Por Redentoristas Em Notícias Atualizada em 04 MAI 2021 - 10H38

Conheça os 12 novos bem-aventurados redentoristas

No dia 24 de abril, o Papa Francisco autorizou a Congregação para as Causas dos Santos a promulgar os decretos relativos ao martírio dos Servos de Deus Vincenzo Nicasio Renuncio Toribio e 11 Companheiros, todos da Congregação do Santíssimo Redentor; assassinados, por ódio à Fé, em Madrid (Espanha), em 1936.

Papa Francisco, após considerar as conclusões positivas da análise realizada por historiadores, teólogos, cardeais e bispos, consultores da Congregação para as Causas dos Santos, sobre a vida, virtudes e martírio dos servos de Deus Vicente Renuncio Toribio e 11 companheiros da Congregação do Santíssimo Redentor, aprovou a promulgação do decreto sobre o martírio.

.::: Papa reconhece martírio de Vicente Renuncio Toribio e 11 companheiros

Os 12 missionários - seis padres e seis irmãos coadjutores, membros das Comunidades Redentoristas do Perpétuo Socorro e São Miguel Arcanjo em Madrid, foram todos assassinados entre 20 de julho e 7 de novembro de 1936, no início da sangrenta perseguição ocorrida na Espanha até 1939.

Conheça um pouco da vida dos mártires:

Divulgação
Divulgação
Padre Vicente Renuncio Toribio

Padre Vicente Renuncio Toribio nasceu em Villayuda (Burgos) em 11 de setembro de 1876. Ingressou na Congregação e fez os votos em 8 de setembro de 1895. Ordenado sacerdote em 23 de março de 1901, dedicou-se à atividade missionária, formação e ensino no seminário menor. De 1912 a 1923, na comunidade de Perpétuo Socorro em Madrid, foi consultor provincial e diretor da revista Santuario.

Após uma breve ausência, voltou a Madrid como prefeito do Santuário até julho de 1936, quando, com o início da perseguição, se refugiou em casa de famílias amigas. Preso em 17 de setembro, ele permaneceu na prisão até 7 de novembro, quando foi assassinado. Ao sair da cela, foi ouvido exclamar: "Ofereço minha vida pelos meus irmãos na Espanha, por toda a Congregação e pela infeliz Espanha".


Divulgação
Divulgação
Crescencio Severo Ortiz Blanco

Crescencio Severo Ortiz Bianco nasceu em Pamplona em 10 de março de 1881. Professou em 24 de setembro de 1900, foi ordenado sacerdote em 28 de dezembro de 1905.

Atuante nas missões populares e no ensino de filosofia, viveu nas comunidades de Astorga, Cuenca, Valência e Barcelona.

Mudou-se para Madrid em 13 de julho de 1936, para a comunidade de San Michele Arcangelo, em 20 de julho foi capturado e morto por milicianos junto com seus irmãos Ángel Martínez Miquélez e Bernardo (Gabriel) Sáiz Gutiérrez. 


Divulgação
Divulgação
Angel Martinez Miquelez


Ángel Martínez Miquélez nasceu em Funes (Navarra) em 2 de março de 1907. Admitido junto aos Redentoristas, fez a profissão de fé em 24 de agosto de 1925.

Ordenado sacerdote em 20 de setembro de 1930, dedicou-se ao magistério e ao apostolado missionário vivendo em várias comunidades.

Em 10 de julho de 1936 foi transferido da comunidade do Perpétuo Socorro para a de San Michele Arcangelo.

No dia 20 de julho, com o início da perseguição, saiu de casa com o padre Crescencio Ortiz e o fr. Bernardo Sáiz (Gabriel) em busca de um porto seguro. No caminho, eles foram capturados e mortos por milicianos.

Divulgação
Divulgação
Irmão Bernardo (Gabriel) Sáiz Gutiérrez



Irmão Bernardo (Gabriel) Sáiz Gutiérrez nasceu em Melgosa (Burgos) em 23 de julho de 1896. Vestiu o hábito redentorista em 12 de novembro de 1919 e professou no ano seguinte em 13 de novembro. Depois de estar na comunidade de Pamplona, em 1925 foi transferido para San Michele Arcangelo em Madrid.

Religioso exemplar pela constante disponibilidade e vida de oração, sempre se dedicou ao serviço da cozinha. Com os pais Crescencio Ortiz e Ángel Martínez sofreu o martírio em 20 de julho de 1936.


Divulgação
Divulgação
Irmão Nicesio Pérez del Palomar Quincoces

O Irmão Nicesio Pérez del Palomar Quincoces nasceu em Tuesta (Álava) em 2 de abril de 1859. Ingressou na Congregação e fez a profissão em 30 de março de 1891.

Com um caráter determinado e tenaz, corroborado por uma fé sólida e uma espiritualidade nutrida. Nas várias comunidades em que viveu, atuou como carpinteiro, horticultor, apicultor, pedreiro e diretor de carpintaria.

Transferido para Madrid em 1934 na comunidade Perpetuo Socorro, com o início da perseguição, aos setenta e sete anos e quase cego, juntamente com o irmão Gregorio Zugasti Fernández de Esquide, procurou a hospitalidade de famílias amigas. Capturado na tarde de 14 de agosto de 1936, foi assassinado dois dias depois.

Divulgação
Divulgação
Irmão Gregorio Zugasti Fernández de Esquide

O Irmão Gregorio Zugasti Fernández de Esquide nasceu em Murillo de Yerri (Navarra) em 12 de março de 1884.

Tendo feito os votos em 25 de dezembro de 1912, sempre viveu em Madrid na comunidade do Perpétuo Socorro trabalhando na Editora.

Considerado um religioso piedoso, trabalhador confiável e obediente, deu testemunho de sua caridade evangélica ao não abandonar seu irmão mais velho Nicesio Pérez durante a perseguição, compartilhando seu martírio em 16 de agosto de 1936. 


Divulgação
Divulgação
Irmão Aniceto Lizasoain Lizaso


O Irmão Aniceto Lizasoain Lizaso nasceu em 17 de abril de 1877 em Irañeta (Navarra). Tornou-se redentorista professo em 15 de outubro de 1896. Viveu em várias comunidades, desempenhando, além de várias tarefas domésticas, os ofícios de sacristão, porteiro e tesoureiro.

Embora desejasse ser sacerdote, para não deixar a Congregação preferiu permanecer como irmão coadjutor. Com o início da perseguição, ele deixou a Casa do Perpétuo Socorro em Madrid para buscar hospitalidade com amigos.

Finalmente recebido em uma pensão, em decorrência de uma denúncia, em 18 de agosto de 1936 foi capturado e assassinado. 

Divulgação
Divulgação
José María Urruchi Ortiz


José María Urruchi Ortiz nasceu em Miranda de Ebro (Burgos) em 17 de fevereiro de 1909.

Depois da profissão religiosa, em 24 de agosto de 1926, continuou seus estudos com tenacidade e considerável esforço em Astorga.

Ordenado sacerdote em 20 de outubro de 1932, foi transferido para Nava del Rey e nos anos 1934-1935 para Coruña, Cuenca e Vigo.

Em outubro de 1935 foi transferido para Madrid na comunidade do Perpétuo Socorro, onde permaneceu até 20 de julho de 1936, quando saiu de casa devido à perseguição para ser acolhido por uma família amiga.

Após uma busca, em 22 de agosto de 1936, foi capturado junto com seu irmão José Joaquín Erviti Insausti e assassinado durante a noite, quando tinha apenas 27 anos. 

Divulgação
Divulgação
Irmão José Joaquín (Pascual) Erviti Insausti


O Irmão José Joaquín (Pascual) Erviti Insausti nasceu em Imotz (Navarra) em 15 de novembro de 1902. Tendo feito a profissão em 24 de fevereiro de 1930, foi enviado à comunidade de Astorga.

Transferido para Madrid em 24 de fevereiro de 1935 na comunidade de Perpétuo Socorro, lá permaneceu até julho de 1936, trabalhando como ajudante de cozinha.

Forçado a fugir, refugiou-se na casa do padre José María Urruchi Ortiz com uma família amiga. Considerado religioso prudente, piedoso e confiável, passou o último período em constante oração.

Capturado e morto pelos milicianos com o padre José María Urruchi Ortiz, o corpo foi encontrado em 22 de agosto de 1936 na estrada para a Andaluzia. 

Divulgação
Divulgação
Padre Antonio Girón González


Padre Antonio Girón González nasceu em Ponferrada (León) em 11 de dezembro de 1871. Após a profissão, em 15 de agosto de 1889, recebeu o sacerdócio em 19 de maio de 1894.

Viveu em várias comunidades, dedicando-se ao ensino, à formação e como consultor provincial.

Religioso exemplar, com notáveis dons intelectuais e profunda vida interior, testemunhou até ao fim a sua devoção à Virgem com a recitação constante do rosário. No início da perseguição ele era, desde junho, membro da comunidade do Perpétuo Socorro.

Refugiou-se primeiro em uma casa particular, depois em um convento religioso e, finalmente, em um hospício, foi descoberto e preso pelos milicianos que o assassinaram em 30 de agosto de 1936. 

Divulgação
Divulgação
Donato Jiménez Viviano


Donato Jiménez Viviano nasceu em Alaejos (Valladolid) em 21 de março de 1873. Depois de fazer os votos em 8 de setembro de 1893, foi ordenado sacerdote em 27 de maio de 1899.

Nas várias comunidades exerceu quase sempre a função de superior, sem descurar a atividade missionária e a promoção vocacional também para os religiosos.

Residente em Madrid, na comunidade de San Michele Arcangelo, desde 23 de junho de 1936, com a perseguição encontrou hospitalidade com famílias amigas. Capturado em 13 de setembro, ele foi preso e morto, provavelmente na noite de 17 de setembro de 1936.


Divulgação
Divulgação
Irmão Rafael (Máximo) Perea Pinedo

O Irmão Rafael (Máximo) Perea Pinedo nasceu em Villalba de Losa (Burgos) em 24 de outubro de 1903.

Depois da profissão religiosa, em 27 de fevereiro de 1926, residiu nas comunidades de Astorga, Santander e, finalmente, em Madrid desde 28 de junho de 1933.

De caráter bom e alegre, com espírito de serviço generoso, exerce as funções de porteiro, sacristão, tesoureiro e cozinheiro.

Ao deixar a casa religiosa em 20 de julho de 1936, refugiou-se primeiro com familiares e amigos e depois em uma pensão, onde, em 2 de novembro, foi capturado e assassinado.

Fonte: www.provinciadorio.org.br

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redentoristas, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.