Notícias

Oficina de música muda a vida de assistidos na obra redentorista de Sacramento (MG)

Escrito por Mariana Sagossi

06 JUN 2021 - 06H00 (Atualizada em 09 JUN 2021 - 14H24)

Arquivo Foto - Matéria Sacramento (Arquivo)

“A música pra mim representa tudo, participar do Projeto Grandes Compositores mudou a minha vida”. É assim que se sente o beneficiário Luiz Philippe Barbosa, de 15 anos, participante do Programa Semear e do projeto musical “Grandes Compositores”Ele que entrou no Centro de Assistência Social Padre Antônio Borges quando ainda era uma criança, hoje manifesta gratidão por ter descoberto na instituição a música e uma profissão, que atualmente o ajuda a viver.

“Minha experiência com a música no CAS me ajudou bastante, com a ajuda do educador e em grupo, eu e os outros participantes aprendemos muito. Aprendemos a compor poemas e transformá-los em músicas e a tocar vários instrumentos. Isso me ajudou e ajuda na minha carreira de músico”, conta o jovem. 

:: Conheça as cidades que tem Obras Sociais Redentoristas

Para Luiz há algum tempo a música se tornou trabalho e com a autorização da família ele faz diversos shows na região. “A música pra mim hoje representa um trabalho e é muito bom trabalhar com música. Já estou fazendo vários shows pela cidade e região. Nos shows eu toco cajón, instrumento que aprendi a tocar no projeto”, conta o beneficiário.

Leia MaisDia da Família é celebrado no CAS São Geraldo com muita animaçãoDe beneficiária a colaboradora: Conheça a história de Ana MariaBeneficiário do CAS é promessa no futebol internacionalOutra vida mudada pelo projeto musical é a do ex-beneficiário Pedro Elias. Ele que no início era tímido e não era tão ligado a música, mas com o cuidado, convivência e incentivo dos educadores descobriu dentro de si um amor que nem imaginava que existia. 

Ao perceber o talento do jovem o educador de música da instituição, Josimar Silva levou Pedro até um grupo musical da cidade, onde ele começou a ensaiar e tocar. Ali ficou por alguns anos e depois conforme foi crescendo passou a tocar com a dupla Paulo Vítor e Guilherme, onde segue fazendo shows, tocando cajón. Ele também faz participações em missas independentes, corais e coroações.

“Minha entrada no CAS me ajudou demais, eu até gostava de música, mas não ao ponto de querer tocar e viver disso. Foi na instituição que eu me desenvolvi e descobri que eu adorava essa área. Se eu não tivesse entrado no projeto eu não teria seguido em frente e chegado onde estou hoje, relata Pedro.

Durante a oficina de música são descobertos muitos talentos, como o de Pedro e do Luiz, apesar do foco principal do projeto não ser descobrir talentos, mas sim, fazer com que os participantes se descubram. “Muitos beneficiários querem sim seguir carreira e o projeto ajuda, mas outros querem estar aqui apenas pelo fato de gostar da música, de criar, de se relacionar uns com os outros. No final sempre gravamos um CD e distribuímos para eles isso faz com que se sintam orgulhosos de si mesmos, sendo músicos ou apenas aprendizes”relata o educador Josimar.

chat E aí gostou de conhecer a história do Luiz e do Pedro com o CAS lá de Sacramento (MG)? Conhece alguma história de quem teve a vida transformada por uma obra social? Conte pra gente nos comentários! 

:: Saiba mais sobre o CAS Padre Antônio Borges 


Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Mariana Sagossi, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.