Por Jornal Santuário Em Igreja Atualizada em 19 OUT 2017 - 08H41

Morte de Cláudio Pastro, artista sacro, completa 1 ano

Autor das obras do Santuário de Aparecida, Pastro era um dos nomes mais renomados da arte sacra do Brasil.



Nesta quinta-feira (19), completou-se um ano da morte de Cláudio Pastro, principal autor das obras sacras do Santuário Nacional, em Aparecida (SP).

Pastro faleceu em decorrência de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) em outubro do ano passado. Passado um ano, o Santuário Nacional de Aparecida já inaugurou, em 11 de outubro de 2017, a obra da grande Cúpula Central, projeto também de autoria do artista sacro.

Na sua última entrevista ao Portal A12.com, Cláudio Pastro explicou que o referencial para as obras do Santuário foi o Altar Central e a partir dessa definição toda a obra foi pensada.

Ao caminhar pelos corredores do Santuário Nacional, nota-se a grandiosidade da Basílica dedicada a Padroeira do Brasil e observa-se o colorido e os traços marcados pelas obras de Pastro.

Dos vitrais à grande Cúpula Central são muitas as obras assinadas e concebidas pelo artista. No vídeo abaixo, Pastro fala da satisfação em ter suas obras admiradas por milhares de romeiros que visitam a Basílica de Aparecida anualmente.

“Eu fico muito feliz pelo privilégio de ter sido escolhido e por ouvir que as pessoas mais simples e as mais sofisticadas tem o mesmo sentimento: ao entrar na Basílica não querem sair”.

Assista também a entrevista exclusiva do missionário redentorista, padre Marcelo Magalhães com o artista sacro Cláudio Pastro, em outubro do ano passado.

:: A catequese das obras sacras do Santuário de Aparecida ::

O artista sacro de Aparecida

Cláudio Pastro era considerado por especialistas de arte sacra como o brasileiro mais expressivo da atualidade nesta área. Paulistano, nascido em 16 de outubro de 1948 em uma família católica, é especializado em arte sacra e tem suas obras baseadas no Concílio Ecumênico Vaticano II. Grande devoto da espiritualidade beneditina, recebendo inclusive o título de oblato.

Formado em Ciências Sociais pela PUC, em 1972, se dedicava à arte sacra desde 1975, tendo cursado teoria e técnicas de arte na Abbaye Notre Dame de Tournay (França), no Museu de Arte Sacra da Catalunha (Espanha), na Academia de Belas Artes Lorenzo de Viterbo (Itália), na Abadia Beneditina de Tepeyac (México) e no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo.

Entre diversos trabalhos realizados em diversos lugares do mundo, se destaca o acabamento do Santuário Nacional de Nossa Senhora Aparecida, onde atuam os Redentoristas de São Paulo, além de trabalhos realizados nos conventos da Província.

Infância

Pintando desde os cinco anos de idade, Pastro usava os papéis de pão que a mãe Aloísia, chamada por todos de Luizita, guardava para ele desenhar e rabiscar.

No campo artístico recebeu influência do pai, que o presenteou com um Long Play, um vinil, com o Lago do Cisne, de Tchaicowky, e das Irmãzinhas da Assunção, cujo mosteiro localizava-se na Alameda Lorena, bem em frente à casa em que a família morava.

Suas primeiras obras foram na capela do Mosteiro Nossa Senhora da Paz em São Paulo. Vieram então as criações para o Colégio Santo Américo e para outras igrejas. Aos poucos foi se tornando conhecido.

Fonte: Santuário Nacional

4 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Jornal Santuário , em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.