Por Padre Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R Em Notícias

Homilia do 3º Domingo da Quaresma

Padre Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R

 

 

“Dá-me de beber!”

 

 

 

Um Deus que tem sede

 

 

 

A celebração da Quaresma é batismal. A Páscoa é o momento da celebração dos batismos porque participamos do mistério Pascal de Cristo em sua Morte e Ressurreição. Temos três esquemas que acompanham os três ciclos (anos A.B e C).

 

Na estrutura do ano A os textos acompanham as etapas da catequese batismal que é dada aos catecúmenos, os adultos que serão batizados, e a nós para renovarmos nosso Batismo. É o momento de voltar às fontes batismais e reforçar o compromisso cristão para que a Páscoa da Ressurreição se realize em nós.

 

 

O Evangelho nos traz uma cena magnífica da missão de Jesus: No encontro com a samaritana. Ela representa o povo de Deus que tem sede da verdade plena, e Jesus, a fonte da Água Viva, a Vida de Deus para todos. Ele vai clamar: “Quem tem sede venha a mim e beba! De seu seio brotarão rios de água viva” que é o Espírito Santo (Jo 7,38).

 

 

Jesus, pedindo água a uma samaritana, estrangeira e de vida atribulada, demonstra sua sede de levar a todos a Água Viva, como diz à mulher: “Se tu conhecesses o dom de Deus e quem te pede: ‘Dá-me de beber’, tu mesma Lhe pedirias e Ele te daria a água viva” (Jo 6,10).

 

A missão de Jesus mata a fome, sacia a sede, cura os doentes, ressuscita os mortos e Se debruça sobre os sofredores. Ele realiza em si mesmo o que propõe como caminho para todos. Naquele poço cavado por Jacó foi saciado o Antigo Testamento. No deserto Moisés bateu no rochedo com a vara com que fizera os milagres no Egito. Agora é Jesus a nova fonte de Água Viva que sacia para a vida eterna. Ele é a rocha. Pela fé estamos justificados por Cristo.

 

 

Lavar-se nas águas

 

 

O salmo 94 clama, lembrando que o povo debatera com Deus pela falta da água: “Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: não fecheis o coração como o povo em Meriba” (Sl 84 8).

 

Ouvir a voz do Senhor é abrir-se ao amor de Deus manifestado em Cristo: “A prova que Deus nos ama é que Cristo morreu por nós, quando éramos ainda pecadores” (Rm 5,8). Na morte de Cristo, de Seu lado atravessado pela lança, saiu sangue e água (Jo 19,34).

 

 

Esta fonte jorra para a purificação do Batismo e de nossas falhas. Jesus continua sentado à beira do poço pedindo água para dar a Água Viva. A Páscoa celebra a vida que Jesus nos deu e nos oferece continuamente nos sacramentos pascais. O Batismo é o sacramento fonte de todos os outros sacramentos. Ele é a porta pela qual entramos e a fonte da qual retiramos continuamente as águas vivas para nosso ser cristão.

 

 

Manifestar na vida a graça recebida (pós-Comunhão)

 

 

A samaritana, depois de conhecer Jesus, O anuncia. Ela agora é figura da Igreja missionária. Seu anúncio levou seus conterrâneos a crer em Jesus. A descoberta de Jesus como fonte de Água Viva leva-nos a duas atitudes: Não fechar o coração como fizeram os judeus no deserto e também comunicar a outros a Vida Nova que veio pela água e pelo Espírito Santo. Podemos afirmar que quem não anuncia Jesus não compreendeu o Batismo que o lavou e o Espírito que deu nova vida.

 

Na Campanha da Fraternidade deste ano, refletimos sobre a necessidade do respeito à pessoa humana. A vida de todo ser humano é um convite a reconhecer a grandeza de Deus que tão maravilhosamente faz cada pessoa. Esta vida merece respeito porque nela habita seu Criador. “Quem humilha um pequenino, ofende seu Criador” (Pr 14,31). Quanto mais se o explora e destrói. O respeito ao ser humano é fruto do Batismo. Em cada celebração está aberta para nós a fonte das Águas Vivas

 

 

Leituras: Êxodo 17,3-7; Salmo 94; Romanos 5,1-2.5-8; João 4,5-42

Ficha nº 1320 - Homilia do 3º Domingo da Quaresma (23.03.14)

 

 

A Páscoa é o momento da celebração do Batismo. A Quaresma é a preparação, como lemos no evangelho da samaritana. Renovando o Batismo voltamos às fontes batismais para renovar o compromisso. Pedindo água, Jesus oferece a Água Viva que é Ele mesmo. Jesus é a rocha de onde brota a Água Viva, como Moisés que tirou água do rochedo. Pela fé somos justificados.

 

 

O povo que revoltou contra Deus pela falta de água é chamado a ouvir a voz do Senhor e não fechar o coração. Ouvir é abrir-se ao amor de Deus manifestado em Cristo. De Seu coração aberto pela lança jorrou sangue e água. Esta fonte que jorra para a vida eterna está sempre aberta no Batismo. Ele é a porta dos demais sacramentos.

 

 

A Samaritana, depois de beber da Água Viva, Cristo, O anuncia. Quem O descobre é convidado a não fechar o coração e anunciar, pois do coração jorra esta água. Quem não anuncia não compreendeu Jesus. Fruto do Batismo é o respeito ao ser humano.

     

      

O Homem que era um poço

 

 

Na Quaresma deste ano temos uma liturgia especial para a preparação dos batismos que se realizam na Páscoa. É também especial para a renovação de nosso Batismo. São três semanas com esse tema. Hoje refletimos sobre Cristo que é a Água Viva. Pelo Batismo recebemos a Vida que é Cristo. Participamos da Vida de Deus.

 

 

A água que Moisés tira da pedra profetiza este batismo que é tirado de nossa rocha que é Cristo. O diálogo de Jesus com a samaritana mostra que, pela fé em Jesus, fonte de Água Viva, recebemos Vida Eterna. Quem crê tem a vida eterna. Pelo Batismo o Espírito Santo é derramado em nossos corações.

 

Jesus é a Água Viva, o poço aberto a todos.

 

 

 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Padre Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.