Por Redação A12 Em Santo Padre Atualizada em 20 AGO 2019 - 10H13

Papa afirma que Sínodo sobre Amazônia não é parlamento, nem reunião de cientistas ou políticos

O Papa Francisco concedeu uma entrevista ao Jornal Italiano La Stampa-Vatican Insider, na qual tratou de temas relacionados à Europa, e política e ao Sínodo sobre Amazônia.

De acordo com informações da Vatican News, o Santo Padre afirmou que o Sínodo será uma resposta à emergência ambiental planetária. Porém, é um evento da Igreja e terá uma dimensão evangelizadora.

Vale destacar outros pontos da conversa:

Shutterstock
Shutterstock


- Francisco afirma que o Sínodo é filho da Laudato si' e quem não leu a Encíclica jamais entenderá;

Leia MaisOrdenação de indígenas é possibilidade na Igreja da Amazônia?Papa nomeia Dom Claudio Hummes para ser relator do Sínodo da Amazônia- Ele explica que a Laudato si’ não é uma encíclica verde, mas uma encíclica social, baseada no cuidado da Criação;

- Diz que é um sínodo urgente;

- Que ficou chocado ao saber que em 29 de julho a humanidade já havia consumido todos os recursos renováveis para este ano;

- A entrevista foi oportunidade para mostrar que o Sínodo não é uma reunião de cientistas ou de políticos;

- Que não é um parlamento;

- Nasce da Igreja e terá missão e dimensão evangelizadoras;

- Será um trabalho de comunhão conduzido pelo Espírito Santo.

.:: Arcebispo Emérito de São Paulo, Dom Cláudio Hummes fala sobre o Sínodo da Amazônia

O Sínodo que trata da Amazônia será realizado em outubro deste ano e terá temas importantes, que dizem respeito aos “ministérios da evangelização e aos vários modos de evangelizar”.

O encontro vai tratar, entre outros temas, da possibilidade de ordenar anciãos e casados onde faltam sacerdotes. Mas apesar disso, Francisco destaca que este não será um dos temas principais do Sínodo, mas é “simplesmente um número do Instrumentum Laboris (Instrumento de trabalho).

O Papa explica ainda sobre a escolha de fazer um Sínodo para a Amazônia, uma região que envolve nove países:

“É um lugar representativo e decisivo, contribui de modo determinante para a sobrevivência do planeta. Grande parte do oxigênio que respiramos é proveniente dali. Eis o motivo porque o desmatamento significa matar a humanidade", acrescentou. "Além disso, efetivamente, a Amazônia envolve nove países. Portanto, não diz respeito a uma única nação”, concluiu.

Temores do Papa


Ainda na entrevista concedida ao jornal italiano, Francisco diz temer:

Grisha Bruev/Shutterstock
 Grisha Bruev/Shutterstock


- O desaparecimento da biodiversidade;

- Novas doenças letais;

- Uma deriva e uma devastação da natureza que poderiam levar à morte da humanidade.

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Santo Padre

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.