Por Ir. Marco Lucas, C.Ss.R Em Palavra Redentorista

O irmão redentorista

Thiago Leon
Thiago Leon

A Vida Religiosa Consagrada foi iniciada por leigos e não por sacerdotes, como muitas vezes pensamos. Iniciou-se com Santo Antão, São Pacômio, São Bento, São Francisco dentre outros que, encantados pelo Evangelho e querendo dar um novo vigor à Igreja, elaboram uma nova forma de viver a radicalidade do chamado de Deus e do Evangelho.

Os leigos sempre foram chamados a serem protagonistas e participantes do mistério de Jesus. Com a inspiração do Espírito Santo, homens e mulheres, desejosos de poder contribuir com a obra redentora, fundaram institutos, congregações e ordens religiosas.

Logo no início, a Vida Consagrada formada por homens não tinha em seu meio a figura sacerdotal, de modo que todos eram homens leigos consagrados, conhecidos atualmente como ‘religiosos irmãos’.

Afinal, o que é ser irmão?

A palavra Irmão vem do latim germanus, que quer dizer “filho verdadeiro”. Já para o cristianismo, esse sentido não perdeu valor, não se tornou menos importante, mas herdou o significado de fraternidade.

Quando lemos o versículo escrito pelo evangelista Mateus: “E todos vocês são irmãos” (Mt 23,8), percebemos que em Cristo, independentemente de nossas mazelas e também de nossas virtudes, somos reconhecidos como irmãos, filhos do mesmo Pai, o Abbá. E Jesus recorda-nos isso, rezando: “Pai nosso que estais nos céus...” Ele proferiu essa linda oração para ensinar aos seus que Deus não é um pai exclusivo de apenas um indivíduo, um grupo (singular), mas nosso, de todos os povos e nações (plural). É uma recordação que Jesus faz aos seus discípulos, e também a nós, que os procederíamos.

O sentido de irmão, ao longo dos tempos, foi ganhando diversas conotações, não perdendo o seu sentido ápice: o de fraternidade. No início dos primeiros séculos, alguns cristãos não satisfeitos com o modo com que estavam vivendo o Evangelho de Cristo, decidiram vivê-lo de modo mais radical, deixando a vida normal e buscando consagrar-se totalmente a Deus.

O Irmão Consagrado é, portanto, um partícipe da Igreja, não participando da hierarquia, mas contribuindo ardentemente com a missão salvadora e libertadora de Jesus Cristo. Ele é uma porção do povo de Deus. Mesmo não participando da hierarquia, ele não é menor do que um sacerdote ou um bispo, mas tem uma vocação particular; sendo assim, tem um ministério a dedicar-se durante a sua consagração e vida. Podemos dizer que a Vida Religiosa Consagrada é fundamentalmente laical.

Desde a origem da Congregação

Esse grupo de homens e de mulheres denominado irmãos e irmãs, ganharam esse nome porque estavam em relação, em grupo. Foram pessoas capazes de acolher a Palavra de Deus e pô-la em prática, testemunhando a diaconia (serviço) à comunidade. Foram e continuam sendo partícipes do mistério do Redentor e de sua Igreja, ajudando os outros irmãos a viverem plenamente a fé professada quando assumiram o batismo.

Em 1732, Santo Afonso, ao fundar sua Congregação Redentorista, preocupou-se com a presença de irmãos leigos em sua obra. Ele sabia a importância e a necessidade para a comunidade a presença do religioso irmão.

Logo no início da fundação da Congregação nela ingressou o Víto Curzio para compor a comunidade, sendo o primeiro irmão redentorista. Víto não era um jovenzinho menos inteligente, mas um jovem convicto de sua vocação. Tinha anseio e razões que o levaram a assumir por inteiro o ser irmão redentorista. Era um advogado importante em sua região.

Mas o que levou Curzio a tornar-se irmão, sem sombra de dúvida, foi a clareza de seu chamado, a sua busca incessante de fazer a vontade de Deus.

A partir de Víto Curzio até os dias hodiernos, muitos jovens ingressam na Congregação Redentorista para se tornarem irmãos. Não é uma vocação de baixo escalão, mas é uma vocação que tem o seu sentido, a sua razão de ser e de viver o Evangelho de Jesus Cristo, recordando sempre aos confrades clérigos o sentido da vida consagrada, da fraternidade, da missão no mundo e do dom que cada redentorista recebe enquanto mistério de Deus, o nosso Redentor.

:: Quem é o Irmão Missionário Redentorista?

Escrito por
Marco Lucas cssr
Ir. Marco Lucas, C.Ss.R

Mineiro de Extrema. Em 2016 realizou o seu ano de noviciado em Tietê (SP) é bacharel em Administração e no momento integra a Comunidade do Alfonsianum, localizada no Bosque da Saúde, em São Paulo. Estuda teologia no ITESP e compõe a Comissão Redentorista da Juventude, acompanhando mais de perto os trabalhos da JUMIRE, Juventude Missionária Redentorista.

4 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redentoristas, em Palavra Redentorista

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.