Por Pe. Victor Hugo Lapenta, C.Ss.R. Em Notícias Atualizada em 19 MAI 2020 - 08H55

A renovação pós-conciliar na missão redentorista

Comissão do Patrimônio Histórico.
Comissão do Patrimônio Histórico.
Após o Concílio grandes renovações foram feitas no trabalho das missões.


No clima pós-conciliar os Redentoristas de São Paulo realizaram o Capítulo Geral nos anos de 1970 e 1971 com a missão de colocar todos os setores e realidades da Província em coerência com as inspirações conciliares.

Isso incluía o desenvolvimento do próprio Capítulo Geral, as novas Constituições e a redação dos Estatutos Provinciais. 

O capítulo teve cinco etapas e 87 sessões, com intervalos para aprofundamento nas comunidades e setores de atividades.

A etapa de número quatro dedicou-se à pastoral. Os capitulares tiveram que refletir sobre divergências e não conseguiram apontar o que devia ser mantido, abandonado ou modificado ou quais renovações acolher. Criou-se o Secretariado de Pastoral com três elementos para que se solucionasse o impasse e organizasse o setor pastoral provincial.

Os Estatutos Provinciais trouxeram apenas o princípio geral do trabalho em comunidade e declararam que todos os trabalhos iriam ter continuidade.

Os Capítulos de 75 e 80/81 retrabalharam o tema pastoral com algum fruto. Em seu conjunto o Capítulo Provincial de 70/71 foi um alicerce atualizador da Província. Ele apontou a direção e, depois dele foram dados passos.

Leia MaisConheça o redentorista que foi diretor espiritual de um santo papaEstudo reúne províncias redentoristas em vista da reestruturaçãoA renovação foi acontecendo ao longo dos anos, nos discursos teológico-pastorais, nas remodelações das estruturas, nas práticas do dia-a-dia até o momento atual, como por exemplo:

- A equipe missionária em amplas e ricas sessões nos anos seguintes atualizou as missões paroquiais. Em lugar do tradicional “Salva tua alma”, seu lema passou a ser: “Unidos em Cristo, com Maria, para viver e crescer em comunidade”. As três equipes missionárias e do Conselho Missionário, ganharam maior autonomia perante os superiores das casas. As missões passaram a ter o temário atualizado em linha querigmática, com mais etapas, participação dos Irmãos e das Irmãs Missionárias, de coordenadores e auxiliares, de grupos de oração e reflexão familiar, criação de pequenas comunidades. E assim por diante.
- Foi criado o Secretariado de Pastoral Vocacional.
- A pastoral, principalmente a das periferias, passa a ter um lugar central na programação das etapas de formação (Rubiataba, Pueblinha, Mauá e Cidade Tiradentes).
- São assumidas paróquias de periferia, comunidades são inseridas nos meios populares, há contatos e atuação com as CEBs.
- Integração dos Irmãos nas atividades pastorais.
- O clericalismo centralizador é substituído pelas participações dos leigos na Liturgia, na Pastoral e na Formação, da grande família redentorista.
- Foram criados o ITESP, o CERESP e a Comunidade de Comunicações.
- Fundação da TV Aparecida e A12.
- Criação do conjunto de atividades dos Projetos de Ação Social.

Leia os outros textos da série: 

:: Redentoristas de São Paulo: de 1894 até os dias atuais

:: Redentoristas de São Paulo: a missão antes do Concílio Vaticano II

:: Redentoristas de São Paulo: as primeiras missões

:: A influência do Concílio Vaticano II na pastoral redentorista


Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Victor Hugo Lapenta, C.Ss.R. , em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.