Por Elisangela Cavalheiro Em Redentoristas

Redentoristas da Albânia recebem Papa Francisco neste domingo

Visita apóstólica à terra de Madre Teresa de Calcutá

No próximo domingo (21), o Papa Francisco irá visitar Tirana, capital da Albânia, país que viveu durante longos 40 anos o regime do comunismo e com ele a proibição de qualquer prática religiosa. Essa realidade começou a tomar novos rumos com a queda do muro de Berlim, em 1989. De lá para cá, a Igreja católica recomeçou um árduo trabalho evangelizador nessas terras.

Papa Francisco, ao comentar a quarta visita apostólica internacional, disse que ela pretende ser uma "homenagem" ao povo que sofreu com esse regime tendo que viver sob a declaração de ateísmo do Estado até mesmo em sua Constituição.

Foto de: reprodução. 

Estátua de Madre Teresa em Tirana

Estátua de Madre Teresa na praça principal
da capital albanesa, que leva seu nome.

Na Albânia nasceu uma das mulheres mais importantes da Igreja em sua história recente, Madre Teresa de Calcutá. Os albaneses têm muito orgulho da religiosa, tanto que o seu nome foi destacado no aeroporto, na praça principal da capital e em um hospital. 

Nesse país, às vésperas da visita do Papa Francisco, a Congregação do Santíssimo Redentor deu início a uma nova comunidade religiosa. No último dia 10 de setembro, três religiosos da Conferência Redentorista da Europa - Laureano (Espanha), Andrzej (Polônia) e Dominic (Inglaterra) - foram enviados para assumir esse novo desafio evangelizador. Os três Missionários Redentoristas devem assumir a nova missão privilegiando o atendimento às pessoas mais pobres e abandonadas. 

Segundo o padre Jacek Dembek, C.Ss.R., um dos membros do Conselho Geral de Comunicação da Congregação, a "Europa, já velha e com poucas vocações, dá esse passo de colaboração e solidariedade missionária com grande esperança. Rezemos por estes nossos confrades!", assinalou em nota. 

Foto de: Província Espanhola.

Religiosos da nova comunidade na Albânia

Os missionários no dia de seu envio; padres chegaram ao país no dia 13 de setembro. 

 

A religião católica na Albânia e outras informações sobre o país: 

O doutor em Ciências Sociais Fernando Altemeyer Junior, do Departamento de Ciência da Religião da PUC-SP, fez uma pesquisa sobre esse país. Segundo o professor, os católicos somam quase 16%, ou seja, 510.462 batizados. São duas as sedes metropolitanas e quatro dioceses, sendo atendidas por nove bispos, incluído o núncio apostólico. A Albânia conta com uma população de 3.206.420 habitantes. 

No país destacando os ministérios e serviços prestados pela Igreja, atuam: Padres: 154 sendo 97 destes religiosos; Diácono permanente: 1; Irmãos consagrados: 14; Religiosas: 495; Membro de instituto secular: 1; Missionários leigos: 25; Catequistas: 317 e Centros de atendimento pastoral: 138.

Os muçulmanos são a grande maioria no país, somam 65%. A segunda religião com mais adeptos é a Igreja ortodoxa com 20% da população. 

Os albaneses chamam a si mesmos de skipetars, “moradores das terras altas”. O país tem dois terços de seu território formado por montanhas e clima mediterrâneo sendo quente e seco no verão e moderado e úmido no Inverno. Faz fronteira com a Grécia (282 km), com o Mar Mediterrâneo (362 km), com Montenegro-Kosovo (173 km) e com a Sérvia (114 km). 

A população tem expectativa de vida de 74 anos. As regiões urbanas concentram quase 45% dos albaneses. No país fala-se três línguas: albanês, grego e macedônio.

Foto de: reprodução. 

Praça Madre Teresa de Calcutá na Albânia

Praça Madre Teresa de Calcutá, principal de Tirana, onde o Papa celebrará a Santa Missa. 

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Elisangela Cavalheiro, em Redentoristas

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.