Por Santuário Nacional Em Notícias Atualizada em 01 MAR 2019 - 14H21

Jornada Bíblica: Deus atua por meio dos pequenos

Um estudo de Ex 2,1-10: o nascimento de Moisés.

Neste mês de fevereiro, estudaremos um dos relatos mais conhecidos da Escritura, o nascimento de Moisés, presente em Ex 2,1-10. Trata-se da primeira aparição daquele que será o instrumento de Deus para libertar seu povo da escravidão. Ao mostrar como ele escapa da morte no nascimento (vv.1-10), a narrativa indica que este personagem é significativo e que Deus está providencialmente cuidando dele.


Faça parte desta Jornada com o Santuário de Aparecida

Estrutura literária do texto

A estrutura de Ex 2,1-10 é maravilhosa. Muito bem elaborada. Observe:

A) v.1-3: A criança escondida.

B) v.4: A irmã assistindo.

A') v.5-6. A criança descoberta.

B') v.7-10. A irmã se interpõe.


Nenhuma legenda adicionada


No conjunto de Ex 2,1-10, o aparecimento dos nomes define essa seção como uma unidade literária, iniciada no v.1 e terminada no v.10. Desse modo, o v.1 nomeia a casa ou tribo de Levi como o lugar genealógico da história e o v.10 termina com a nomeação de Moisés e uma explicação do significado do seu nome.

O v.1 apresenta a origem de Moisés. Seu pai é Amram e sua mãe, Jocabed (cf. Ex 6,10; Nm 26,59), ambos da importante tribo sacerdotal de Levi (cf. Ex 32,29; Dt 18,1-8; Jz 17,7-13). Por que essas informações são tão importantes? Porque, na perspectiva do leitor israelita, a linhagem levítica pura de Moisés o qualifica para a liderança religiosa.

No v.2, o narrador afirma que Jocabed deu à luz um filho. É interessante que a história não diz que Moisés foi seu filho primogênito. O texto bíblico apresenta sua irmã, obviamente vários anos mais velha (Ex 2,4), e Aarão, de acordo com Ex 7,7, é três anos mais velho.

Em português, o v.2, geralmente traduz a percepção da mãe de Moisés assim: "vendo que era belo". A maioria das mães admira seus bebês, mesmo quando a maioria dos parentes e amigos não consegue ver nada de notável neles. Mas o problema é que essa tradução não expressa o que o texto hebraico quer mostrar.

Este versículo revela muito mais do que apenas a afirmação de que Moisés era um bebê bonito e saudável. O termo "belo", em hebraico, é "tov" e significa "bom". Trata-se aqui, portanto, de um eco da história da criação (cf. Gn 1), na qual, após cada dia, Deus vê que o que foi criado era “bom”. Assim, também o trabalho deste dia, ou seja, o próprio Moisés, era bom para Deus e para os hebreus. Em virtude disso, sua irmã o escondeu por três meses.

O v.3 diz que Moisés foi colocado num cesto de papiro. A palavra hebraica traduzida como "cesta" é uma palavra geral que designa um baú ou uma caixa, de qualquer tamanho. Porém, ao ser lido em hebraico o leitor percebe que o autor, conhecedor das tradições bíblicas, fez uma espécie de trocadilho. Ele utiliza a mesma palavra hebraica que é usada para a "arca" de Noé (cf. Gn 6,14). Com isso ele evoca a ideia de que um novo processo de salvação está acontecendo e que Deus se recorda de sua aliança.

No v.4, o autor, mais uma vez retoma o protagonismo das mulheres na obra de libertação, ao apresentar a irmã de Moisés, provavelmente, Miriã, a mais velha de três filhos (cf. Ex 15,20; Nm 26,59), acompanhando o cesto de longe. Isso demonstra a inteligência dela.

A filha do Faraó viu o cesto em meio aos juncos (v.5) e mandou uma de suas servas pega-lo. Ao ver que a criança chorava, compadeceu-se (v.6). Devido às afirmações feitas de que a princesa do Egito permitiu que o bebê fosse cuidado por uma hebreia (v.8) e que, depois, ela o teria adotado (v.10), pode-se afirmar que houve uma desobediência ao mandatário egípcio, pois o mesmo tinha dado a ordem a todos os membros do povo para jogarem os meninos hebreus no rio afim de matá-los (cf. Ex 1,22).

Mais uma vez, as mulheres são mostradas como resistência ao sistema de morte do Faraó e como parte da obra de libertação.

::Jornada Bíblica: Reflexões sobre o livro do Êxodo

Depois de crescido, o menino foi entregue a filha do faraó, que lhe deu um nome. Termo "Moisés" consiste num particípio ativo de um verbo hebraico cujo significado é "retirando-se". Uma vocalização diferente poderia dar o significado passivo de "retirado". Desse modo, o próprio texto já dá o significado do nome no versículo 10.

Neste mês, estudamos o relato do nascimento de Moisés e como ele foi encontrado pela filha do Faraó. Uma das lições bíblicas mais importantes dessa narrativa consiste na afirmação de que o Senhor nunca abandona seu povo e, por isso, age para libertá-lo. Mas Ele faz isso por meio dos pequenos!

Até o mês que vem!

João Claudio Rufino
Mestre em Bíblia


1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Santuário Nacional, em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.