Por Academia Marial Em Palavra do Associado Atualizada em 25 JUL 2019 - 13H29

Saudação “Salve Maria”

O que significa?



Salve Maria!

“Assim como no homem a respiração é um sinal de vida, do mesmo modo, numa comunidade e numa família, o amor à Maria Santíssima é um sinal de predestinação.” Pequeno Catecismo de Nossa Senhora - Livro de 1955

É muito comum em nosso meio saudarmos nossos irmãos com a expressão devota “Salve Maria”. Mas, você sabe o significado dessa expressão?

Tal expressão está fundamentada nas Sagradas Escrituras, quando o anjo Gabriel ao chegar à casa da Virgem Santíssima proclama “Ave cheia de Graça, o Senhor é contigo” (Lc 1,28).

Ave quer dizer “salve”, expressão própria e costumeira daquela época. “Salve” – Alegra-te, está associado à boa nova, notícia grandiosa que seria proclamado em seguida, a graça singular que a Nossa Senhora alcançara de Deus, isto é, ser a mãe do Verbo de Deus humanado.

No livro “Maria ensinada à mocidade” (Livraria Francisco Alves, 1915), conta-se a história de São Bernardo de Claraval, grande devoto de Maria Santíssima, que sempre tivera uma grande devoção às imagens sacras de Nossa Senhora, e era costume sempre reverenciá-las.

No meio do século XII, existia nas florestas que separam as Flandres do Brabante uma ermida de religiosos beneditinos, célebre sob o nome de abadia de Afligem. Bernardo, percorrendo a Alemanha para pregar a segunda Cruzada, foi descansar alguns dias no piedoso convento. Uma estátua de Maria estava no fundo do claustro, na grande galeria. Com o divino filho nos braços, Maria parecia olhar com ternura para os religiosos que ali passavam. Bernardo dirigia-lhe a saudação angélica todas as vezes que passava diante dela:

— Ave, Maria! — dizia ele.

Um dia, ajoelhou-se aos pés da imagem, repetindo com efusão sua saudação favorita. No momento em que acabava de dizer “Ave, Maria!”, da imagem Maria respondeu:

— Ave, Bernardo! — Eu te saúdo, ó Bernardo!”

A belíssima experiência de São Bernardo nos mostra as graças que o santo obteve da Virgem Soberana. Os obséquios foram tão devotos que mereceu uma retribuição toda divina da Mãe de Deus. E que nos prova claramente que não existe maior saudação que possamos tecer a Virgem Santíssima do que aquela que o próprio anjo pronunciou. Muito alegra a Maria quando nós, seus filhos, a honramos com a saudação primeira, isto é, aquela proclamada no dia da Anunciação.

E, no que diz respeito à difusão e uso do cumprimento no Brasil, foi inicialmente usado no Rio de Janeiro por volta da década de 1920 por congregados de confrarias marianas. Usava-se "Ave, Maria!", depois foi traduzido e oficializado para “Salve, Maria”, o qual hoje retomamos o uso com muita devoção e amor. Sabemos que “Salve Maria!”, significa “que Nossa Senhora seja glorificada!”, pois “salve” é uma saudação, um ato de amor, de elevação divina.

Logo podemos entender que o significado desse nosso cumprimento é exatamente a saudação do anjo Gabriel à Virgem Maria, quando anunciou que ela seria a mãe do Salvador (Lc 1, 28). “Ave Maria” (ou “Salve Maria”) significa “Alegra-te Maria”. E o significado dessa saudação tem uma profundidade imensa, a qual faltaria espaço e conhecimento o suficiente para expressar nessas poucas linhas. O papa João Paulo II, na encíclica Rosarium Virginis Mariae (O Rosário da Virgem Maria), explica que as palavras do anjo exprimem a admiração do Céu ao contemplar a Encarnação do Verbo Divino no seio de Maria e exprimem a própria história da redenção de Jesus e a co-redenção de Nossa Senhora, que tem como centro a história de Cristo, passa pelo sofrimento da Cruz e culmina em sua Gloriosa Ressurreição, o motivo da grande alegria de Maria e de toda a Igreja, pois é este o motivo da nossa fé.

Deste modo, quando nos cumprimentamos com a saudação “Salve Maria”, estamos e precisamos sempre estar no nosso interior, contemplando, lembrando e fazendo nosso próximo recordar a saudação angélica, e consequentemente a história da nossa salvação, a qual a Virgem Imaculada, em sua humildade, simplicidade e decisão teve um papel singular no plano salvifíco de Deus. E isso deve fazer parte do nosso norte rumo a vida eterna: lembrar sempre que Ela (A virgem Imaculada) é um exemplo que nós precisamos seguir, e que seu doce nome precisa estar sempre em nossos lábios e em nossos louvores.

Sejamos, pela intervenção divina, anunciadores das glórias de Maria. Proferindo antes de qualquer saudação, Salve Maria, o primeiro anúncio das tantas glórias da Virgem Maria!

Deus seja louvado e Maria cada vez mais amada!

Salve Maria!

_______________________________________________________________

William Ribeiro Rozeno
Associado da Academia Marial de Aparecida - SP
Escravo de Amor pelo método de São Luís Maria G. de Montfort
Consagrado na Milícia da Imaculada, como cavaleiro da Imaculada, (M.I - Associação de Fiéis, Pública e Internacional De Direito Pontifício.)

4 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Academia Marial, em Palavra do Associado

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.