Por Padre Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R Em Notícias

Homilia da Solenidade da Imaculada Conceição

Padre Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R

“Alegra-te cheia de Graça”

Habitação do Filho

 

 

A celebração da festa da Imaculada Conceição de Maria recorda sua presença no Mistério da Redenção e também nossa participação na graça de Deus que é dada a todos. Em Maria celebramos o Cristo Ressuscitado. O Pai deu à futura Mãe o fruto completo da redenção como garantia para todos. A oração da missa dá o sentido da festa: “Deus, que preparastes uma digna morada para vosso Filho, pela imaculada conceição da Virgem Maria”.

 

 

 

A imaculada conceição de Maria está em função de Cristo. Em Maria, Jesus pisou a cabeça da serpente (Gn 3,20). Como Deus o fez? “Preservando-a de todo pecado em previsão dos méritos de Cristo”. A Redenção que é para todos os tempos, Deus a deu a Maria em totalidade. Foi preservada do pecado original, antes mesmo de participar dele, como os demais humanos.

 

 

O livro do Gênesis mostra que o pecado não vem de Deus. Foi opção do homem e da mulher.  A graça, por outro lado, vem de Deus, como lemos em Paulo aos Efésios: “Em Cristo, Deus nos escolheu, antes da fundação do mundo, para que sejamos santos e irrepreensíveis sob seu olhar, no amor” (Ef 1,4). O privilégio de Maria pertence à Igreja que nela tem a certeza de poder ser santa e imaculada, porque acolhe a Redenção.

 

 

 

A esposa se enfeita

 

 

 

Há um sentido matrimonial na celebração: O Esposo (Deus) adorna a esposa com vestes nupciais. Destas núpcias provém a fecundidade salvífica da humanidade. Maria aparece como a bela esposa, escolhida, adornada da graça do Espírito para sempre. A beleza humana tem padrões. A beleza espiritual, que torna mais belas as pessoas tem os padrões do Espírito Santo. Por isso o Anjo diz a Maria: Salve, cheia da Graça. Isso a torna bela, como reza o salmo: “Que o rei se apaixone de sua beleza” (Sl 45,12).

 

 

Essa beleza é fruto da presença do Espírito que virá sobre ela (Lc 2,35). Dessas núpcias divinas nascerá o Filho de Deus.  Ela está cheia da Graça, pois o Senhor está com ela. É bendita entre todas as mulheres (Lc 1,42). Ela é morada divina do Senhor, o Emanuel, Deus conosco. Como Eva resume em si toda a humanidade e nos coloca todos sob o jugo do pecado, Maria, nova Eva coloca-nos sob a graça, dando-nos Jesus. Eva vivia no Paraíso. O Paraíso se formou em Maria. Com Jesus o universo recebeu a salvação, como o Salmo nos conta: “O Senhor fez conhecer a salvação e às nações sua justiça. Recordou seu amor sempre fiel pela casa de Israel. Os confins do Universo contemplaram a salvação do nosso Deus” (Sl 97).

 

 

 

Cure nossas feridas

 

 

 

Na celebração nos entregamos a Cristo Deus para que aconteça a Redenção em nós: “Concedei-nos chegar até Vós purificados também de toda culpa por sua materna intercessão” (Oração). Vivendo os sacramentos, de modo particular a Eucaristia, “somos curados das feridas do pecado original, do qual Maria foi preservada de modo original” (Pós-comunhão).

 

 

Deus tem o desígnio de salvar a todos, pois foram escolhidos de modo especial. Em Maria essa salvação acontece por pura bondade de Deus significando que Seu projeto não só não falhou, mas já se realizou em Maria. Deus quer que todos cheguem à salvação por sua colaboração. No Paraíso Terrestre o demônio ofereceu ao homem ser igual a Deus conhecendo o bem e o mal. Maria escolheu ser servidora: “Eis aqui a serva do Senhor”. É o Evangelho. O pecado não tem mais lugar na criação. A predestinação de Maria à imaculada concepção é eterna e está ligada ao amor de Redenção que Deus nos dá.

 

 

 

Leituras: Gênesis 3,9-15.20; Salmo 97; Efésios 1,3-6.11-12; Lucas 1,26-38

Ficha nº 1290 – Homilia da Solenidade da Imaculada Conceição (08.12.13)

 

 

 

 A festa da Imaculada Conceição recorda a presença de Maria na Redenção e nossa participação da graça de Deus. Deus preparou uma digna morada para Seu Filho preservando-a do pecado original em previsão dos méritos de Cristo. O privilégio é de toda a Igreja que O tem como meta.

 

 

 

Há um sentido matrimonial. O Esposo adorna a Esposa. A beleza espiritual tem os padrões do Espírito Santo. A Graça a torna bela.  Dessas núpcias nascerá o Filho de Deus. Ela é morada da divindade.

 

 

 

Entregamo-nos a Cristo para que aconteça em nós a Redenção. Vivendo os sacramentos, somos curados das feridas do pecado original. Em Maria se realizou todo o desígnio de Deus. Isto é garantia para todos. No Paraíso a serpente tentou: sereis iguais a Deus. Maria diz: eis a serva do Senhor. É o evangelho.

 

 

Efeito adiantado

A festa da Imaculada Conceição de Maria mostra-nos o quanto Deus a amou e preparou para ser a Mãe de Seu Filho Bendito e Imaculado.

 

 

A Redenção que Jesus veio nos trazer é para todos os tempos. Não é só um fato que aconteceu um dia e daí para frente mudou tudo, mas atinge tudo. Os que vieram antes puderam ser salvos. Quando rezamos que Jesus desceu à mansão dos mortos, significa que eles também foram salvos. Deste modo Maria devia ser toda pura porque o Filho de Deus não nasceria de uma pecadora. No Genesis podemos ler: “Porei inimizade entre ti e a mulher, entre tua descendência” (Gn 3,15). A mulher é inimiga da serpente porque vive na graça total, por méritos do Filho Jesus Redentor.

 

 

Adão sujou o mundo com o pecado. A partir de Maria começa a realização do novo Paraíso. Para salvar mundo, temos que fazer a vontade de Deus como Maria. Quanto mais acolhemos Jesus, mais entendemos a missão de Maria em sua Imaculada Conceição.

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Padre Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.