Por Pe. Anchieta Tavares, C.Ss.R. Em Palavra Redentorista

Minha vida na Missão

O que segue neste escrito pode servir de lição
Não é obra de um perito, mas de um simples cidadão
São relatos de uma história que merece atenção
Não tem sucesso nem glória, mas muita dedicação
Eu resolvi escrever o meu jeito de viver
Minha vida na Missão.

Sou cearense da peste, nascido lá no sertão
Abandonei o nordeste ainda bem garotão
Me instalei em terra estranha, enriqueci o patrão
A pobreza era tamanha e eu não via solução
De servente a servidor, bóia fria e encanador
Topei qualquer profissão.

Vivi bom trecho da vida como proletariado
Enfrentei bem cedo a lida, nunca fui desocupado
Preservei a juventude, pra não ser mal afamado
Selecionei atitudes e sempre agi com cuidado
Eu sempre quis ser direito, às vezes não tinha jeito
E escapava algum pecado.

Fui passando como o vento, construindo a minha estrada
Com esforço e sofrimento tocava em frente a jornada
Sonhava e fazia planos junto com a namorada
Pensava em poucos anos ter a família sonhada
Mas Deus quis me conquistar, lançou-me um profundo olhar
SIM! Foi a resposta dada.

Parti sem olhar pra trás, com dores no coração
Lá se foi o bom rapaz numa nova direção
Deixando casa e família saí acenando a mão
Fui construir nova trilha nos prados da vocação
Com fé e muita alegria hoje gasto o dia a dia
Atuando na Missão.

Vivo com simplicidade, não alimento ambição
Já passei daquela idade de sonhos e ilusão
Como qualquer alimento, não faço escolha de pão
Pois quem me dá o sustento sempre o faz de coração
Falo, com toda certeza, que a minha maior riqueza
É ser Padre na Missão.

Meu salário não condiz com minha graduação
Mesmo assim vivo feliz e não faço objeção
Às vezes, pela fraqueza, esboço reclamação
Mas eu sei que a pobreza enobrece o cristão
Aprendendo e ensinando, caindo e me levantando
Assim sou eu na Missão.

Eu não sou Padre da fama e nem da badalação
A humildade é a chama que aquece o meu coração
Procuro ser verdadeiro quando faço a pregação
Pra ser mais leve o roteiro sempre uso uma canção
Com meu violão no peito, vou vivendo do meu jeito
Minha vida na Missão.

Sempre falo de acolhida, jamais neguei o perdão
A pessoa arrependida busca a sua conversão
Pra que um Deus justiceiro, impiedoso e durão?
Jesus Cristo é companheiro e quer nossa salvação
É desse Pai Criador que falo com muito amor
Para o povo na Missão.

Assim é meu dia a dia na cidade e no sertão
Caminhando com Maria, segurando em sua mão
Renovo a comunidade, chamo o povo para a ação
Convoco a sociedade para a vida de cristão
Do mais novo ao mais velho vou levando o Evangelho
Esta é minha Missão.

Clique e conheça as Missões Redentoristas.

Escrito por
Pe. Anchieta Tavares, C.Ss.R. (Arquivo Redentorista)
Pe. Anchieta Tavares, C.Ss.R.

Redentorista, membro da Província de São Paulo, músico, compositor, tendo já diversos CDs gravados. Integra a Equipe Missionária Redentorista

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Vanessa da Silva, em Palavra Redentorista

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.