Por Pe. Sebastião dos Reis dos Santos, C.Ss.R. Em Redentoristas

Queres a paz? Cuida da criação!

Com este título, quero refletir sobre a natureza, enquanto ela nos mostra o caminho da perfeição. Com a sua sabedoria, ela segue a sua trajetória natural de vida, sempre mudando e recriando as suas ações, conquistando, oferecendo espaços físicos, para que a vida não perca a sua naturalidade.

Natureza obra de Deus

Santo Agostinho afirma: “O primeiro livro que Deus escreveu; a natureza e a criação”, demonstrando e mostrando para todo ser vivente que é preciso buscar esta harmonia com a vida, em seu habitat natural, para que esta paz, tenha origem e fim na dinâmica da história. Não há uma dissociação entre o mundo da paz interior e exterior, ambas buscam a mesma paz que esteja em união com a criação, a vida criada e desenvolvida no seu ambiente social, humano, cultural e familiar, no qual acontecem as relações de paz. Nesta busca incessante da paz no planeta, se faz necessária e imprescindível a união das forças humanas e da criação, para que a paz não seja apenas uma idéia projetada pelo ser humano, mas uma realidade que se concretiza no coração das pessoas e da história.

A criação é o legado mais sublime que o ser humano herda do próprio Deus, como reconhecimento e proposta do Criador para que a valorização da vida humana em sintonia com a paz seja o resultado desta ação conjunta. Em todos os tempos e épocas, quando se nota o empenho do ser humano em cultivar a vida na sua dimensão antropológica e a natureza ecológica como participante do equilíbrio ambiental; os resultados desta combinação de atitudes sempre beneficia o planeta e a paz mundial.

Infelizmente ainda não se tem uma consciência coletiva de compromissos, ficamos contemplando apenas atitudes isoladas de pessoas de bem, algumas Ongs que se esforçam e lutam pela paz no mundo e na natureza. Este é o momento de reunir e unir todos os seguimentos sociais, promover e provocar uma ação coordenada de forças humanas e científicas para salvar o planeta e as suas riquezas naturais concernentes às suas diversas formas de vida.

A paz que todos nós aspiramos deve ser o fruto de atitudes conscientes, as quais procurem imiscuir-se de qualquer mesquinhez, orgulho, autoritarismo, consumismo interesseiro, para que atinja o seu objetivo e se consolide plenamente. É preciso trabalhar as mentes e os corações das pessoas para incutir no interior de cada ser humano, uma cultura de paz, cujo fundamento seja a presença do amor incondicional pela vida e pelas pessoas. Com esse descaso das autoridades e das pessoas com relação ao cuidado com a natureza a tendência para as próximas décadas é piorar, com o agravamento do aquecimento global. Este descontrole climático já é perceptível no momento atual, com este calor insuportável presente em todas as partes do planeta, principalmente no Brasil que era considerado um país tropical.

 

"Se a humanidade aspira pela paz, é preciso cuidar de si e da natureza, colocando Deus em primeiro lugar em seus anseios..."

Atualmente não se tem mecanismos que possam monitorar a natureza com precisão, através dos meios científicos e técnicos, como se fazia até pouco tempo; o homem e a natureza perderam o controle das suas ações, vitimando a própria pessoa humana que não a respeitou ao longo da sua convivência. Na perspectiva de Deus, a natureza, como obra do criador, é expressão e concretização da paz que Deus determinou, realizou e continua realizando no coração da humanidade criada e criadora.

A paz será o fruto do empenho, dedicação e esforço daqueles que acreditam na vida, na natureza como fonte inesgotável desta graça e da presença de Deus. 

Hoje, urge uma maior consciência dos valores humanos, e, a importância da natureza como aliada neste conjunto de iniciativas que o mundo, a sociedade civil, os seguimentos sociais, as instituições religiosas e não religiosas, procurando hoje e sempre unificar as forças: para a construção de uma cultura de paz que é tarefa de todos nós no compromisso do bem comum. A criação, o mundo, a natureza, o próprio ser humano; estamos caminhando para um fim indesejado por todos na perspectiva humana, porém, não se nota nenhuma iniciativa por parte das pessoas para reverter este quadro. Deus está presente na história, cuidando de todas suas criaturas, a sua ação e presença é incontestável na história da humanidade de ontem, hoje e sempre.

Se a humanidade aspira pela paz, é preciso cuidar de si e da natureza, colocando Deus em primeiro lugar em seus anseios e pretensões, tendo como referência a vida e seus valores inerentes a cada ser humano, autor e ator desta paz que o planeta busca, na criação, na criatura e no Criador.

 

Pe. Sebastião dos Reis dos Santos, C.Ss.R. 
Equipe Missionária de Araraquara (SP)

4 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Sebastião dos Reis dos Santos, C.Ss.R., em Redentoristas

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.