Por Elisangela Cavalheiro Em Notícias

Maria, a mãe sempre atenta ao sofrimento do povo de Deus

Neste sábado, 4, dia de São Francisco de Assis, Patrono da Ecologia, o Santuário de Aparecida entra no segundo dia da Novena em preparação à grande solenidade da Festa da Padroeira no dia 12 de outubro.

Presidiu a celebração da Novena da Tarde, o Missionário Redentorista, padre Tiago de Melo Correia, C.Ss.R., da Vice-Província do Recife, e foram oficiantes, os padres José Roberto Pessanha e padre Antônio Agostinho Frasson, da pastoral do Santuário Nacional.

A partir do tema ‘Maria: Presença consoladora na dor’ o presidente da celebração, iniciou o rito celebrativo rezando: “Ó Mãe amada e venerada, vimos bater à porta de vossa casa para aprender de vosso amor consolador e ser educados no caminho de Jesus”.

Novena da Tarde - Rosane Pereira

A entronização da Imagem teve a participação de religiosos e religiosas de casas de formação da Arquidiocese de Aparecida e, ao chegar ao Altar, a padroeira foi colocada no Trono a ela dedicado para a veneração dos fiéis. 

Ao refletir sobre Maria como presença consoladora na dor, o presidente lembrou que Maria é a mulher "sempre atenta ao sofrimento do povo de Deus".

A Novena deste ano traz como pano de fundo a reflexão sobre os Mistérios Dolorosos de Cristo e os sofrimentos dos filhos de Deus. Diante do sofrimento humano, todas as pessoas tem histórias para contar. Pois ao falarmos desse mistério na vida humana, cada pessoa percebe que em meio às alegrias e vitórias, uma "boa parte é preenchida de muita dor e de muito sofrimento", indicou padre Tiago. 

Sendo uma realidade humana, o sofrimento sugere um consolo, alguém que possa dar amparo e apoio diante da dor. Padre Tiago lembrou que em seus sofrimentos, o próprio Cristo precisou de alguém que o ajudasse, que o amparasse. "O próprio Jesus no momento de dor, de sofrimento, quando carregava a cruz precisou de um cirineu", sublinhou. 

Mas nem sempre os seres humanos conseguem ser amparados em sua dor. Muitas vezes, as dificuldades da vida parecem momentos intermináveis, insustentáveis. Porém diante do abandono, padre Tiago enfatiza que nesse momento é preciso voltar o olhar para Nossa Senhora e dela aprender como vivenciar os sofrimentos. 

"Ela sempre deu o seu sim diante da dor e do sofrimento, sem perguntar se iria sofrer muito ou pouco. Maria apenas deu o seu sim, porque ela tinha consciência do seu papel como seguidora de seu próprio filho e da Palavra". Sendo assim, padre Tiago acrescentou que Maria se torna então uma "presença consoladora na dor" de Nosso Senhor Jesus Cristo.  

Veja a homilia na íntegra:  

Ao final, a bênção do Santíssimo, ponto alto da celebração uniu os devotos à Cristo Eucarístico, aquele que venceu os sofrimentos e ressuscitou. 

Como de costume, os fiéis puderam prestar uma homenagem pessoal à Mãe Aparecida depositando flores aos seus pés.

Veja o vídeo desta bela homenagem:  

Confira a galeria de imagens da celebraçao: 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Elisangela Cavalheiro, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.