Por Redação A12 Em Santo Padre Atualizada em 20 AGO 2018 - 16H36

Em carta aos fiéis, Papa condena abusos na Igreja

Papa Francisco condena 'atrocidades' de casos de pedofilia na Pensilvânia, EUA


“Um membro sofre? Todos os outros membros sofrem com ele” (1 Co 12, 26).

O Papa Francisco se inspirou nas palavras do Apóstolo Paulo para divulgar, nesta segunda-feira (20), uma carta sobre os casos de abusos cometidos por membros do clero e religiosos.

O Papa afirma que este crime gera profundas feridas de dor e impotência, tanto para as vítimas e suas famílias quanto para a comunidade inteira, sejam cristãos ou não. Francisco usa a palavra “atrocidades”.

“É imperativo que nós, como Igreja, possamos reconhecer e condenar, com dor e vergonha, as atrocidades cometidas por pessoas consagradas, clérigos e, inclusive, por todos aqueles que tinham a missão de assistir e cuidar dos mais vulneráveis. Peçamos perdão pelos pecados, nossos e dos outros.” Papa Francisco

Pensilvânia - Francisco destaca o relatório divulgado na terça-feira (14), que revelou mais de mil casos de abusos envolvendo membros do clero no Estado da Pensilvânia, nos Estados Unidos. "Sentimos vergonha quando percebemos que o nosso estilo de vida contradisse e contradiz aquilo que proclamamos com a nossa voz”, escreve o Papa.

Para o Pontífice, a dimensão e a gravidade dos acontecimentos o obrigam a assumir esse fato de maneira global e comunitária.

Solidariedade - Na carta, o Papa Francisco explica que entende por solidariedade proteger e resgatar as vítimas da sua dor, denunciar tudo o que possa comprometer a integridade de qualquer pessoa e lutar contra todas as formas de corrupção, especialmente a espiritual.

Leia Mais5 maneiras de atirar os ídolos pela janela, segundo Papa FranciscoCinco vezes em que o Papa Francisco reagiu ao abortoFrancisco reconhece o esforço e o trabalho que são feitos para garantir segurança e integridade de crianças e de adultos em situação de vulnerabilidade, bem como a implementação da ‘tolerância zero’ e de modos de prestar contas por parte de todos aqueles que realizem ou acobertem esses crimes.

Além disso, o Pontífice disse não ignorar o atraso em aplicar essas medidas e sanções tão necessárias, mas está confiante de que elas ajudarão a garantir uma maior cultura do cuidado, no presente e no futuro.

Oração e penitência - Ao final da carta, o Papa convidou todos os fiéis a uma atitude de oração e penitência, para despertar em cada um o dom da compaixão, justiça, prevenção e reparação.

Fonte: vaticannews.va

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Santo Padre

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.