Por Pe. Ivair Luiz da Silva, C.Ss.R. Em Notícias Atualizada em 27 MAR 2019 - 11H11

Espiritualidade da visitação na missão redentorista

Missão nas Famílias_Santas Missões RedentoristasDentro da metodologia das Santas Missões Redentoristas, a segunda fase é chamada de “Missão nas famílias”. Nesta fase, o coordenador de setor e seu grupo reúnem as famílias pela oração em comum, pela reflexão bíblica e partilha, despertando amizade, relacionamento, interesse e conhecimento mútuo entre as famílias de seu setor. A Missão nas famílias atinge a todos os ambientes de uma comunidade como casas, apartamentos e até mesmo os condomínios fechados.

Para esse trabalho de evangelização contamos com a cooperação dos leigos locais que vão de casa em casa levando a Boa Notícia e o andorzinho com a imagem de Nossa Senhora. Todos os ambientes devem ser atingidos pela luz-fermento do Evangelho, em missão abrangente, constantemente, capilar. Igreja em estado de missão!

:: Conheça as estratégias da Missão Redentorista

A Missão nas Famílias é um serviço de Evangelização que a Igreja sempre realizou desde a sua fundação com Jesus Cristo seu Senhor e Rei e que nós redentoristas fazemos na segunda fase da missão. É fazer visitas de casa em casa para anunciar a Pessoa e o Evangelho de Jesus Cristo, conhecer a realidade das pessoas, ouvi-las e fazê-las conhecer a Deus mais de perto.

"A Igreja deve sair ao encontro dos que estão afastados" (Puebla)... "através dos cristãos que assumindo missionariamente o seu batismo, vão ao encontro daqueles que se afastaram da Casa do Pai".

Missão nas Famílias_Santas Missões Redentoristas

A fé cristã nos convoca a uma vida de comunidade. Hoje há uma forte tendência nas pessoas de se isolarem e caírem no individualismo, pois 2/3 dos católicos têm prática religiosa rara ou nula. Muitos frequentam mais de uma religião. Muitos têm pouca formação catequética. Há os "afastados" e os "indiferentes".

Por esta razão, uma espiritualidade da visitação faz-se necessária para o bom êxito do trabalho e o primeiro traço da espiritualidade da visitação é nunca esquecer que somos chamados para a missão. Quem nos chamou e enviou foi o próprio Deus para o serviço do Reino. Recebemos este chamado através dos mensageiros de Deus. E quem responde positivamente ao chamado o faz na gratuidade, na disponibilidade, no espírito de comunhão e de escuta aos irmãos, na participação enriquecedora no diálogo transparente no anúncio de Jesus Cristo. Esta espiritualidade repete a experiência de despojamento de João Batista: "é preciso que Ele cresça e eu diminua “ (Jo 3,30).

Traços da espiritualidade

O coordenador evangelizador vive a intimidade com Deus e se entrega a Ele com confiança porque sem essa virtude não há amor, não há fé, não há esperança. Ninguém conhece realmente a Deus sem confiar no seu amor que é capaz de tudo porque quer nos salvar. Ele é chamado ainda a fazer a união entre a ação e a contemplação, entre o encontro com Deus e o encontro com o irmão.

O outro traço importante da espiritualidade do visitador é a alegria com que presta seu serviço. O Novo Testamento está cheio dessa palavra, relacionada com a vida cristã e particularmente com a missão do evangelizador. Jesus convoca os seus para a missão "para que seja completa" a alegria de seus discípulos (Jo 16,20; 17,13). Descobrir o Reino de Deus é a grande alegria (Mt 13,44). A vida do apóstolo é alegria (Fl 1,4). A vida cristã é permanente motivo de alegria (Fl 4,4). O serviço deve ser prestado com alegria (Rm 12,6-8; 2Cor 9,7).

Alegria como expressão do amor e da presença de Deus

Missão nas Famílias_Santas Missões RedentoristasEsta alegria contagiante é como o próprio Deus visitando as famílias através do coordenador e auxiliar. Sua vida é testemunho de Deus para com todos os homens e as mulheres. Ele tem a missão de escutar e adaptar-se a outras culturas descobrindo seus valores sem sentir-se superior a ninguém. Tem convicções profundas, porém, nem por isso considera-se o único possuidor da verdade. Ele valoriza as pessoas, aprende a valorizar a hospitalidade e a acolhida dos pobres. Por isso, gosta da presença do povo e ser rodeado por ele. Ele não vive à margem dos problemas do seu povo, nem cai em atitudes paternalistas. Leva na sua formação uma grande sensibilidade humana e social com um forte sentido de justiça e verdade.

A fé em Deus e o amor profundo e pessoal a Cristo sustentam o missionário. Se não houver fé, não há missão. Da fé nasce sua paixão pelo anúncio do Evangelho. Faz parte desta espiritualidade, a oração sem desanimar, pois ela alimenta cada dia a fé. Na oração e na escuta da Palavra de Deus, o missionário aprende a construir o Reino, com perseverança e coragem. Esta espiritualidade deve acompanhar o missionário durante a missão da perseverança junto ao seu pároco coordenador paroquial.

Padre Ivair Luiz da Silva, C.Ss.R
Equipe Missionária
São João da Boa Vista, SP

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Ivair Luiz da Silva, C.Ss.R., em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.