar do dia, procissões, visitas aos doentes e idosos, além de uma forte presença nos Meios de Comunicação da cidade marcam o dia a dia das Santas Missões. E como já é tradição, no dia 24 de agosto, último dia do encerramento da terceira fase, se fará o levantamento do Santo Cruzeiro, que ficará como marco das missões e recordação do compromisso de "ser uma Igreja formada por discípulos-missionários", compromisso agora renovado com a graça das Santas Missões.

Em tempo: As últimas missões aconteceram em Carangola no ano de 1960, pregadas pelos missionários da Província do Rio de Janeiro que entronizaram o ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro em todas as igrejas onde aconteceram, naquele tempo, as missões. Por isso mesmo, ainda hoje é muito forte esta devoção em todo o povo das comunidades.

 

Padre Inácio Medeiros, C.Ss.R.
Equipe de Comunicação
Santas Missões

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. José Inácio Medeiros, C.Ss.R. , em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.