Por Luciana Gianesini Em Igreja Atualizada em 07 OUT 2019 - 14H08

Papa Francisco: “As ideologias são uma arma perigosa”

Nesta segunda-feira (07), primeiro dia de trabalho do Sínodo para a Amazônia, a atividade começou com uma oração diante do túmulo de Pedro, ao som de cantos amazônicos e da invocação do Espírito Santo (Veni Creator), seguida de procissão até a Sala Sinodal.

Portando cartazes com imagens dos mártires amazônicos e trechos da Laudato Sì, os participantes foram recebidos pelo Papa Francisco, que agradeceu a todos os que já vinham trabalhando pela causa amazônica desde sua última visita a Puerto Maldonado, no Peru.

Vatican News
Vatican News


Ao trazer as
quatro dimensões do sínodo – pastoral, cultural, social e ecológica – o Santo Padre destacou a necessidade de olhar para a realidade amazônica com olhos de discípulo e missionário, para acolher o Espírito Santo e deixar-se impulsionar por Ele no trabalho de anunciar o Evangelho.

Francisco também chamou a atenção para o cuidado que se deve ter com o que chama de “colonizações ideológicas”: “As ideologias são uma arma perigosa”, pontuou.

Francisco alertou ainda para os riscos da mundanidade, “que sempre se infiltra e nos faz distanciar da poesia dos povos. Viemos para contemplar, compreender, servir os povos e  o fazemos percorrendo um caminho sinodal, não numa mesa-redonda, em conferências ou em discursos, mas em sínodo. Porque um Sínodo não é um parlamento, um locutório, é um caminhar juntos sob a inspiração do Espírito Santo. E o Espírito Santo é o protagonista do Sínodo, finalizou.

Em entrevista à Rádio Vaticano, um dos padres sinodais, Frei Wilmar Santin, de Itaituba/PA, ressaltou que o Sínodo é expressão da solicitude da igreja como Mãe, que lança seu olhar para as diferentes realidades de seus filhos e, por isso, deve ser acolhido e colocado em nossas orações, com abertura de coração e esperança de transformação.

:: Sínodo começa com apelo para os que carregam cruzes pesadas

Instrumentum laboris: um mártir a ser destruído

Em relação ao polêmico documento que servirá como instrumento de trabalho para o Sínodo, o Papa o classificou como “um mártir destinado a ser destruído”, uma vez que é somente o ponto de partida para as discussões. “Vamos caminhar sob a guia do Espírito Santo, deixar que Ele se expresse nesta assembleia, entre nós, conosco, através de nós e se expresse apesar da nossa resistência”, afirmou o pontífice.

Ao concluir esta primeira etapa, o Papa agradeceu ao clero presente, dizendo: “Obrigado por aquilo que estão fazendo. Obrigado por rezar uns pelos outros e ânimo! Não percamos o sentido de humor”.

:: Por que o Papa convocou o Sínodo para a Amazônia?

A12 direto do Vaticano

O A12 está acompanhando a realização deste importante evento para a Igreja no Brasil e vai contar com a presença de uma jornalista trazendo as informações direto do Vaticano. Acompanhe toda a cobertura no endereço: A12.com/sinododaamazonia

Fonte: Vatican News

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Luciana Gianesini, em Igreja

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.