Notícias

Igreja católica no combate à exploração sexual e ao tráfico de mulheres e crianças

Escrito por Lais Silva

21 SET 2022 - 16H57 (Atualizada em 14 OUT 2022 - 14H36)

A Comissão Episcopal Pastoral Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano (CEPEETH) da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), com o apoio da Conferência Episcopal Italiana, e buscando combater um problema que há anos assola a humanidade, lança o caderno “Nas Trilhas do Enfrentamento ao Tráfico de Pessoas”. 

Leia MaisReligiosas apoiam o combate ao tráfico de pessoas na Ásia Comissão de enfrentamento ao tráfico humano da CNBB divulga alerta

A Igreja Católica já realiza diversas ações de combate ao tráfico de pessoas, exploração sexual e outros problemas da sociedade, e esse lançamento faz parte das ações que mobilizam pastorais, movimentos, coletivos e organizações que trabalham nessa frente.

O instrumento fortalece ações e direciona atividades, principalmente em um momento em que o país atravessa um cenário com crises sociais, econômicas e pandemia de Covid-19.

O caderno segue o método de “ver, julgar e agir”, e além de conceitos, modalidade e indicações para a cultura do cuidado, também conta com ilustrações trazendo uma leveza para o assunto. Para a comissão, o caderno vai sensibilizar e formar a sociedade para conseguir agir no enfrentamento ao Tráfico Humano:

“É necessário que a sociedade tenha conhecimento deste crime que é considerado o terceiro maior comércio ilícito no mundo, perdendo apenas para o tráfico de drogas. O Tráfico de Pessoas é a escravidão moderna deste século. No Brasil o grito das vítimas praticamente foi silenciado pelo poder do crime organizado durante a pandemia da Covid-19, por este e outros motivos é necessário formar e informar para denunciar”.

Reprodução / CNBB
Reprodução / CNBB

:: Disponível para download


Ações da Igreja

Desde os anos 2000, a Igreja no Brasil desenvolve ações para auxiliar pessoas que sofrem com esse tipo de problema, tornando esse assunto mais um compromisso pastoral.

Em 2014, a Campanha da Fraternidade abordou o tema “Fraternidade e Tráfico Humano” e o lema “É para a liberdade que Cristo nos libertou” (Gl 5, 1), lembrando que somos livres e qualquer coisa que possa privar alguém da liberdade e do direito à vida é algo que deve ser avaliado e combatido.

Papa Francisco afirma que o tráfico humano é como “uma ferida aberta no corpo da humanidade, no corpo de Cristo”.

Próximo ao Dia Mundial do Enfrentamento a Exploração Sexual e ao Tráfico de Mulheres e Crianças, a Conferência Nacional dos Bispos no Brasil (CNBB) lança uma série de materiais para sensibilizar a sociedade a compartilhar em diversos espaços e redes sociais.

Reprodução/ Getty Images
Reprodução/ Getty Images

A Comissão Especial para o Enfrentamento ao Tráfico Humano (CEPEETH) explicou que a ideia é estimular e conscientizar a população em relação a esse problema tão grave.

"Mais um dia para alertar sobre o tráfico de pessoas, uma prática antiga que acontece até os dias atuais. Não podemos esquecer que muitos dos nossos ancestrais foram traficados no período de colonização e as consequências são traumáticas em nossa história social e cultural”.

Saiba como denunciar a exploração sexual e o tráfico de mulheres e crianças

O combate a esses problemas e crimes é dever de todos. No Brasil, essa prática é crime e pode ser denunciado pelo Disque 100, do Governo Federal.

“O combate a este crime é compromisso de toda a sociedade para garantir a dignidade de mulheres e crianças que se encontram em situações vulneráveis. A cultura do cuidado protege vidas”, afirma a comissão.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Lais Silva, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.