Por Redentoristas Em Notícias

Saiba como se prepara uma Missão Popular

Todos os leitores que acompanham as publicações feitas aqui sobre as Santas Missões, já sabem que uma Missão Popular não é uma obra puramente humana, mas um projeto que conta, acima de tudo, com a graça de Deus. Esta dimensão divina da missão não retira a responsabilidade de quem a prega. Por isso mesmo, a preparação é a etapa fundamental, pois dela decorre o sucesso da empreitada missionária realizada em uma paróquia ou comunidade eclesial.

A Missão Popular é um tempo especial, e como tal, tem um começo e um final. Porém, seu espírito, objetivos e efeitos continuam por muito tempo iluminando a vida e a caminhada das pessoas e das comunidades. As Santas Missões não pretendem ser simplesmente um “fogo de palha que logo se apaga” ou um movimento que causa um impacto evangelizador intenso, mas de curta duração. As missões são, por definição, um processo missionário que requer uma esmerada preparação, uma boa realização e uma adequada forma de continuação. Por isso mesmo, o processo de evangelização missionária de uma paróquia ou comunidade passa por várias fases que vão se sucedendo. 

A preparação da missão

Na primeira etapa da missão se relembra de maneira especial a iniciativa de Deus que chama e envia seus escolhidos a proclamar a salvação, a exemplo dos patriarcas e profetas. Se fizermos a sua comparação com a História da Salvação a fase de preparação que corresponde à Missão da Visitação e Missão nas Famílias se compara com o tempo da preparação de Israel, da parte do Senhor Javé para receber a sua Palavra definitiva em Jesus Cristo.

Neste processo, a figura de João Batista serve de paradigma, pois sua missão foi a de preparar o povo da Antiga Aliança para a chegada do Salvador. Também se compara esta fase com o tempo de preparar o terreno para a semeadura da Palavra de Deus.

A Missão da Visitação é decisiva no desenvolvimento de toda a Ação Missionária e, sendo assim, deve-se gastar com ela o tempo que for necessário para que os seus objetivos sejam atingidos.

O tempo da preparação é dedicado ao diálogo com o pároco e com os agentes de pastorais locais, esclarecendo os objetivos específicos da missão, bem como sua metodologia. Este diálogo aberto, clareando todas as dúvidas, torna-se vital para que se consiga uma adesão real, efetiva e afetiva de todos com a missão.

Com a Missão da Visitação e depois com a Missão nas Famílias busca-se o conhecimento da realidade local que será evangelizada em seus múltiplos aspectos antropológicos, sociais, culturais e religiosos. Uma das ferramentas, mas não única, usada neste processo de conhecimento é o levantamento sócio-religioso que se realiza. Além disso, as visitas às comunidades, o contato com suas lideranças, o conhecimento das organizações sociais existentes e, por fim, o conhecimento do cenário de Igreja local e regional que, pelas características da sociedade moderna é multifacetado, fazem parte deste processo de aproximação da realidade local.

Ao longo de todo o processo de preparação cuida-se com carinho especial da formação metodológica e espiritual dos que serão os Agentes da Missão, especialmente os que estarão à frente dos Setores Missionários e Comunidades.

Coordenadores e Auxiliares

Os missionários leigos locais são o alicerce da missão

Outro objetivo da Fase de Preparação é a divulgação da missão por todos os meios possíveis. Com isso, se consegue a adesão dos vizinhos e daqueles que, mesmo sendo católicos, estão afastados da vida da comunidade. A publicidade da missão nos Meios de Comunicação e nas Redes Sociais acaba favorecendo a divulgação, mas a outra forma de ação que ainda e sempre será insubstituível é a visita e o contato com as famílias, conhecendo suas agruras, inquietudes e expectativas que muitas vezes se descobre de uma forma mais completa por meio das orações e reflexões nas famílias dos Setores Missionários.

O ideal é que na Fase de Preparação as famílias sejam visitadas ao menos três vezes: A primeira, avisando que as Missões vão acontecer, levando uma carta convite do pároco ou um folheto explicativo da missão; a segunda, quando se faz o levantamento sócio-religioso e a terceira já no tempo de oração e reflexão em família, quando a família recebe a visita do andorzinho ou da capelinha com a Imagem de Nossa Senhora.

Especialmente na realidade de mundo moderno, quando as pessoas recebem tantas informações, o uso destes meios torna-se essencial para a divulgação e realização das Santas Missões.

Irmãs Missionárias

As Irmãs Missionárias coordenam todo o processo de preparação de uma missão

Na Província de São Paulo todo o trabalho de coordenação da Fase de Preparação é feito pelas Irmãs e Irmãos Missionários que ajudam as paróquias a se organizarem em comunidades e estas, por sua vez, a se organizarem nos Setores Missionários, cada um com sua equipe de coordenação.

Em geral a Fase de Preparação dura de dois a três meses e neste tempo também se cuida da infraestrutura necessária para as missões, como os centros e locais de celebração, atendendo tanto os lugares mais pobres ou distantes, bem como a região mais central de uma paróquia.

Cruzeiro Missionário

O Cruzeiro Missionário lembra que a Missão é uma ação continuada

O Espírito Santo é que anima toda a Ação Missionária da Igreja, por isso a Fase de Preparação da Missão é tempo de uma ação orante, pessoal e comunitária, que vai preparando os corações dos missionários e dos destinatários das missões para o encontro com o Senhor durante todas as fases das Santas Missões.

:: Romaria mantém acesa a chama das Santas Missões

 

 

2 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redentoristas, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.