Por Ir. André Luiz Oliveira, C.Ss.R. Em Notícias Atualizada em 14 OUT 2019 - 13H30

Os Missionários de Nossa Senhora Aparecida

Daniele Souza/Thiago Leon.
Daniele Souza/Thiago Leon.


Nas comemorações jubilares dos
125 anos da chegada dos Missionários Redentoristas bávaros em Aparecida (1894) que, sob os influxos do legado mariano deixado por Santo Afonso Maria de Ligório, tornaram-se os legítimos guardiães da pequena Imagem de Nossa Senhora da Conceição Aparecida - que ali era venerada desde 1717 - os pioneiros bávaros, na chegada ao antigo Santuário, identificaram Nossa Senhora Aparecida com Nossa Senhora de Altötting, que é venerada em um santuário no Sul da Alemanha. A identificação foi por tratar-se de imagens com grandes semelhanças: ambas eram pequenas, de cor negra e usavam manto e coroa.

Dessa relação nasceu uma belíssima identidade, e a alcunha de Missionários de Nossa Senhora; pois, falar de Nossa Senhora Aparecida é trazer à mente a imagem do Missionário Redentorista, anunciador e tradutor da mensagem do Santuário Nacional, apostolado desenvolvido com ardor mariano.

O Redentorista tornou-se um espelho cuja a moldura é o zelo e o reflexo é mariano, que deixa transparecer à Bem-aventurada Virgem Maria. A relação mariana dos Redentoristas com Nossa Senhora se dá desde sua origem, pois Santo Afonso foi um homem plenamente mariano que transmitiu sua devoção como que de modo genético ao DNA vocacional de cada Missionário Redentorista.

Leia MaisJubileu Redentorista tem programação especial nesta sexta em Aparecida Redentoristas de São Paulo preparam jubileus para outubroNossa Senhora Aparecida é a síntese do carisma Redentorista, pois nos recorda o apelo em favor dos marginalizados, que remete a passagem de Lucas 4,18: “Enviou-me para evangelizar os pobres”.

Ao longo dos últimos 300 anos Nossa Senhora Aparecida vem evangelizando os pobres, socorrendo-os com sua materna intercessão e impulsionando os Missionários Redentoristas, para que sejam sempre em favor dos mais desvalidos.

Ao longo destes 125 anos da presença Redentorista em Aparecida, coube aos responsáveis a conservação da Basílica Velha, ampliação do atendimento das romarias e construção do novo Santuário, que passou a abrigar a imagem encontrada em 1717.

No correr dos anos, Aparecida tornou-se a capital espiritual do Brasil e, do altar-mor de seu Santuário, erradia uma mensagem de fé para todos os fiéis do quadrante pátrio.

:: Leia: Infográfico detalha história da Padroeira do Brasil 

O zelo pela casa mariana do Brasil impulsionou a diversos Redentoristas no trabalho de ampliação e melhorias do Santuário Nacional e nas visitas com a imagem peregrina às inúmeras regiões brasileiras e do exterior. Ao longo destes últimos 125 anos, Nossa Senhora Aparecida, foi reconhecida como Rainha do Brasil, Padroeira do Brasil e Generalíssima do Exército; mas, para os seus Missionários ela continua sendo a Madre Provincial, como carinhosamente gostamos de chamá-la.

Celebrar esse jubileu é certificar que somos e gostamos de ser os Missionários de Nossa Senhora.


“Tomem a Bem-aventurada Virgem como modelo e ajuda”, indicam as Constituições Redentoristas, 32.

2 Comentários

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Ir. André Luiz Oliveira, C.Ss.R., em Notícias

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.