Por Redação A12 Em Santo Padre Atualizada em 01 NOV 2018 - 17H12

Intenções do Papa para novembro de 2018


Shutterstock
Shutterstock

Papa Francisco reza, neste mês de novembro, pela Intenção Universal "Ao serviço da paz", para que a linguagem do coração e do diálogo prevaleça sempre sobre a linguagem das armas.

Reflexão

“Estamos na terceira guerra mundial aos pedaços”. Esta afirmação do Papa Francisco, que já entrou no número das frases marcantes do seu pontificado, chama a atenção para uma realidade que acontece diariamente em muitos países e de formas muito diversas, tocando, em primeiro lugar, os mais vulneráveis, que não se podem defender e são as vítimas da tragédia da guerra. Procuremos, neste mês, tendo como orientação de fundo da nossa oração e ação, esta intenção do Santo Padre: dar-nos conta de como a linguagem da violência, das armas e da agressão é uma triste realidade deste mundo, à qual não podemos estar indiferentes.

É verdade que é fácil desanimar, ao sentirmo-nos impotentes diante das tragédias a que assistimos nos meios de comunicação social, em contextos longe dos nossos, mas isto não nos pode fazer cruzar os braços. Pelo contrário, ao elevarmos a Deus o nosso coração, na oferta das nossas vidas pelas intenções do Papa, podemos colaborar, no modo que apenas Deus conhece, na missão de Cristo reconciliador, para que Ele possa tocar, através do seu Espírito, os corações de quem faz a guerra. Da nossa parte, para além da nossa oração, podemos tocar também a parte do mundo que nos cabe transformar através de gestos e palavras de paz e reconciliação.

A linguagem do coração e do diálogo não está apenas reservada às instâncias de decisão dos destinos dos povos, mas começa em nós mesmos, nas nossas famílias, ambientes de trabalho, contextos eclesiais. Neste mês, somos desafiados a não criar divisões, mas a ter a capacidade de nos abrirmos ao outro no seu modo diverso de ver a realidade, procurar entendê-lo, acolhê-lo e, sobretudo, vê-lo como um irmão ou irmã amado de Deus. O que une a humanidade mais profundamente é o fato de sermos todos filhos de Deus e irmãos uns dos outros. Este dom é uma enorme responsabilidade, é a fonte e a tarefa da paz.

Oração

Leia MaisPapa diz que Sínodo não é parlamentoMensagem do Papa para o Dia Mundial das Missões 2018Sínodo para os jovens: Veja seis pontos importantes discutidos no momento Matrimônio é amor e fidelidade, mas a Igreja está próxima das situações de crisePapa pede a reza do terço para combater espírito maligno Senhor Jesus, Príncipe da Paz, 
num mundo dilacerado pela guerra e pela violência,
vejo-me muitas vezes perdido
e insensível à realidade do sofrimento de tantos irmãos e irmãs.
Eu Te peço, toca o meu coração
para poder ser construtor do diálogo e da paz,
a começar junto daqueles a quem devo perdoar e pedir perdão.

Envia, Senhor, o teu Espírito ao coração de quantos fazem a guerra,
para que se sintam movidos a dialogar
e a perceber que a violência não resolve os problemas;
antes, causa um maior sofrimento.
Faz-me sentir sempre a tua paz e ser transmissor da paz!

Pai-Nosso...

Desafios

- Quais são as pessoas e situações que precisam de reconciliação no meu coração? Ter palavras e gestos concretos de perdão.

- Perante situações de desavença e conflito nos ambientes em que vivo, vou procurar ser agente de reconciliação, estabelecer pontes e favorecer o diálogo e a compreensão mútua.

- Organizar um momento de oração na comunidade, para ajudar a não deixar o coração indiferente às realidades de guerra, conflito e violência a que assistimos, longe ou perto de nós.

Fonte: Apostolado da Oração/Portugal

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Santo Padre

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.