Por Redentoristas Em Notícias Atualizada em 01 AGO 2018 - 14H54

Santo Afonso fundou congregação para propagar compaixão

Fábio Silva.
Fábio Silva.
Missa de Santo Afonso reúne religiosos e devotos no Santuário Nacional de Aparecida

Santo Afonso Maria de Ligório morreu há 231 anos e seu legado continua vivo na presença dos milhares de missionários redentoristas espalhados pelo mundo. 

Hoje (01), dia que a Igreja recorda sua festa, os Missionários Redentoristas presentes no Santuário Nacional de Aparecida celebraram sua memória lembrando que ele foi o missionário da esperança, da ternura e da fraternidade junto aos mais abandonados. 

O reitor do Santuário Nacional, Padre João Batista de Almeida disse que quando Santo Afonso fundou a Congregação dos Missionários Redentoristas, em 1732, no Reino de Nápoles, na Itália, ele desejava que os seus religiosos fossem ao encontro dos que mais precisavam da mensagem da Salvação e da misericórdia de Deus. Santo Afonso ao conhecer os cabreiros, os pobres que moravam nos campos, sentiu compaixão por eles e isso o motivou a fundar uma ordem religiosa que estivesse junto a esse povo.

"Foi ali que aquele jovem sacerdote assumiu um trabalho missionário junto com outros que assumiriam essa proposta de viver a compaixão. Viver a redenção é tirar a pessoa da situação de miséria material e espiritual. É isso que Afonso quis e essa é a proposta da Congregação do Santíssimo Redentor", assinalou o reitor na homilia. 

Fábio Silva.
Fábio Silva.
Missa de Santo Afonso reúne religiosos e devotos no Santuário Nacional de Aparecida

Por isso, a ação dos missionários redentoristas é dirigida aos pobres que estão em regiões de população abandonada pastoral e socialmente, principalmente através das missões, retiros espirituais, pastoral nos Santuários e Paróquias, e pelos meios de comunicação.

Padre João Batista recorda ainda que esse ideal trouxe os missionários redentoristas para o Brasil. "O povo vinha para Aparecida, mas não tinha padres para atender o povo. Por isso, os bispos foram buscar os missionários redentoristas que vieram para o Brasil, em Aparecida, e onde hoje é o Santuário do Divino Pai Eterno, em Goiás". 

Santo Afonso, além de grande missionário, foi também escritor, músico, poeta e pintor. Dentre seus escritos se destacam as obras: Glórias de Maria e a Prática de Amor a Jesus Cristo.

"E hoje, neste mundo pós-moderno o nosso grande desafio é ser ‘testemunhas do redentor, solidários para a missão num mundo ferido’”, finalizou o sacerdote. 

Durante a missa, os padres e irmãos redentoristas renovaram os votos de pobreza, castidade e obediência e o voto de perseverança, e ao final, cantaram em latim a oração do Salve Regina.

:: O cantor das glórias de Maria

:: Santo Afonso: a melhor forma de retribuir o amor é amando


4 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redentoristas, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.