Artigos

Perpétuo Socorro, de nossa perpétua miséria

Escrito por Academia Marial

15 JUN 2018 - 10H32 (Atualizada em 01 JUN 2021 - 15H54)

Thiago Leon

“Apareceu no céu um grande sinal” (Ap 12,1). Sinal esse que apareceu posteriormente nas mãos dos Missionários Redentoristas, custódios do Ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Eis a mulher vestida de sol, tendo a lua sob seus pés e sobre a cabeça uma coroa de doze estrelas.

Celebrar Maria, como nosso Perpétuo Socorro, como auxílio que Deus concedeu em nosso benefício é alegrar-se e rejubilar pela felicidade de se ter uma mãe. Esse é um título que enche nosso coração de esperança e o faz transbordar de confiança. A ternura da mãe com o Filho, representada no Ícone, gera em nós devoção.

Thiago Leon
Thiago Leon


Contemplar o Perpétuo Socorro é expressão de fé, é ver mais do que simplesmente a Mãe e o Menino, é contemplar cada elemento que compõe o Ícone.

Ela é o Perpétuo Socorro, de nossa perpétua miséria! É porque somos ainda frágeis, que ela perpetua seu socorro. Maria é o paradigma antropológico realizado, ela experimentou as mazelas humanas, sendo criatura conheceu o labor da vida.

.:: O milagre de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e o menino na janela

Nós somos o que Maria foi, e ela já é o que nós seremos um dia! Nossa identificação com a Virgem dá-se devido ela ter sido a pessoa humana mais próxima da Trindade, com isso ela tornou-se arquétipo das realidades escatológicas, o sinal de nossas possibilidades futuras. Maria foi aquela que mais se aproximou de nosso “objeto” de desejo: Deus! Os Evangelhos atestam que Jesus começou e terminou sua vida nos braços de Maria; começou na gruta de Belém e a encerrou quando o desceram da cruz e depositaram Seu corpo nos braços de Sua dolorosa mãe.

Leia MaisA riqueza simbólica do Ícone de N. S. Perpétuo SocorroNossa Senhora do Perpétuo Socorro - A origem do ÍconeUm Ícone não é pintado e sim escrito, ele é único, irreproduzível.

Diante de nós está um clássico Ícone da Odigítria (a Condutora), representada pela Virgem que tem no braço esquerdo seu Filho. Essa imagem é repleta de simbologia. Seu braço direito aponta para o Menino, deixando perceber três dedos – recordando a Santíssima Trindade – seus traços delicados; olhos grandes de observadora, ouvidos discretos de mulher (judia) da escuta; boca pequena, para pronunciar apenas uma única palavra: Deus! Suas diversas cores traduzem muitos elementos do sagrado.

.:: Livros divulgam a devoção à Mãe do Perpétuo Socorro

De todo o conjunto da obra destaco os olhos, misteriosos, penetrantes, que gera alívio aos sofredores e arrependimento aos pecadores, pois parece que eles enxergar o íntimo de quem se põe diante do Ícone.

O homem se torna aquilo que contempla, ao nos depararmos diante do Ícone de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e contemplá-lo, nos tornaremos fidelíssimos como foi Maria. Nossa Senhora não é centro de nossa fé, mas ela é como a Leia MaisOração de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro pelo fim da Covid-19mão que aponta para o Menino Deus, que indica a Quem devemos seguir.

Se observarmos bem, veremos que a centralidade do Ícone é o Menino Jesus, todo o conjunto das cores e a disposição dos personagens convergem para Ele. Em Maria, tudo remete a Cristo e dele depende, não quer a Mãe ser superior ao Filho, mas deseja ela que O conheçamos como ela O conheceu.

O Padre Antônio Vieira, em um de seus Sermões, descreveu de modo belíssimo, o significado dos diversos títulos marianos, este excerto intitulado: Sermão do Nascimento da Mãe de Deus, nos ajuda compreender o quão profundo é invocar Maria sob os mais diversos títulos:

“Quereis saber quão feliz, quão alto é e quão digno de ser festejado o Nascimento de Maria? Vede para que nasceu... Nasceu para que d’Ela nascesse Deus... Perguntai aos enfermos para que nasce esta celestial Menina, dirão que nasce para Senhora da Saúde; Perguntai aos pobres, dirão que nasce para Senhora dos Remédios; Perguntai aos desamparados, dirão que nasce para Senhora do Amparo; Perguntai aos desconsolados, dirão que nasce para Senhora da Consolação; Perguntai aos tristes, dirão que nasce para Senhora dos Prazeres; Perguntai aos desesperados, dirão que nasce para Senhora da Esperança. Os cegos dirão que nasce para Senhora da Luz; os discordes, para Senhora da Paz; os desencaminhados, para Senhora da Guia; os cativos, para Senhora do Livramento; os temerosos da sua fortuna, para ser Senhora do Bom Sucesso; os desconfiados da vida, para ser Senhora da Boa Morte; os pecadores todos, para ser Senhora da Graça; E todos os seus devotos, para Senhora da Glória. E se todas estas vozes se unirem em uma só voz, dirão que nasce para ser Maria e Mãe de Jesus.”

O apelo que outrora fora feito aos Missionários Redentoristas pelo Papa Pio IX: “Façam-na conhecida no mundo inteiro”, hoje é estendido a todos os fiéis devotos, na certeza de que diante de nossos olhos está o Perpétuo Socorro, de nossa perpétua miséria!

Ir. André Luiz Oliveira – C.Ss.R.
Missionário Redentorista, associado da Academia Marial




nossa senhora de fátima
Artigos

Mariofanias - As primeiras Mariofanias: Como tudo começou?

Ao longo dos séculos muitas foram às afirmações de pessoas ao redor do mundo, que disseram terem visto a Santa Mãe de Deus e Dela terem recebido mensagens, ensinamentos, alertas e pedidos. Na maioria das vezes tais encontros entre o humano e o divino, os pedidos eram de conversão, oração e penitência. Pedidos de oração uns pelos outros e pelas almas que padecem no purgatório. A figura celeste durante as aparições pede de um modo geral para “cuidar dos irmãos de seu Filho, que caminham ainda na terra, até chegarem à pátria bem-aventurada” (Lumen Gentium 62).

Nossa Senhora das Graças da Medalha Milagrosa
Palavra do Associado

Mariofanias - Aparições: Critérios para aprovação

As revelações privadas nada acrescentam às revelações públicas, porém, traços do Mistério de Cristo podem ser sublinhados em tais revelações que nos levam a compreender e melhor aprofundar nossa vocação.

shutterstock_virgem_lourdes
Artigos

As mariofanias no mistério de Cristo e da Igreja

O termo -fania, em português, deriva do grego -pháneia, que no latim se tornou -phania, cujo significado é “manifestação”. A palavra não é estranha ao vocabulário cristão porque, na Igreja, celebra-se a festa da Epifania do Senhor, ou seja, da manifestação do seu senhorio neste mundo. No caso, falar de mario-fania significa tratar, naturalmente, das manifestações de Maria que, ao longo dos séculos, foram numerosas e, algumas, atraem multidões até hoje.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Academia Marial, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.