Por Elisangela Cavalheiro Em Notícias

Missa Solene acolhe fiéis para a Festa da Rainha e Padroeira do Brasil

O Santuário Nacional de Aparecida revestiu-se do mais puro amor emanado pela fé dos milhares de fiéis reunidos na Missa Solene, às 9h, nesta segunda-feira, 12, solenidade de Nossa Senhora Aparecida. Todos os que ali estavam vinham cumprir a mesma missão: honrar a Mãe de Jesus. 

Ao longo de nove dias, o tema central da festa ‘Com Maria, em Jesus, chegamos à glória’ convidou os devotos e todo o povo brasileiro a caminhar com Maria e seu Filho pelos Mistérios Gloriosos, que enfatizou que a vida é o bem maior de toda a humanidade, pois nesses mistérios a Igreja recorda que a vida triunfou sobre a morte.

A celebração foi presidida pelo arcebispo de São Salvador na Bahia, dom Murilo Sebastião Ramos Krieger, scj, e concelebrada pelo bispo auxiliar de Aparecida, dom Darci Nicioli, que representou o cardeal arcebispo de Aparecida, dom Raymundo Damasceno que está no Sínodo dos Bispos em Roma; por dom Fernando José Monteiro Guimarães, arcebispo do Ordinariado Militar do Brasil; padre João Batista de Almeida, reitor do Santuário Nacional, padre Rogério Gomes, superior da Província Redentorista de São Paulo, padre José Dal Bó, da Matriz Basílica e ainda por inúmeros religiosos e principalmente, missionários redentoristas. Entre as autoridades presentes, uma é singular, a do governador Geraldo Alckmin e sua esposa, que todos os anos participam da solenidade.

Missa solene a Nossa Senhora Aparecida - Thiago Leon

 

Hoje o Santuário de Aparecida celebra um “outro grande sinal”, que não apareceu no céu, mas “aqui perto nas águas do Rio Paraíba 298 anos atrás”. 

Depois da solene entrada, os devotos acolheram a entronização da Imagem da Rainha e Padroeira do Brasil, que veio em um carro andor ornamentado pelo mapa do país feito todo de flores. A coreografia com jovens vestidas de branco e azul ao som das quatro estações de Vivaldi, apresentou aos fiéis a alegria da festa e, depois com a Ave Maria de Gounod, a procissão envolveu os fiéis no mistério da singeleza de Maria, em sua pequena Imagem.

Dom Murilo centrou sua reflexão a partir do “sinal que apareceu no céu”. Ao destacar que Maria foi esse sinal, o arcebispo citou a passagem das Bodas de Caná do Evangelho, quando Maria intercedeu junto a Jesus. Dom Murilo lembrou ainda que hoje o Santuário de Aparecida celebra um “outro grande sinal”, que não apareceu no céu, mas “aqui perto nas águas do Rio Paraíba 298 anos atrás”. 

“Maria com seu pedido ajudou os apóstolos a penetrarem na pessoa e missão de Jesus. Tendo os apóstolos testemunhado a transformação da água em vinho, tendo Jesus manifestado a sua glória, os discípulos creram nele”, sublinhou.

 

"Aqui ao longo de mais de 300 anos a Mãe de Jesus quer ensinar que Jesus pode modificar a nossa vida", disse dom Murilo. 

Como um “sinal” vindo do céu, Maria é a mulher que introduz os cristãos nos mistérios da Vida e Morte de Jesus. Por isso, o tema da festa desse ano indicou essa relação da Mãe de Jesus com a Igreja, disse o arcebispo.

“Aqui [este santuário] é a extensão da casa de Nazaré. Aqui ao longo de mais de 300 anos a Mãe de Jesus quer ensinar que Jesus pode modificar a nossa vida. Jesus tem o poder de transformar os acontecimentos diários de nossa existência, os acontecimentos rotineiros em sinais de salvação. Maria nos ensina que devemos recorrer a Ele como ela fez”, frisou.  

Três palavras ainda foram destacadas pelo presidente em sua homilia ao citar quais sentimentos devem estar presentes no coração dos devotos em vista do Jubileu dos 300 anos: testemunhar, acolher e entregar. Virtudes que estão presentes no coração da Mãe Aparecida.

O testemunho recorda que muitos corações ao visitarem Aparecida voltam transformados pela fé e passam a “olhar a Deus com outros olhos”. A acolhida diz que consolados pela Mãe em seus sofrimentos, todos devem imitar essa atitude acolhendo os irmãos em suas dificuldades e o entregar-se significa que confiar plenamente que Deus ama a todos é "encontrar o caminho da verdadeira liberdade”, assinalou dom Murilo.

Por fim, dom Murilo encerrou a sua homilia com a seguinte oração: “Peçamos à Mãe de Jesus: Nossa Senhora Aparecida, ensina-nos a crer, a esperar e a amar. Indica-nos o caminho do Reino de seu Filho Jesus. Amém!”. 

Já no final da celebração, o Santuário quis manifestar o seu agradecimento para todas as pessoas que colaboram diretamente para a manutenção da Casa da Mãe Aparecida, os contribuintes da Campanha dos Devotos, que foram homenageados no livro com os nomes dos fiéis devotos e também os dos Devotos Mirins que colaboraram com a campanha no último ano. Com uma procissão, uma família representando cada uma dessas famílias brasileiras, entrou com os livros que depois foram depositados embaixo do altar, como demonstração do carinho e da gratidão a esses devotos. Ao longo do ano, todas as celebrações realizados no Altar Central irão recordar esses grandes parceiros de evangelização. 

Antes do encerramento da celebraçao, dom Darci e o reitor padre João Batista manifestaram o seu agradecimento no encerramento da Festa da Padroeira do Brasil. Reveja esse momento.

A solenidade de Nossa Senhora Aparecida continua nesta segunda-feira, com a solene consagração às 15h, a procissão solene às 18h00 e a missa de encerramento às 19h, seguida por show pirotécnico. Acompanhe cada momento deste dia com a TV Aparecida e pelo portal A12 também pelas redes sociais. 

6 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Elisangela Cavalheiro, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.