Palavra do Associado

Nossa Senhora da Apresentação - Padroeira Rio Grande do Norte

Escrito por Academia Marial

18 JUN 2021 - 14H00 (Atualizada em 18 JUN 2021 - 14H33)

Aparecida Lembranças de fé NOSSA SENHORA DA APRESENTAÇÃO - RIO GRANDE DO NORTE (Aparecida Lembranças de fé)

Título: Nossa Senhora da Apresentação – “Aonde esta imagem aportar, nenhuma desgraça aontecerá”.

Padroeira: Rio Grande do Norte

Festa: 21 de novembro

O Estado do Rio Grande do Norte, mais a nordeste do Brasil, teve seu início a partir do povoamento do território brasileiro. Esse povoamento em massa começa com a migração para os Andes, depois para o Planalto do Brasil e para a região nordeste até chegarem ao Rio Grande do Norte. Ao longo de seu desenvolvimento, o Rio Grande do Norte sofreu com as invasões estrangeiras, sendo em sua maioria dos franceses e holandeses. Quando o território foi subordinado ao Governo Geral do Brasil passou a responder para a Capitania do Pernambuco. Com a Independência do Brasil em 1822, o Rio Grande do Norte, passou a ser uma província. Com a queda da monarquia e a proclamação da República, esta província se transformou em Estado tendo como seu primeiro Governador Pedro de Albuquerque Maranhão.

Quando falamos da Fé e da Devoção mariana em torno de Nossa Senhora da Apresentação, Padroeira do Estado do Rio Grande do Norte, nos baseamos na tradição oral. Conforme afirma a Arquidiocese de Natal, não existem documentos registrando a chegada da imagem da Virgem da Apresentação naquela região até seu encontro em 1753, mas vale salientar que a dita Senhora esteve presente na vida das comunidades natalenses desde os primórdios. Essa presença se deve em decorrência das festas celebradas pela igreja em honra da apresentação de Maria Santíssima no Templo pelos seus pais.

“Com essa memória, celebrada pelas igrejas do Oriente, desde o século VI (e no Ocidente a partir do século XIV), comemora-se a primeira entrega de Maria ao Senhor. Essa celebração tinha tudo para não dar certo, pois além de não ter nenhuma base bíblica, contraria um preceito, apropriando-se de algo devido apenas a criança do sexo masculino. Trata-se da apresentação do primogênito menino, que devia ser consagrado a Deus, porém resgatado mediante a oferta de um cordeiro que o substituiria. (...) todavia, no caso ser uma menina o fruto primogênito do ventre materno, nada acontecia. ¹”

A temática em torno da apresentação da Virgem Maria no Templo será relatada no Protoevangelho de Tiago. Mas temos que levar em conta que o valor a ser atribuído a um texto apócrifo ainda permanece uma questão em aberto.

“O manuscrito conta que Joaquim e Ana, por muito tempo não tinham filhos, até que nasceu Maria. Quando a menina completou 3 anos de idade, Joaquim e Ana a levaram para o Templo do Senhor. “Subiram ao Templo do Senhor. Então o sacerdote a recebeu, a beijou e abençoou-a. E disse [à Maria]: ¨O Senhor engrandeceu o teu nome diante de todas as gerações. No final dos tempos, manifestará em ti Sua redenção aos filhos de Israel¨. De acordo com a história, Maria ficou no Templo até os 12 anos, quando foi prometida a José”. ²

Em 1990, uma carta foi enviada pela Arquidiocese de Natal ao Monsenhor Severino Bezerra, chanceler da Cúria e historiador da Arquidiocese de Natal. O conteúdo da carta eram indagações referente ao orago da Senhora da Apresentação. Indagações que girava em torno exatamente da ausência de dados e registros em torno da chegada da imagem e da devoção. Em reposta aos questionamentos da carta, Monsenhor Severino Bezerra revela que: “Em 29 de março de 1718, antes da chegada de Nossa Senhora da Apresentação, num inventário por morte de Joana de Barros, em Goianinha, entre as dívidas deixadas pela falecida está: esmola de 5.000 (cinco mil) réis à Nossa Senhora da Apresentação. Só 35 anos depois foi o encontro da imagem” (Carta datada de 20 de maio de 1900). Corrobora esta revelação o que Frei Agostinho de Santa Maria escreveu num livro publicado, em Lisboa, em 1722, citado pelo historiador Luís da Câmara Cascudo: “Na capela-mor daquela matriz se colocou pouco depois um grande e famoso quadro de pintura, em que se vê o mesmo mistério da Senhora historiado… A sua festividade se lhe celebra em 21 de novembro, que é o dia em que a Senhora foi oferecida ao Senhor da Glória”. (1980:122). ³

A imagem da Virgem Apresentação, venerada como Padroeira do Estado, trata-se de uma imagem de Nossa Senhora do Rosário, encontrada dentro de um caixote.

Nossa Senhora da Apresentação
Nossa Senhora da Apresentação

“Diz a tradição que, em 21 de novembro de 1753, um grupo de pescadores encontrou um caixote de madeira encalhado em umas rochas na margem direita do Rio Potengi, na frente à Igreja do Rosário, na atual Pedra do Rosário, em Natal, no Rio Grande do Norte. Dentro do caixote, havia uma imagem de Nossa Senhora do Rosário e uma mensagem: Aonde esta imagem aportar nenhuma desgraça acontecerá. Os pescadores avisaram sobre a descoberta ao vigário da paróquia, padre Manoel Correia Gomes, que se dirigiu ao local e logo reconheceu que se tratava de uma imagem de Nossa Senhora do Rosário. Porém, como o dia 21 de novembro é o dia da Apresentação de Maria ao Templo de Jerusalém, a santa foi batizada como Nossa Senhora da Apresentação e proclamada padroeira da cidade de Natal. A antiga Catedral de Natal, atual Igreja de Nossa Senhora da Apresentação, localiza-se na Praça André de Albuquerque. Lá, no dia 25 de dezembro de 1599, foi celebrada a primeira missa na cidade, pelo padre Gaspar Moperes.4

As comemorações em louvor de Nossa Senhora da Apresentação acontecem no período de 11 a 21 de novembro. As celebrações tem início na Matriz de Nossa Senhora da Apresentação (antiga Catedral) local onde a imagem foi levada após seu encontro e na Catedral Metropolitana. A programação religiosa conta com milhares de fiéis, a “Missa da Pedra do Rosário”, celebrada à beira do Rio do Potengi, local onde a imagem apareceu tem início sempre às 5 horas da manhã.

Vinícius Aparecido de Lima Oliveira
Associado da Academia Marial de Aparecida

Bibliografia:

1. BORTOLINI, José. Nossa senhora na bíblia e nas celebrações. Aparecida, SP: Editora Santuário, 2020.

2. CONTEÚDO aberto. In: Campanha da Mae Peregrina de Schoenstatt – Apresentação de Maria no Templo. Disponível em: . Acesso em: 10 jun 2021.

3. CONTEÚDO aberto. In: Arquidiocese de Natal – Nossa Senhora da Apresentação – Padroeira da Arquidiocese e da Cidade de Natal. Disponível em: <  https://arquidiocesedenatal.org.br/padroeiro   >. Acesso em: 10 jun 2021.

4. CONTEÚDO aberto. In: Wikipedia – Nossa Senhora da Apresentação de Natal. Disponível em: <https://pt.wikipedia.org/wiki/Nossa_Senhora_da_Apresenta%C3%A7%C3%A3o_de_Natal >. Acesso em: 10 jun 2021.

Nossa Senhora da Vitória – “Primaz e excelsa patrona do sertão do Piauí”
Palavra do Associado

Nossa Senhora da Vitória – “Primaz e excelsa patrona do sertão do Piauí”

A devoção mariana em terras piauienses se confunde com a história da formação do Piauí. O primeiro núcleo de povoamento de que se tem notícia foi justamente o que mais tarde viria se tornar o município de Oeiras, a primeira capital do Piauí. O catolicismo sempre esteve presente na identidade do povo piauiense, uma das heranças deixadas pelos primeiros habitantes, os colonizadores portugueses. Antigamente, certamente desde o vicariato de Tomé de Carvalho, a festividade em honra a padroeira de Oeiras era realizada na ocasião da Solenidade da Santíssima Trindade, celebrada sempre no primeiro domingo depois de Pentecostes. No entanto, desde a década de 50 do século XX, a festividade passou a ocorrer no dia 15 de agosto, dia no qual antes os oeirenses festejava Santo Antônio em virtude de ser a data de seu natalício.

Nossa Senhora dos Prazeres
Palavra do Associado

Nossa Senhora dos Prazeres – Senhora das Alegrias

A fé e a devoção à Nossa Senhora do Prazeres em Maceió e Alagoas teve inicio antes mesmo da fundação do Estado. O povoado que deu origem a capital de Maceió surgiu em um engenho de açúcar. Em Pajuçara morava Manoel Antônio Duro que havia recebido uma sesmaria de Diogo Soares, alcaide-mor de Santa Maria Madalena. Estas terras foram posteriormente transferidas para outros donos. Foi em 1673 que o rei de Portugal ordenou ao Visconde de Barbacena que construísse um forte no porto de Jaraguá. A construção do forte evitara o comércio ilegal do pau-brasil. Este povoado tinha uma “capelinha” construída em homenagem a Nossa Senhora dos Prazeres.

13. PARAÍBA - NOSSA SENHORA DAS NEVES
Palavra do Associado

Nossa Senhora das Neves – Santa Maria Maior

Nossa Senhora das Neves – Santa Maria Maior

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Academia Marial, em Palavra do Associado

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.