Por Ulisses Ramiro Em Palavra do Associado Atualizada em 07 JUN 2019 - 09H21

A Ação do Espírito Santo em Maria no Pentecostes

Dia 9 de Junho deste ano celebramos o Pentecostes, que podemos chamar de “o derramamento do Espírito Santo” sobre aqueles que estavam presentes no Cenáculo, inclusive Maria, Mãe de Jesus, para fundar a Igreja do Senhor e levar Sua palavra por toda a Terra, a todo o ser.

Jorisvo/Shutterstock
Jorisvo/Shutterstock


O Espírito Santo de Deus, por sua efusão, derrama sobre nós seus inúmeros dons, sendo dado a cada pessoa, um ou mais dons conforme nos contempla Deus, através de seu Espírito. Do mesmo modo que muitos são os carismas, mas é um só Deus, muitos são os dons do único Espírito Santo que provém de Deus e com Ele, o Pai, e mais o Filho, nosso Senhor Jesus Cristo, temos a Santíssima Trindade. Entretanto, para melhor compreensão didático-catequética, sete são os principais dons do Espírito Santo, a saber: Ciência (ou Conhecimento), Sabedoria, Inteligência, Conselho, Fortaleza, Piedade e Temor de Deus.

Maria, presente junto com os Apóstolos no Cenáculo (Pentecostes), recebe com eles os dons do Espírito Santo e parte em direção de todos os povos, evangelizando, impondo as mãos, curando os doentes e pregando a boa nova, Jesus, que ressuscitou dos mortos, vencendo a morte, para a nossa salvação.

Quais os dons que teria recebido Maria, toda Santa, Santíssima, sempre Virgem, Filha Predileta do Pai, Esposa do Espírito Santo e Mãe de Deus, por seu Filho Jesus, que com o Pai e o Espírito Santo, são juntos um só Deus? Acaso não seria Maria, Medianeira de todas as graças, Intercessora, Co-redentora de nossa salvação e Advogada nossa e merecedora de receber, por conceber Jesus, todos os dons do Espírito Santo?

Com absoluta certeza podemos dizer, por nossa fé, por nossa piedade mariana, pela devoção que depositamos na Mãe de Deus e pelos inúmeros bens que Ela tem derramado sobre toda a humanidade há 2000 anos, que Maria acumula em si não somente os sete principais dons do Espírito Santo, mas com certeza, apenas um pouco menos que Jesus. Maria tem milhares de dons e com eles Ela sempre olha, intercede e media por nós junto ao seu Filho Jesus. São estes incontáveis dons que Maria tem que dão a Ela inúmeras denominações, conforme a piedade e necessidade popular, fazendo de todas as Nossas Senhoras a Mãe de todos nós, Mãe da Igreja e Rainha celestial.

Pelo dom da Ciência, Maria abre sua mente e seu coração e se encanta de Deus, capacita seu coração para encontrá-lo e coloca-se a seu serviço por amor, gerando assim em seu ventre o Salvador. Maria entende e compreende, por este dom, sua missão e diz 'Sim' ao Pai, gerando, pelo Espírito Santo, Jesus.

Com o dom do Conselho, que faz do Espírito Santo um conselheiro em nossas vidas, Maria orienta-se na educação de Jesus, mostrando-lhe os caminhos do Pai e, com sabedoria, indica-Lhe inclusive a hora do Filho agir, como nas Bodas de Caná.

É pelo dom da Piedade que nos aproximamos amorosamente de Deus, criando um relacionamento cada vez mais filial-paternal entre Deus e nós, filial-maternal entre Maria e Jesus, entre Jesus e nós, para nossa salvação e entre Maria e todos nós, por sua mediação.

A Fortaleza é o dom que nos infunde uma força nova, para derrotar o pecado. Esta força nova é Jesus e Maria, grávida, tendo a possibilidade de enfrentar toda uma cidade e todos os preconceitos de então, é forte para aceitar a divina missão de gerar e ter o Cristo Jesus, vivendo este momento com firmeza e alegria na graça do Senhor.

Temor de Deus não é ter medo de Deus, mas compreendê-lo em seus preceitos divinos, respeitando-os, pois este dom complementa os dons da Piedade e Sabedoria. É um amor tão grande por Deus, que tememos perdê-Lo. Assim certamente se sentiu Maria, ao pé da cruz, sem ainda compreender perfeitamente o que seu Filho Jesus queria dizer com ressuscitar no terceiro dia.

Com o dom da Inteligência, que permite que cada um de nós raciocine sobre o certo e o errado, nos é dado por Deus pela lei divina e natural, que mostra ao homem o caminho a seguir para praticar o bem e atingir seu fim. É a luz da inteligência posta em nós por Deus. Maria, mulher inteligente, foi observando tudo, desde o princípio da Encarnação do Verbo em seu seio e meditando, guardando tudo para que, no tempo certo, mediasse em favor de Jesus e posteriormente, como Intercessora, Medianeira e Co-redentora, fosse eternamente, advogada de todos os seus filhos e filhas na terra.

Por fim, pelo dom da Sabedoria, usando de nosso livre arbítrio para escolhermos o mais certo dos caminhos certos, discernindo entre o bem e o mal, e optando por Jesus, Caminho, Verdade e Vida, é que estaremos nos preparando para contemplar o rosto do Pai na vida eterna. Maria sabia disto tudo e, sabiamente, diz: “Minha alma glorifica ao Senhor e meu espírito exulta de alegria em Deus, meu Salvador”. Sabedoria maior do que esta não há, em discernir que o Eterno é único e a única opção de salvação e misericórdia para todos os que Nele creem. E Maria, com sabedoria, diz 'Sim' ao projeto de Deus para a salvação.

Ulisses Ramiro
Cirurgião Dentista, Escritor, Teólogo e Mariólogo 
Membro da Academia Marial de Aparecida 

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Ulisses Ramiro, em Palavra do Associado

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.