Por Pe. José Inácio Medeiros, C.Ss.R. Em Notícias

Igreja Santa Cruz de Araraquara: ponto de partida da equipe missionária

Antiga Igreja Santa CruzFundação da Casa Missionária de Araraquara

Origem

Os missionários pisaram o solo da região oeste do Estado de São Paulo pela primeira vez no Natal de 1905. Eles partiram de Aparecida, em sua primeira excursão apostólica fora do Vale do Paraíba, para pregar missões em Araraquara. Este fato surgiu, devido a festa da Coroação da imagem de Nossa Senhora Aparecida e pelo zelo ardente dos Redentoristas, que ficaram conhecidos e agradaram aos padres e bispos. Infelizmente a missão não surtiu o efeito desejado por ter acontecido na ocasião das festas natalinas.

Em 1909, com o desejo de sair de Aparecida para outras regiões, o Padre Antônio Lisboa Fischhaber, teve um encontro com o Padre Cesarino, Vigário de Araraquara e muito amigo dos Redentoristas, conversando a respeito de uma fundação. Padre Cesarino ofereceu as facilidades burocráticas, mas não financeiras, porque a paróquia e a diocese não tinham condições de arcar com os gastos; mesmo assim o Vigário alugou uma casa perto da Capela de Santa Cruz, onde se alojaram o Padre Antonio Lisboa Fischaben e o Irmão Teodoro. 

Foto de: arquivo.

Pe. Antônio Fischhaber

Pe. Antônio Fischhaber: 
Pioneiro da presença
redentorista em Araraquara.
(1868-1937)

Devido a dificuldades, embora fosse uma região boa, em 1910 os pioneiros foram embora, ficando apenas um ano em Araraquara. O motivo dessa desistência foi que o povo não se interessou muito pelas pregações missionárias das verdades eternas, querendo por outro lado, que os Padres Redentoristas fundassem um Colégio para a formação de meninos.

Dom José Marcondes, bispo de São Carlos, no entanto, não desistiu de incentivar e buscar a presença estável dos Redentoristas na região.

Em 1913, a então Vice-Província Bávaro-Brasileira fundou em Bom Jesus dos Perdões-SP a sua casa de Noviciado, onde ficou até 1920. Com a posterior saída de Perdões, não sabiam direito para onde ir, mas queriam continuar no interior do estado. Foi quando o Padre João Batista Kierchmayer, sendo Visitador provincial resolveu, em janeiro de 1920, aceitar o pedido feito em carta pelo bispo de São Carlos, oferecendo a possibilidade de uma fundação em Araraquara.

No dia 21 de setembro de 1920, às primeiras horas da tarde, chegava a Araraquara o Padre Luiz Weiss para dar início a fundação da nova comunidade, hospedando-se na casa do Vigário, Cônego Jerônimo César. Três dias depois, chegava o Irmão Matias.

A primeira residência localizava-se na Rua Padre Duarte, 77, a uns 200 metros da Capela de Santa Cruz. As primeiras refeições aconteciam na Casa paroquial até a chegada do Irmão Estanislau que passou a cuidar da cozinha. No dia 13 de outubro, vindo de Goiás, chegava o Padre José Lopes Ferreira, que, com o Padre Luiz Weiss e o irmão Estanislau, começaram a formar a nova comunidade.

Irmão Estanislau adoeceu e no dia 05 de outubro de 1920 veio a falecer. Depois disso, em principio de 1922 foi constituída a primeira comunidade araraquarense.

- Padre Oscar Chagas de Azeredo: Superior
- Padre Antonio Lisboa Fischaber
- Padre Carlos Hildebrandt
- Padre Henrique Barros
- Irmãos: Norberto e Matias
- Padre Antão Jorge, que veio substituir o Padre Antonio Lisboa
- Padre Francisco Alves

Depois disso a comunidade Redentorista Santa Cruz se estabilizou, sendo hoje a segunda comunidade mais antiga da Província de São Paulo e a primeira constituída no interior de nosso estado.

Foto de: arquivo. 

Antigo convento

Antigo Convento Redentorista: Primeiras cerimônias na igreja de Santa Cruz

 

A construção da nova igreja de Santa Cruz começou em 1916 e terminou em setembro de 1921, com os nossos padres já em Araraquara. Para isso foi formada uma comissão responsável pela obra.

A primeira turma de crianças, que fez a Primeira Comunhão na igreja de Santa Cruz, constava de 80 crianças, meninos e meninas. Aconteceu no dia 03 de abril de 1921.

A primeira Festa de Santa Cruz foi feita na igreja nova e realizada com uma novena solene preparatória, composta de reza solene e pregação, com ótimo coro de cantores dirigido pelo senhor João Aranha. Sua esposa, Dona Marta, dirigia o catecismo. A novena foi muito concorrida. Esta festa foi celebrada no dia 03 de maio de 1921. A atenção da cidade esteve toda voltada para a Igreja de Santa Cruz.

Após a festa, o mês de maio continuou com as rezas solenes, com ofertas de flores pelas crianças, boa música e com ótimo coro, e os belos cânticos ajudavam a atrair diariamente grande público. Para encerrar o mês de maio, organizaram as catequistas uma solene coroação da imagem de Nossa Senhora de Lourdes. Para esse fim, a Senhora Maria Chamon doou uma preciosa coroa de ouro, feita com suas próprias joias.

Foto de: arquivo.

Missa campal em 1922

Desde 1920 os redentoristas evangelizam todo o interior do estado, tendo como ponto de partida a igreja Santa Cruz

 

 

A primeira missa na nova igreja foi celebrada no dia 1º de outubro. Com essa missa não foi inaugurada oficialmente a igreja, pois a inauguração oficial aconteceu no dia 17 de outubro, domingo, com a Festa Solene de São Geraldo. Para esta festa dedicada a São Geraldo, quando foi inaugurada oficialmente a igreja, houve um tríduo solene, pregado pelo então Vice Provincial, Padre João Batista. No dia 17 de outubro, dia da festa, quem pregou solenemente após a procissão foi dom José Marcondes, bispo de São Carlos, com a presença do Superior dos Padres Jesuítas de São Carlos. São Geraldo é o patrono e titular da Comunidade Redentorista Santa Cruz.

Antiga Igreja Santa CruzDiariamente havia celebração na igreja de Santa Cruz e, aos domingos e dias festivos, eram duas as celebrações. Todos os dias, à tarde, era rezado o terço. O catecismo ou a doutrina para as crianças era feito aos domingos, na parte da tarde.

Hoje na igreja se celebra diariamente duas missas, há plantão de atendimento de confissões e aconselhamento na portaria da comunidade, são visitados os doentes nos hospitais da cidade ou em suas residências e se recebe muitos pedidos para bênção de estabelecimentos comerciais. Nos finais de semana são sete horários, sendo três missas nos sábados e quatro no domingo. Toda quarta feira, dia da Novena Perpétua, são oito novenas e mais duas missas. Os redentoristas mantém programas diários na TV local e em rádios da região.

As informações históricas deste texto foram tiradas do Livro de Crônicas Redentoristas de Araraquara, anos de 1921 A 1953.

Padre Inácio Medeiros, C.Ss.R.
Equipe de Comunicações
Santas Missões 

2 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. José Inácio Medeiros, C.Ss.R. , em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.