Por Redentoristas Em Notícias Atualizada em 30 JUN 2020 - 08H56

Província Redentorista do Rio completa 69 anos

A história da Província do Rio está ligada ao dinamismo dos Missionários Redentoristas holandeses, que chegaram ao Brasil em 1863. Já a sua fundação como província ocorreu no dia 29 de junho de 1951, quando a Vice-Província Holândico-Brasileira foi elevada e passou a ser chamada de Província do Rio de Janeiro.

Província do RIO
Província do RIO
Paróquia Nossa Senhora da Glória em Juiz de Fora (MG), lugar da primeira residência da província.

A atual Unidade Redentorista atinge os estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro e Espírito Santo, e tem como sua responsabilidade cinco paróquias, uma basílica, um santuário, um centro missionário, duas casas de retiro e ainda várias casas de formação para os futuros missionários, além de obras sociais de amparo aos que sofrem de alguma vulnerabilidade social.

Os primeiros Redentoristas a colocarem os pés em território brasileiro foram os holandeses padre Matias Tulkens e padre Francisco Xavier Lohmeyer, que chegaram na cidade do Rio de Janeiro em julho de 1893 e seguiram para Mariana (MG), a pedido de Dom Silvério Pimenta, arcebispo coadjutor de Mariana, onde iriam assumir responsabilidades missionárias em sua Arquidiocese.

Leia MaisIgreja São José dirigida por redentoristas é marco da religiosidade na capital mineiraNos dez anos seguintes, as urgências pastorais aumentaram de tal forma que, em 10 de fevereiro de 1903, foi fundada a Vice Província, que na época já contava com 30 confrades, 19 padres e 11 irmãos, distribuídos em duas casas: comunidade da Glória, em Juiz de Fora, e comunidade São José, em Belo Horizonte. 

Os anos se passaram e a década de 50 fez surgir a Província, e esses tempos não foram fáceisSegundo o relato do Padre João Fagundes, a Vice-Província vivia um misto de problemas e de esperanças. Problema financeiro, resultante de um recente desequilíbrio administrativo, já em via de solução, e uma certa dissonância na convivência entre holandeses e brasileiros.

O primeiro provincial foi o padre Lucas Veeger, que já exercia o cargo de Vice Provincial desde o ano de 1947. Ele tornou-se, assim, o primeiro provincial e o último vice provincial.

O atual superior da unidade, padre Nelson Antônio Linhares, recorda que a palavra que marca a história da Província é a resiliência.

"A Província nasceu e décadas após enfrentou uma purificadora crise, mas prosseguiu seu caminho. E foi crescendo na busca da fidelidade ao espírito evangélico-missionário de Santo Afonso. Uma das nossas características é justamente a resiliência (do latim: Resilire) que significa “voltar ao estado anterior”. Está associada à capacidade que cada pessoa tem de lidar com seus próprios problemas, de sobreviver e superar momentos difíceis, diante de situações adversas e não ceder à pressão, transformando experiências não tão boas em aprendizados e oportunidades de mudança, de dar a volta por cima e seguir em frente", disse em nota. 

Hoje, a Unidade vivencia a oferta generosa dos padres e irmãos consagrados em sua missão desafiadora, que na atualidade ganha significado com o processo de reestruturação que irá unir a unidade com as províncias de São Paulo e Bahia. 

"Nosso olhar para o futuro aponta para o processo de reestruturação. Inevitavelmente, entre incertezas e esperanças, chega o desafio de uma nova leitura do carisma e da nova configuração de nossa presença no Brasil", analisa padre Nelson.

Província do Rio
Província do Rio
Grupo de missionários redentoristas em 2013.


Fonte: Província do Rio.

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redentoristas, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.