Por Padre Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R Em Notícias

Homilia 5º Domingo Comum

Padre Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R

 

“Brilhe a vossa luz”

 

Missão de testemunhar

 

Jesus subiu ao monte e, como mestre, apontou os fundamentos de Sua doutrina. Mais que doutrina mostrou como Ele próprio vive. É Seu retrato falado. Assim deverão viver os filhos o Reino. Este é o sentido profundo para o cumprimento da nova lei, o modo de relacionar-se com o próximo e a exigência de uma opção do coração para entrar o Reino (Bíblia de Jerusalém – nota).

 

 

Após falar das bem-aventuranças, diz que vivendo esta nova lei, torna-se um sinal do Reino que não pode ser escondido nem ser sem sabor. Jesus diz na Ceia: “Eu vos escolhi e vos designei para irdes e produzirdes frutos” (Jo 15,16). Isso é ser sal e luz. Não é possível esconder a luz de Cristo que está naquele que crê, e ocultar o sabor de sua vida. A cidade construída sobre o monte estará sempre visível. É mais fácil ocultar o mal que fazemos que o bem que praticamos. A luz que refletimos é a de Deus. O sabor é Dele também: “Provai e vede como o Senhor é bom” (Sl 33,9).

 

O que vai dar a energia para a luz, a visibilidade para a cidade e o sabor para o sal é a vida de acordo com a vontade de Deus: “Reparte o pão como faminto, acolhe em casa os pobres e peregrinos, quando encontrares um nu, cobre-o”; Estas são atitudes para com os sofredores. Há também a orientação da própria vida apresentada pelo profeta: “Se destruíres teus instrumentos de opressão, e deixaram os hábitos autoritários e a linguagem maldosa; se acolheres de coração aberto o indigente e prestares socorro ao necessitado” (Is 58,7.9-10).

 

 

A vida cristã não é sós um ato de fé, mas “uma fé que se torna operosa na caridade” (Gl 5,6). Perde-se o rumo se ficarmos só no espiritualismo e devocionismo sem compromisso com a caridade! Uma religião alienada muito cômoda não mexe com as estruturas do pecado pessoal e estrutural.

 

 

Homeopatia espiritual

 

 

Se ocorrer em nossa vida as atitudes de atenção aos necessitados, haverá um grande resultado: “Brilhará tua luz como a aurora e tua saúde a de recuperar-se mais depressa; à frente caminhará tua justiça e a glória do Senhor te seguirá”...nascerá nas trevas a tua luz e tua vida obscura será como o meio dia” (8.10). Ser sal e luz é resultado de uma atitude pessoal. Fazer o bem nos faz bem. O bem feito aos outros volta a nós com grande força de renovação.

 

 

Não buscamos a recompensa, mas acolhemos o fruto de nossa opção espiritual. Vemos as pessoas em busca de curas espirituais através de bênçãos e outras coisas mais, quando a cura está na caridade. Isso não nos deixará livres de problemas e sofrimentos, mesmo espirituais com dificuldades e até pecados. Mas o amor para com os necessitados nos dará a saúde espiritual. No salmo encontramos a indicação: “Feliz o homem caridoso e prestativo... seu coração está tranquilo e nada teme. Ele reparte com os pobres os seus bens; permanece para sempre o bem que fez” (Sl 111).

 

 

 

Método de pregação

 

 

Paulo ensina que o testemunho não está na sabedoria das palavras, mas na coerência de vida com a Palavra de Deus. Seremos testemunhas se o espírito das bem-aventuras penetrar nossas atitudes. Paulo se faz modelo para os evangelizadores: “Quando fui à vossa cidade anunciar-vos o mistério de Deus, não recorri a uma linguagem elevada ou ao prestígio da sabedoria humana” (1Cor 2,1).

 

 

Jesus tinha essa linguagem. O povo O entendia. Papa Francisco diz a mesma coisa dos outros, mas numa linguagem nascida da experiência do povo e da sabedoria de Deus. Falar simples é um passo além da ciência. O assunto que Paulo prega é Jesus Crucificado e o poder do Espírito Santo.

 

 

Leituras:Isaias 58,7-10;Salmo 111;1Coríntios 2,1-5; Mateus 5,13-16

Ficha nº 1308 – Homilia do 5º Domingo Comum (09.02.14)

 

 

As bem-aventuranças são a nova lei e exigem uma mudança do coração para cumprir a vontade de Deus. Assim seremos luz e sal. A vida é testemunho. Continua o testemunho de Jesus. Isaias fala das atitudes concretas. A fé tem que ser operosa na caridade. Ela mexe as estruturas de pecado.

 

 

 

Essas atitudes trarão grandes vantagens de vida para nós. Fazer o bem nos faz bem. O bem que fazemos volta a nós. A caridade cura, mesmo que permaneçamos nos sofrimentos e lutando contra os pecados. O amor para com os necessitados nos dá saúde espiritual.

 

 

Paulo privilegia a simplicidade sem apelar à linguagem elevada ou ao prestígio da sabedoria humana. Paulo fala como Jesus: simplicidade. Fala de Cristo Crucificado e do poder do Espírito Santo.

 

 

 

O sal que não dá pressão alta.

 

Vós sois o sal da terra. Vós sois a luz do mundo. A fé em Jesus é como um sal que tem uma força interna de conservar, dar sabor e curar. A luz que ilumina vem do interior. Por isso não pode ficar isolado sem salgar, sem iluminar. A vida do cristão é importante para o mundo. Se não cumprir sua missão de fé e de vida, pode jogar fora. Sal sem sabor e lâmpada queimada não prestam.

 

Como vai ser sal e luz? Cuidando dos necessitados e implantando a justiça no mundo. Assim terá saúde, será atendido na oração e sua luz brilhará e sua vida será como o meio dia. Ser sal é viver na humildade.

 

 

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Padre Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.