oracao nossa senhora da penha (A12)
Palavra do Associado

Nossa Senhora da Penha – “A Virgem do Penhasco”.

Escrito por Academia Marial

01 ABR 2022 - 12H00


Aparecida Lembranças de Fé
Aparecida Lembranças de Fé
Obra: Leo Caetano

Título: Nossa Senhora da Penha – “A Virgem do Penhasco”.

Padroeira: Rio de Janeiro

Festa: 23 de Outubro

A “Cidade Maravilhosa”, como é conhecido o Rio de Janeiro, foi mencionada pela primeira vez quando em 1502 o explorador português Gaspar Lemos empreendeu uma expedição na região. Ao chegar à baía, vislumbrou o lugar que mais parecia à foz de um rio e batizou o local com o nome de “Rio de Janeiro”. “Contudo, foram os franceses que primeiro se estabeleceram na região e competiam com os portugueses no comércio madeireiro. Os portugueses estabeleceram serrarias naquela localidade e, em resposta à ameaça da presença portuguesa, os franceses trouxeram colonos para habitar e explorar o lugar, em 1555. Depois de anos de luta os franceses foram expulsos”¹. Estácio de Sá, em 1º de março de 1565, funda a cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro como resposta às intenções dos franceses que foram expulsos definitivamente em 1567.

A batalha de expulsão dos franceses, no litoral fluminense, foi travada com índios, portugueses e mamelucos que lutaram bravamente na área chamada Canoas. Uma antiga lenda afirma que entre os brasileiros foi visto um homem de grande porte atlético, com espada em punho e lutava incansavelmente contra os franceses. Todos os que viram o homem testemunharam ser ele o mártir São Sebastião. O fato, ocorrido em 1º de março de 1565 fez com Estácio de Sá, na fundação oficial da cidade desse a mesma o nome de São Sebastião do Rio de Janeiro. Em homenagem ao Santo Guerreiro se ergueu na cidade uma imponente Catedral e uma escultura do mártir, obra de Dante Crocce. “No pedestal da escultura, escrito em relevo, está o texto que relata a “Aparição de São Sebastião no combate de Canoas”, cujo fato fez do Santo o padroeiro do Rio de Janeiro”².

Com São Sebastião sendo o Padroeiro da Cidade Maravilhosa, o povo carioca não deixou de devotar-se a Santa Mãe de Deus. Na cidade ergue-se sob o Morro da Penha um majestoso Santuário dedicado a Nossa Senhora da Penha, Padroeira da Cidade e que atrai anualmente milhares de Devotos principalmente em sua festa que ocorre em Outubro. O padre Colunga em seu livro “Nuestra Señora de Peña de Francia” nos conta que: “... o peregrino francês Simão Vela, em 19 de maio de 1434, descobriu em Penha de França monte situado na serra do mesmo nome, na província de Salamanca a imagem de Nossa Senhora, tão importante para a cristandade. Há uma tradição popular que diz ter sido o peregrino Simão Vela, recolhido num convento franciscano na aldeia de Puy e que ouvia sempre, em seus êxtases, uma voz que lhe dizia: “Simão, vela e não durmas” o qual passou a ter o sobrenome com que se tornou conhecido: Simão Vela. Simão partiu e depois de cinco anos, descobriu a imagem que fora deixada por soldados franceses ao se esconderem naquele monte quando combatiam contra os muçulmanos. Conta-se que o primeiro milagre ocorreu no local onde foi encontrada a imagem, quando um grupo de fugitivos foi perseguido por bandoleiros. Depois de terem invocado Nossa Senhora da Penha, viram-se livres de seus inimigos. Esse fato tornou-se muito conhecido e espalhou-se rapidamente. Seu eco atravessou a fronteira chegando até Guimarães, cidade do Minho (Portugal), onde a imagem passou a ser venerada. O próprio rei de Portugal, Dom Sebastião tendo alcançado a cura de uma grave doença por intermédio de Nossa Senhora da Penha, mandou erguer uma igreja em seu louvor, na cidade de Lisboa, em sinal de gratidão e devoção à Mãe de Deus”³.

No Brasil muita das devoções aos títulos da Mãe de Deus tem início no período colonial, inclusive o de Nossa Senhora da Penha. A devoção a Virgem chegou a terras brasileiras através dos marujos portugueses e ganhando grande impulso de expansão através do empenho dos lusitanos emigrados em difundir a devoção a Virgem do Penhasco. A primeira ermida em honra da Virgem foi erguida em Vila Velha no Espírito Santo entre os anos de 1558 e 1570, pelo Frei Espanhol Pedro Palácios que era pertencente à Ordem dos Franciscanos. A segunda ermida foi erguida na Fazenda Grande ou Fazendo de Nossa Senhora da Ajuda, em Irajá, no Rio de Janeiro.

Conta-nos a história que: “no início do século XVII, por volta do ano de 1635, quando o Capitão Baltazar de Abreu Cardoso ia subindo o Penhasco (grande pedra) para ver as suas plantações, uma vez que era proprietário de toda a área no entorno do atual Santuário. De repente foi atacado por uma enorme serpente. Baltazar, que era devoto de Nossa Senhora, quando se viu só e incapaz de se defender, pediu socorro a Nossa Senhora gritando: “Minha Nossa Senhora, valei-me!”. Nesse preciso momento surgiu um lagarto inimigo das serpentes, e travou-se uma luta mortífera entre os dois animais. Baltazar por sua vez, não perdeu tempo e fugiu. Depois de se recuperar do susto, Baltazar reconheceu que o lagarto apareceu precisamente no momento em que ele pediu a proteção da Virgem Maria. Agradecido, por tão importante gesto maternal, Baltazar construiu uma pequena capela onde pôs uma imagem de Nossa Senhora. Se antes o Capitão Baltazar subia o penhasco para ver as suas plantações, a partir daí passou a subir também para agradecer tão primoroso gesto de carinho que a Mãe do Céu teve para com ele. Assim como ele, também os seus parentes, amigos e vizinhos e até mesmo pessoas curiosas, que à distância viam a pequena capela, passaram a subir a grande pedra (daí vem a palavra Penha) uns para pedir e outros para agradecer graças alcançadas por intercessão da Senhora do alto do Penhasco – Penha. De tanto as pessoas dizerem: vamos à Penha visitar Nossa Senhora, passaram a dizer: vamos visitar Nossa Senhora da Penha”.4

O capitão Baltazar entregou como doação a Nossa Senhora da Penha suas terras. Para a edificação da Igreja em louvor a Santa foi criado em 1728 a Venerável Irmandade de Nossa Senhora da Penha que foi responsável pela demolição da primeira capela e construção de outra. Em 1870, foi demolida a capela da Irmandade da Penha e construído no seu lugar um novo templo. Em 1900 o templo foi ampliado e sendo anexadas a ele duas novas torres e nas torres foi instalado 18 sinos de origem portuguesa inaugurados em 27 de setembro de 1925 pelo Núncio Apostólico no Brasil, Cardeal Dom Henrique Gasparri. Os sinos foram adquiridos na Exposição Nacional do Primeiro Centenário da Independência do Brasil.

No ano de 1817 subia a pedra um piedoso casal quando a esposa, Sra Maria Barbosa, comentou com o marido que pediria a Nossa Senhora da Penha para interceder por eles para que Deus lhes concedesse um filho, já que estavam casados há alguns anos e não tinham filhos. A Sra Maria Barbosa confiou, pediu e prometeu que se tivesse um filho mandaria esculpir no duro granito do penhasco uma escadaria para facilitar o acesso dos devotos de Nossa Senhora da Penha ao Santuário. No ano seguinte o casal era presenteado com um lindo filho e no ano de 1819 a escadaria estava pronta. São 382 degraus talhados na própria pedra, mais ainda do que o número de dias do ano.5

Vinícius Aparecido de Lima Oliveira
Associado da Academia Marial de Aparecida

Bibliografia:

1. CONTEÚDO aberto. In: Infoescola – História do Rio de Janeiro. Disponível em: < https://www.infoescola.com/rio-de-janeiro/historia-do-rio-de-janeiro/  >. Acesso em: 26 nov 2021.

2. MUNHOZ, Adauto Felisário – Vida de São Sebastião: orações, ladainha e novena / Adauto Felizário Munhoz. – Aparecida, SP: Editora Santuário, 2018.

3. CONTEÚDO aberto. In: Basílica da Penha, Rio – História de Nossa Senhora da Penha. Disponível em: < https://www.basilicasantuariopenhario.org.br/historia-de-nossa-senhora-da-penha >. Acesso em: 26 nov 2021.

4. CONTEÚDO aberto. In: Basílica da Penha, Rio – Como tudo começou. Disponível em: < https://www.basilicasantuariopenhario.org.br/historia-de-nossa-senhora-da-penha >. Acesso em: 26 nov 2021.

5. CONTEÚDO aberto. In: Basílica da Penha, Rio – A Escadaria. Disponível em: < https://www.basilicasantuariopenhario.org.br/historia-de-nossa-senhora-da-penha  >. Acesso em: 26 nov 20

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Academia Marial, em Palavra do Associado

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.