Santo Padre

Papa compara tirania do passado com os dias atuais

De acordo com Francisco, migração de hoje é um escândalo social da humanidade

Escrito por Redação A12

29 DEZ 2021 - 09H16 (Atualizada em 29 DEZ 2021 - 09H40)

Shutterstock

Leia MaisNetflix lança série com Papa FranciscoPapa divulga texto sobre Dia Mundial da Paz e pede diálogo, educação e trabalhoPapa sobre mulheres abusadas: "Problema quase satânico"Em sua tradicional Audiência Geral, nesta quarta-feira (29), o Papa Francisco convidou a rezar por todos os migrantes, todos os perseguidos e todos aqueles que são vítimas de circunstâncias adversas, sejam elas políticas, históricas ou pessoais. “São José, migrante perseguido e corajoso” foi o tema da catequese do Santo Padre e rendeu comparações entre passado e presente.

A família de Nazaré teve que fugir para o Egito, "experimentando em primeira pessoa a precariedade, o medo e a dor de ter que deixar a sua terra". Francisco sublinhou que "ainda hoje muitos dos nossos irmãos e irmãs são obrigados a viver a mesma injustiça e sofrimento. A causa é quase sempre a prepotência e a violência dos poderosos. Isto aconteceu também com Jesus".

Ele é o símbolo de muitos tiranos de ontem e de hoje, e para esses tiranos as pessoas não contam, conta o poder. Se eles precisam de espaço de poder, matam as pessoas. Isso acontece hoje. Não precisamos recorrer à história antiga. Isso acontece hoje. É o homem que se torna “lobo” para os outros homens. A história está cheia de personalidades que, vivendo à mercê dos seus temores, procuram vencê-los, exercendo o poder de forma despótica e praticando gestos de violência desumanos”, refletiu Francisco.

Através dos Reis Magos, o rei Herodes toma conhecimento do nascimento do “rei dos Judeus”, e a notícia o perturba. "Ele se sente inseguro, ameaçado no seu poder" e manda "matar todas as crianças de Belém de até dois anos. Foi o tempo em que, segundo o cálculo dos Magos, Jesus teria nascido". Entretanto, um anjo ordena a José: “Levanta-te, toma o menino e a sua mãe, e foge para o Egito; permanece lá até que eu te avise, pois Herodes vai à procura do menino para o matar”.

"Pensemos nas muitas pessoas que hoje sentem dentro de si esta inspiração: Fujamos! Fujamos porque aqui há perigo", frisou o Papa.

"A fuga da Sagrada Família para o Egito salva Jesus, mas infelizmente não impede que Herodes leve a cabo o seu massacre. Assim, encontramo-nos diante de duas personalidades opostas: por um lado, Herodes com a sua ferocidade e, por outro, José com o seu esmero e a sua coragem. Herodes quer defender o seu poder, a própria pele, com crueldade impiedosa, como atestam também as execuções de uma das suas esposas, alguns dos seus filhos e centenas de adversários. Era um homem cruel. Para resolver os problemas tinha apenas uma receita, matar”, disse o Papa.

.:: Veja a biografia do Papa Francisco

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Redação A12, em Santo Padre

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.