Por Padre Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R Em Notícias

Homilia do 2º Domingo Comum

Padre Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R

 

“Cumpro Vossa vontade”

Eis o Cordeiro de Deus

 

O 2º Domingo faz parte da Manifestação do Senhor. Apesar de Mateus ser o evangelista do ano, nesse domingo lemos o evangelho de João no qual João Batista faz a apresentação de Jesus aos judeus. Como o evangelho de João não narra Seu Batismo, como os outros evangelistas, ele o faz agora.  João Batista mostra que Jesus é maior, pois existe antes dele. 

 

Vê sua missão como preparação para que Ele fosse manifestado a Israel. Para João, é fundamental a consciência da ação do Espírito: “Vi o Espírito Santo descer sobre Ele como uma pomba e permanecer sobre Ele” (32). É Ele quem batiza com o Espírito Santo. Jesus age sob o Espírito. João O apresenta como o Cordeiro de Deus: “Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (Jo 1,29). Esta palavra resume toda a missão de Jesus. Ele é o Servo que carrega o pecado dos homens e se oferece como expiação. Lembramos o cordeiro da Páscoa, símbolo da redenção de Israel.

 

A palavra Cordeiro está associada aServo que é uma profecia sobre Jesus, o Servo sofredor. O Cordeiro é sacrificado pelo pecado, pois tira o pecado do mundo e abre a todos o caminho para Deus. Esse sacrifício permite entrar em comunhão com Deus.

 

 

Quando falamos do sacrifício de Jesus, pensamos só na Cruz. Mas Seu sacrifício não é só um martírio de dor, mas uma entrega total ao Pai pelo mundo em toda Sua vida. O sacrifício de Cristo é a oferta da vontade. Fazer a vontade de Deus é o fundamento e a consistência do sacrifício de Cristo que já está presente na Encarnação. O sacrifício da vontade é o conteúdo do sacrifício de Cristo. É a obediência amorosa à vontade Divina. Destrói o pecado porque lhe tira toda força de revolta contra Deus. E realiza a comunhão.

Luz das nações

A liturgia nos traz o texto de Isaias sobre o Servo. É uma figura muito rica que a Igreja assumiu como profecia sobre Jesus. O Servo é preparado por Deus para a recuperação do povo e para ser luz das nações para que a salvação chegue até os confins da terra (Is. 49,5-6).

 

 

Paulo continua a missão de apresentar o Cristo ao mundo como Luz. No dia em que se acreditar que Cristo é a Luz para o mundo, este poderá ser o novo céu e a nova terra. Não esperemos a perfeição já, mas sua busca permanente. A missão é destinada a desenvolver o homem como um todo, renovar os corações e dar vida em abundância a todos. Não se trata só de converter corações a Deus, mas convertê-los ao amor de todos.

 

 

Chamados as ser santos

 

Paulo ensina que todos são chamados a serem santos (1Cor 1,2). A santidade consiste em deixar-se guiar pelo Espírito que forma em nós a imagem do Filho de Deus. Esta vai se formar quando fizermos nossa a vontade de Deus. Sabemos que quando fazemos a vontade de Deus, Ele faz  sua a nossa vontade. Por isso disse Jesus: “Tudo que pedirdes ao Pai, Ele vo-lo dará” (Jo 15,16). Não é verdadeira uma religião voltada para si. Só será verdadeira se for voltada para Deus e para os irmãos.

 

 

A certeza da fé cristã está quando nos abrimos à comunhão. Ser Santo é testemunhar pela vida o sacrifício do Cordeiro, fazendo, como Ele, a vontade do Pai. Ser santo é ser luz e apóstolo. A redenção está presente quanto celebramos a Eucaristia, “pois todas as vezes que celebramos este sacrifício torna-se presente a nossa redenção” (Oferendas). Pedimos o Espírito de Caridade para que vivam unidos no amor os que são alimentados com o mesmo pão.

 

 

Leituras: Isaías 49,3.5-6; Salmo 39; 1Coríntios 1,1-3; João 1,29-34 

Ficha nº 1302 – Homilia do 2º Domingo Comum (19.01.14)

 

 O 2º Domingo Comum é ainda Manifestação do Senhor. João Batista apresenta Cristo aos Judeus. Vê a si mesmo como menor e aquele que prepara. Vê em Jesus o Espírito Santo que permanece. Diz: Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Cordeiro e Servo se referem a Cristo em sacrifício pascal. O Sacrifício de Cristo está no cumprimento da vontade do Pai, desde sua encarnação.

 

 

O Servo de Javé é uma figura rica que a Igreja assumiu como profecia sobre Jesus. Como o Servo, Jesus vem para a recuperação do povo e para ser luz para as nações para que a salvação chegue até os confins da terra. Paulo continua essa missão destinada a salvar o homem todo. Converter a Deus e ao amor de todos.

 

 

Todos são chamados à santidade que é deixar-se guiar pelo Espírito que forma em nós a imagem do Filho de Deus. Quando fazemos a vontade de deus, Deus faz nossa vontade. A Religião verdadeira não é voltada para si, mas para os irmãos, abrindo-se à comunhão, testemunhado pela vida o sacrifício do Cordeiro, fazendo a vontade do Pai. Ser santo é ser luz, apóstolo. Na Eucaristias celebramos a redenção.

 

 

Batendo firme o pé

 

Tomar uma decisão firme e lutar por ela é bater o pé. No Evangelho de Hoje continuamos a manifestação do Senhor, celebrada no Natal, Epifania e Batismo de Jesus. Ele foi apresentado aos pastores, aos magos, aos judeus e agora é apresentado por João Batista aos discípulos. João bate o pé: Eu vi e dou testemunho: “Este é o Filho de Deus”! João compreendeu a própria missão como caminho para o encontro com Cristo.

 

Paulo mostra que foi chamado por Deus para anunciar por vontade de Deus. Jesus é o anunciador fazendo a vontade do Pai. Podemos e devemos anunciar para testemunhar que acreditamos de fato e batemos o pé por nossa fé. Isso é ser santo.

 

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Padre Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.