Por Pe. Rogério Gomes, C.Ss.R. Em Palavra Redentorista

Somos originais

Mais um dia de nossa existência. No alfa e ômega existencial um dia a mais ou a menos, na complexa matemática do viver.

Despertamos... Fazemos as mesmas coisas que não são as mesmas de ontem e nem serão as de amanhã. Talvez nos falte a consciência de que cada hoje é sempre uma novidade irrepetível.

E o irrepetível somos nós, que não temos cópia e não podemos copiar a ninguém, pois somos frutos da originalidade inscrita na Origem das Origens.

Shutterstock
Shutterstock


Somos mistério descobrindo o próprio mistério de nossa origem em cada despertar, mesmo sem a total consciência do que somos.

Ao sermos originais resta-nos existir uma única vez e, por sermos tão originais, não nos contentamos de morrer com nossa originalidade. Vamos deixando nossas impressões em tudo que fazemos seja o bem quanto o mal. Nossa originalidade nos faz ser e comunicar as fagulhas de nosso ser no universo.

Faz-nos existir e resistir,

amar e lutar,

sonhar e buscar,

crer e esperar,

saber quando chegou a nossa hora e despedir-nos do mundo, com a originalidade do sorriso.

Avançamos o dia sem nos dar conta que passou...Findamos escutando as vozes do cansaço a nos recordar que somos humanos, que não podemos tudo e tudo que fazemos sempre permanece de alguma forma inacabado.

Do mesmo autorO amor que nos faz cuidar A esperança que nos faz ver horizontesA fé que nos encorajaO inacabado nos recorda que somos originais... E assim, podemos pensar o diferente amanhã, mesmo quando ele não existir, continuamos sendo originais, sem culpa, sem pecado original.

E na aparente repetibilidade finda-se no horizonte o sol, cumprindo a matemática do Universo, para brilhar em outras paragens, onde nosso olhar não pode penetrar.

E, aos poucos, vamos nos recolhendo, preparando-nos para as surpresas do devir sem perder nossa originalidade que, compartilhada, sempre faz o mundo ser original, mesmo maculado de pecado original.

E como lampejos das estrelas,

Vamos brilhando e apagando,

Fazendo o céu dançar,

Até despedir-nos do ciclo do tempo.

Onde encontraremos, na eternidade, a Origem de nossa originalidade que o tempo guardará em sua memória para sempre...

:: Leia também | 70 meditações para cultivar a espiritualidade no cotidiano


Escrito por
Pe. Rogério Gomes, C.Ss.R. (Foto Deniele Simões JS)
Pe. Rogério Gomes, C.Ss.R.

Redentorista, formado em filosofia e teologia, graduado com doutorado em Teologia Moral. Lecionou no ITESP e na Academia Alfonsiana de Roma. Atualmente é Conselheiro do Governo Geral da Congregação Redentorista.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Rogério Gomes, C.Ss.R., em Palavra Redentorista

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.