Por Pe. Ademir Gonçalves, C.Ss.R. Em Redentoristas Atualizada em 03 ABR 2019 - 15H45

Tempo de agradecer: “Mãe, basta que me olhes”

perpetuo_socorro_jubileu

2016: Um ano de graça do Senhor!

Neste contexto, torna-se compreensível o costume dos judeus, que tem início no Antigo Testamento e reencontra a sua continuação na história da Igreja. Um dia, Jesus de Nazaré, tendo ido à sinagoga de sua cidade, levantou-se para ler. Foi-lhe entregue o livro do profeta Isaías onde leu o seguinte: ´O Espírito do Senhor está sobre mim porque me ungiu para anunciar a Boa Nova aos pobres; enviou-me para proclamar a libertação aos cativos e aos cegos, o recobrar da vista; a mandar em liberdade os oprimidos; a proclamar um ano de graça do Senhor” (Carta Apostólica Tertio Millenio Adveniente- São João Paulo II). 

O Papa Francisco proclamou o Ano Jubilar da Misericórdia, a partir do lema: “Sejam misericordiosos como o Pai” (Lc 6, 36). Ano de receber e dar o perdão. 

A Congregação do Santíssimo Redentor celebra o Jubileu dos 150 anos da entrega do Ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro aos missionários redentoristas. Preciosa herança recebemos do alto da cruz: “Eis aí a sua mãe” (Jo 19,27) e, em 1866, mandato a cumprir: “ Façam-na conhecida” (Pio IX ). 

No dia 26 de junho de 2016, estaremos encerrando em São João, o jubileu dos 150 anos. Lembremo-nos da proposta para o encerramento do jubileu. Celebração eucarística às 16h00, transmitida pela TV Aparecida, contando com a participação de todas as comunidades da província. 

Santuário do Perpétuo Socorro em São João da Boa Vista

Em São João da Boa Vista, 75 anos já são passados. 

Assim escrevi aos paroquianos: 

Que alegria quando me disseram: vamos à casa do Senhor” (Sl 122, 1)

No jubileu, entramos em clima de ação de graças e aqui, “na cidade dos crepúsculos maravilhosos”, também um momento especial, digno de ser lembrado e celebrado. É o Jubileu dos 75 anos do lançamento da pedra fundamental do Santuário, carinhosamente conhecido como “Igreja do Perpétuo”.

A origem do Santuário foi assim: “Aos 17 de março de 1939, o padre Geraldo Pires de Souza, superior dos redentoristas, chegava a São João da Boa Vista, em visita a Monsenhor Vinheta. Tinha o objetivo de expor ao vigário o plano de se fundar uma casa redentorista nesta cidade. Encontrou caloroso apoio. O Padre Geraldo Pires acrescentou que a congregação pretendia obter uma igreja própria, com a invocação de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Agradando-se da cidade, os redentoristas logo pensaram numa casa missionária e talvez para o futuro, o seminário para a Filosofia e Teologia. O ano de 1939, e a metade de 1940, dedicam-se à escolha do futuro terreno para a fundação. Deram preferência a um terreno entre a Rua São João e o caminho da Prata, de propriedade do Senhor Antonio Cabral. Iniciaram-se as negociações, ficando a paróquia de nos dar um alqueire, a família proprietária outro e o restante seria comprado. Desde o começo, sua Excia. Dom Alberto Gonçalves, bispo de Ribeirão Preto, mostrou-se interessado pela fundação. A licença oficial do bispo para a Congregação foi dada aos 23 de setembro de 1939. Em 06 de junho de 1940, o Padre Barros e o Irmão Baltazar chegavam a São João. Foram morar numa casa alugada, número 78, Largo do Rosário, e tomaram conta da igreja próxima. No dia 18 de junho, veio o Padre Geraldo Pires de Souza, trazendo o quadro de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, cedido pelas irmãs Vicentinas, da Penha, em São Paulo. No dia 19 de março de 1941, foi colocada a pedra fundamental do Santuário de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e de nossa residência. São os engenheiros: Francisco Azevedo, Tito Travassos, executores, e projetista Dr. Benedito Calixto Filho. Aos 23 de novembro de 1941, deu-se a bênção e a inauguração da parte construída da igreja e do convento” (Texto extraído da crônica da comunidade).

 É tempo de louvar e agradecer! 

Nosso agradecimento dar-se-á através de uma novena celebrada de 10 a 18 de março, sempre às 19h30, contando com a presença de alguns confrades que por aqui passaram. Dia 19, dia oficial do lançamento da pedra fundamental e também dia de São José, teremos solene Eucaristia. 

Será uma celebração para a comunidade local, mas não resta dúvida, sintam-se convidados. Aproveitaremos a celebração do dia 26 de junho, para nos unir enquanto província e agradecer a Deus pelos 75 de uma história, mesmo porque, dia 20 de março é dia de Ramos e início da Semana Santa. 

A missão é a mesma: a de Jesus, na qual Maria, ao dizer seu sim, lançando-se toda nos braços de Deus, colaborou grandemente e no contexto do ano jubilar, ela continua sussurrando aos nossos ouvidos as mesmas palavras que saíram de seus lábios quando das bodas de Caná: “Façam o que ele mandar” (Jo 2, 5). 

Contemplando o seu quadro sacrossanto, contemplamos Aquele que é para nós, bênção e norte da nossa história: Jesus, nosso Santíssimo Redentor! Na contemplação vamos nos refugiando na prece quase que inaudível, porque precisamos recomeçar, dar passos, pois, a história continua... 

Mãe! Basta que me olhes! 

Padre Ademir Gonçalves, C.Ss.R.
São João da Boa Vista
Pela Comissão do Jubileu

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Ademir Gonçalves, C.Ss.R., em Redentoristas

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.