Por Pe. Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R. Em Notícias

Homilia do 16º Domingo Comum

Padre Luiz Carlos de Oliveira, CSsR

 

“A suave força do Reino”

O Reino cresce por si.

 

 

O que fazemos de bom pode parecer pequeno mas possui a dinâmica do Reino que cresce sem que saibamos. A força do Reino está em nosso interior onde age Deus. Deus tem paciência com nosso crescimento, por isso tenhamos paciência conosco.

Foto de: A12

homilia

 

As árvores de tronco firme crescem lentamente. Não vemos o crescimento. Podemos ter crescido muito, diante de Deus. Seremos sempre pequenos como Jesus dizia de Si (Mt 11,11). O livro da Sabedoria nos ensina que Deus tem força e domínio, mas age com indulgência, julga com clemência, governa com grande consideração. Ensina ao povo que o justo deve ser humano. A santidade de Deus nos faz mais humanos quando nos toca. A Divindade nos supera em humanidade.

 

O livro da Sabedoria nos diz: “a teus filhos destes a confortadora esperança de que concedes o perdão aos pecadores” (Sb 12,19). Jesus resume tudo isso em parábolas. Fala da semente e do fermento. Ambos têm uma força imensa contida em diminutos fragmentos.

 

Uma semente, por menor que seja, pode tornar-se uma grandiosa árvore, como vemos num eucalipto. O fermento leveda toda uma massa. Não vemos a força nem da semente nem do fermento, mas sabemos que age. Se de um pequeno grão temos tão grande resultado, imaginemos a força de Deus presente no Reino que se implanta entre nós. Não sabemos como cresce, sabemos que tem uma força inexplicável de grandíssimos resultados. Por ser força de Deus se expande como a onda, não volta atrás, não diminui e se estabelece.

 

O trigo e o joio

 

O evangelista Mateus, conhecendo a realidade das comunidades que viviam no meio de dificuldades, ensina como agir num mundo adverso ao Reino. Era o paganismo e todos os tipos de vícios que a sociedade promovia. Não há diferença entre seus fiéis e o que vivemos no momento. E faz a comparação do trigo que deve crescer no meio do joio. O joio é uma praga semelhante ao trigo. O mal externo não é perigo para nós, podemos crescer juntos. O segredo ser fiel no meio de pessoas que vivem de modo diferente.

 

O mal que nos destrói é o que vem de dentro. Jesus não despreza o fraco e o pecador, como podemos ler na resposta que dá aos que O acusavam de comer com os pecadores. Os fariseus não faziam isso. Jesus é claro: “Não são os que têm saúde que precisam de médico, mas sim os doentes” (Mt 9,12).

 

É a pregação constante de Jesus. No final da parábola encontramos o desfecho: Crescer juntos e na hora da colheita separar e dar o justo destino. Devemos ir além e viver os ensinamentos de Jesus evangelizando. O mundo adverso está aberto para ser transformado pelos que vivem a opção pelo Reino. É um desafio que tem a força do Reino. A força do Reino em nós é maior que o mal.

 

Espírito age em nós

 

A graça de Deus em nós não são presentinhos que Ele nos dá, preocupado com nosso crescimento. Sua graça é o Dom que nos enche de fé esperança e caridade (oração). Paulo ensina que o Espírito socorre nossa fraqueza e reza em nós ao Pai. Nossa oração é forte, pois é feita pelo Espírito.

 

O Pai ouve a oração do Espírito em nós, pois “é sempre segundo Deus que o Espírito intercede em favor dos Santos” (Rm 8,27). A nós compete fazer o esforço de deixar o velho homem com seus vícios e desgraças e passar à vida nova (Pós-comunhão).

 

O Reino age, mas temos que colaborar. Nos tempos difíceis da vida é sempre necessário aumentar nossa atenção ao Espírito para conhecer seus caminhos

 

Leituras: Sabedoria 12,13.16-19; Salmo 85; Romanos 8,26-27;Mateus 13,24-43 Ficha nº 1354 - Homilia do 16º Domingo Comum (20.07.14)

 

1. A força do Reino está em nosso interior onde age Deus. Cresce lentamente. Deus ensina a ser humano quando temos força e domínio. A santidade de Deus nos faz mais humanos. Na parábola da semente e do fermento aprendemos que a força do Reino é interior é cresce por si sem que saibamos como.

 

2. A parábola do trigo e do joio ensina como viver bem no meio das diferenças e oposições ao Reino. Era a experiência da comunidade e nossa também. Podemos crescer em meio às dificuldades. Jesus não despreza o fraco e pecador. Indo além da parábola, podemos ser evangelizadores. Jesus ensina a cuidar dos frágeis.

 

3. A graça de Deus em nós é o Dom que nos enche de fé, esperança e caridade. Nossa oração é feita pelo Espírito. Ele intercede por nós segundo Deus. A nós compete deixar o homem velho e passar à vida nova. Temos que colaborar.

 

Pequeno por fora, grande por dentro.

 

Jesus continua explicando o Reino de Deus através de parábolas. Falava simples para o povo entender. Explica-nos como o Reino cresce e como sobreviver quando há o ambiente é hostil. O Reino é como a semente e também como o fermento. Por mais que entendemos o crescimento da semente e da massa, não vemos onde está a força que faz de uma sementinha chegar a tão grandes alturas.

 

Como cresce a massa fermentada? Assim é o Reino de Deus, cresce por si, com sua própria força. O que fazer se brotar junto da boa semente, a semente ruim? Temos em nós e no mundo que nos cerca, muitos elementos que são prejudiciais e negativos.

 

Que fazer? Arrancar à força não dá certo, pois estraga tudo, até o que é bom. A força do Reino está também em viver em situações adversas, até que o ruim seja eliminado. Em se tratando de pessoas, é tempo de trabalhar sua recuperação. Podemos viver em situações difíceis porque temos a força do Espírito Santo. Não estamos sós. Deus nos trata bem, quando fracos. Sejamos como ele.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R., em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.