Por A12 Em Redentoristas Atualizada em 18 MAR 2019 - 12H58

Fundadora das Monjas Redentoristas é beatificada na Itália

Foto de: reprodução

cattedrale di foggia

Catedral Basílica de Maria Santíssima,
em Foggia. 

No último sábado (18) foi beatificada a fundadora da Ordem do Santíssimo Redentor Maria Celeste Crostarosa, na Catedral Basílica de Maria Santíssima, na Diocese de Foggia, na Itália. A solene celebração da beatificação foi presidida pelo cardeal Angelo Amato, prefeito da Congregação para a Causa dos Santos.

Mística e fundadora da Ordem do Santíssimo Redentor, a religiosa também inspirou Santo Afonso Maria de Ligório na fundação da Congregação do Santíssimo Redentor.

Concelebraram diversos bispos e sacerdotes, na presença de uma multidão devota que acompanhou toda a celebração. Também esteve presente um grande número de Irmãs Redentoristas de todo o mundo, que assistiram emocionadas a cerimônia. Em sua homilia, o purpurado recordou as virtudes heroicas da nova beata. Ela também foi lembrada durante o Angelus deste domingo (19) pelo Papa Francisco: “Madre Maria Celeste Crostarosa, com seu exemplo e sua intercessão, nos ajude a configurar toda nossa vida a Jesus nosso Salvador.”, afirmou o Pontífice.

O Brasil abriga dois mosteiros da Ordem do Santíssimo Redentor, um em Itu (SP), e outro em São Fidélis (RJ). Irmã Maria Goreti, O.Ss.R, vive na clausura do interior paulista, e mesmo longe da Itália se mostra feliz com a beatificação de sua mãe espiritual. “Nós estamos felizes, porque Deus foi glorificado em nossa Madre e, porque a Igreja reconheceu suas virtudes. Me emociono em ver esta graça acontecer, porque muitas de nossas irmãs se foram sonhando em ver nossa fundadora ser elevada á honra dos altares e não tiveram esse privilégio que nós temos hoje.”, afirma a religiosa.

Ainda segundo a Irmã, a ligação entre a nova beata e a Congregação do Santíssimo Redentor se dá desde o momento da fundação. “Madre Celeste inspirou Santo Afonso a fundar a Congregação. Ela sentiu, por ordem de Deus, que o então padre de Nápoles deveria estar à frente dessa grande obra, que viria depois a se realizar e que hoje está espalhada por todo o mundo, inclusive em Aparecida, onde os padres cuidam do Santuário Nacional”.   

Brasil

O Santuário Nacional de Aparecida celebrou a beatificação da fundadora das Monjas Redentoristas no domingo (19), na Missa das 18h, transmitida pela TV Aparecida. A cerimônia foi presidida pelo reitor, padre João Batista de Almeida e contou com a participação da comunidade redentorista do Santuário.

Já a Comunidade das Monjas Redentoristas de Itu (SP) realizou entre os dias 26 e 29 de junho, um Tríduo em ação de graças pela beatificação.

celesteCronologia da Vida de Madre Celeste

31 de outubro de 1696: Nápoles. Nasce Maria Celeste, 11ª filha do casal Dr. Giuseppe Crostarosa e Paola Batista Caldari.
1º de novembro de 1696: é batizada e recebe o nome de Giulia Marcela Santa.
16 de abril de 1718: juntamente com sua irmã Úrsula, entra no Carmelo de Marigliano.
21 de novembro de 1718: recebe o hábito religioso Carmelitano e o nome de Ir. Maria Cândida do Céu.
21 de novembro de 1719: Ir. Maria Cândida faz sua Profissão Religiosa na Ordem Carmelita.
21 de outubro de 1723: tendo a Igreja local tomado a decisão de fechar o Carmelo, deixam o mesmo, as irmãs Crostarosa, para ingressarem em outro mosteiro.
26 de janeiro de 1724: Ir. Maria Cândida chega ao Mosteiro de Scala.
9 de fevereiro de 1724: Irmã Maria Cândida recebe o hábito Religioso da Visitação e o nome de Irmã Maria Celeste.
25 de abril de 1725: recebe a revelação da Ordem do Santíssimo Redentor.
5 de setembro de 1730: primeiro encontro entre Irmã Maria Celeste e Padre Afonso Maria de Ligório.
13 de maio de 1731: Domingo de Pentecostes – Fundação, princípio da Ordem do Santíssimo Salvador.
6 de agosto de 1731: juntamente com as primeiras Redentoristas, recebem o hábito da Ordem.
1733-1735: A pedido do Bispo de Pareti reforma o Convento da Anunciação e a nomeia priora do mesmo.
1735-1738: com suas duas irmãs, inicia o “Conservatório Mater Domini”, eclesiasticamente dependente da Abadia da Santíssima Trindade de Cava, no qual vivem, tanto quanto possível, as normas e estilo de vida da revelação de Scala.
17 de janeiro de 1738: Mons. Falcoia, Bispo de Troia e Foggia, concede a bula para a fundação de um Mosteiro em Foggia.
9 de março de 1738: Fundação do Mosteiro de Foggia, ocupam provisoriamente o Colégio de Orti, dos Padres Jesuítas.
4 de outubro de 1739: Madre Maria Celeste, Irmã Iluminata e seis jovens vão para o Mosteiro definitivo em Foggia.
8 de julho de 1750: O Sumo Pontífice Bento XIV aprova a Regra da Ordem e troca o nome de Santíssimo Salvador para Santíssimo Redentor.
14 de setembro de 1755: Falece Madre Maria Celeste, com a idade de 59 anos, às 15h. Em Foggia escreve a Autobiografia que manifesta bem claramente sua evolução espiritual. Morre no dia em que a Igreja celebrava a Festa da Santa Cruz.

Oração

Confiantes em vossa intercessão e sustentados pelo exemplo de vossa vida, nós vos invocamos, ó Beata Madre Maria Celeste. Vós que conhecestes o Cristo Redentor como Palavra de vida no seu Evangelho, vós que o assimilastes como Salvador na contemplação de seus mistérios, vós vos revestides dele como viva memória na participação na Eucaristia, obtende, para quem busca a verdade a paz, a graça de encontrá-lo na misericórdia da Igreja, na alegria fraterna e na caridade para com os pobres e sofredores. Assim todos se encontrem unidos no abraço do amor do Pai. Amém. 

Nihil obstat
Vincenzo Pelvi
Arcebispo de Foggia-Bonino
3 de março de 2016

2 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por A12, em Redentoristas

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.