Artigos

Celebrações Marianas - Maria no Ano Litúrgico

Escrito por Pe. Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R.

22 JUN 2021 - 16H19 (Atualizada em 24 JUN 2021 - 10H58)

A Igreja celebra o mistério de Maria na liturgia porque ela está indissoluvelmente unida à obra salvífica de seu Filho. Cada tempo litúrgico traz a memória da Mãe de Deus no mistério de Cristo, como Natal, Paixão, Páscoa e Pentecostes. Ela está presente na economia da salvação.

Podemos ver que não há o nascimento de Cristo sem sua Mãe. Esteve em Nazaré e em seu ministério. Por que notar a presença de Maria ao pé da Cruz e na vinda do Espírito? Não é uma mera citação. Não sem razão ela está ali. Temos também algumas festas durante o ano previstas pelo calendário e pelas tradições locais. Não somos exagerados.

O Rito Etíope tem 38 festas de Nossa Senhora. Não são temas só atuais. Já nos primórdios ela está ali presente, e ali colhemos a viva memória da comunidade cristã. A Palavra de Deus não dispensa o conhecimento do mundo onde ela foi escrita. A memória de Maria está nas muitas referências a sua presença junto de Cristo. Está presente na história da salvação. Temos as celebrações de seus dogmas, como Imaculada Conceição, Virgindade, Mãe de Deus e Assunção. Há celebrações de sua Natividade, Apresentação e Visita a Isabel. Temos diversas festas que têm uma dimensão mundial, como Nossa Senhora de Lourdes, Nossa Senhora Rainha, Nossa Senhora do Rosário, Nossa Senhora das Dores. Igualmente celebramos os títulos mais regionais ou devocionais. Cristo é o centro. Mas não sem Maria. Não podemos, contudo, celebrá-la sem o Filho. Há festas devocionais, patrimônios de congregações e espiritualidades. Na realidade, Nossa Senhora está sempre presente.

Razões desse culto

No Vaticano II havia um temor de se tirar ou diminuir o culto a Maria na Igreja. Paulo VI desanuviou tudo quando fez a declaração de Maria como Mãe da Igreja no dia 21 de novembro de 1964, no encerramento da terceira sessão. Houve um prolongadíssimo aplauso. Os alemães e a comissão doutrinal não acharam oportuna. Poderia até ser chamada de Mãe da Igreja dos Pobres. Esses sabem o que é ser mãe. Como Lucas escreve em seu evangelho, temos a certeza da presença de Maria na comunidade como mãe.

Já no final do século II, (ano 170 + ou -), Militão de Sardes, bispo, em sua homilia diz: “o cordeiro mudo foi imolado. Ele que nasceu de Maria, a bela ovelhinha”. Alude a sua pureza, como o Cordeiro sem mancha. A oração a Nossa Senhora À vossa proteção recorremos, Santa Mãe de Deus...é a mais antiga invocação à Maria. Foi encontrada num papiro no Egito do ano 250. Para chegar a ser uma invocação escrita, deve ter uma longa história. Na catacumba de Priscila, há um afresco (pintura) de Nossa Senhora com o Menino no colo e o profeta Balaão (Nm 23,17). Maria, em seu lugar na Igreja, como Mãe de Deus já é arte.

Concílio de Êfeso

O título de Mãe de Deus foi a indicação clara da verdadeira fé em Jesus. O concílio definiu sobre a Divindade de Jesus (Éfeso 431). Se dissesse Mãe de Cristo, estava negando que Jesus fosse Deus (o jogo de palavras: Theotokos e CristotokosMãe de Deus e Mãe de Cristo). Foi uma glória a proclamação de Maria Mãe de Deus. Esse concílio influenciou no culto à Maria na Igreja, construindo-se logo a belíssima Basílica de Santa Maria Maior (consagrada em 05/08/331).

A presença de Maria se faz cada vez maior nas celebrações e na devoção pela Idade Média afora. Paulo VI, em 2 de fevereiro de 1974 dá-nos a belíssima Exortação Apostólica sobre o culto de Maria. Não tenhamos medo de ter uma devoção regulada pelos ensinamentos da Igreja. Mas sempre é a Maria de Nazaré.

Apresentação de Jesus
Artigos

Festa da Apresentação do Senhor

“O Rei da glória é o Senhor onipotente” (Sl 23/24) No próximo dia 2 de fevereiro de 2023, celebramos a Festa da Apresentação do Senhor. Essa celebração acontece 40 dias após o Natal. Esse acontecimento é narrado no capítulo 2 do Evangelho de Lucas.

Nossa Senhora Auxílio dos Cristãos
Artigos

Mariofanias - Nossa Senhora Auxílio dos Cristãos

Em meados de 1681 o conde Philipp de Dietrichstein Siegmund fundou ao Norte da Boémia a pequena aldeia de Philippsdorf. Um lugar místico que atrai ao longo dos anos inúmeros fiéis que peregrinam em busca de Maria Santíssima invocada neste local como Auxílio dos Cristãos. Esta aldeia é o berço da fé e da devoção à Mãe de Deus entre os povos Thecos. No longínquo ano de 1835 nascia em Philippsdorf a vidente Madalena Kade. De família humilde, Madalena, ficou órfã muito cedo e por conta de uma série de doenças muito graves vivia sob os cuidados do irmão Joseph. O irmão Joseph além dos muitos cuidados com a irmã, trabalhava arduamente para sustentar a esposa Cecília e os seus cinco filhos.

Nossa Senhora de Knock (1)
Artigos

Mariofanias - Nossa Senhora de Knock

Aprovação: Em 1936 pelo Arcebispo de Tuam. A comissão investigativa do Dr. Gilmartin retorna um veredicto positivo. No condado de County Mayo, Irlanda, situa-se o Santuário Nacional de Knock. Este não foi somente lugar de uma das aparições da Virgem Maria. Videntes afirmam terem visto além da Mãe de Deus; seu castíssimo esposo São José; o Evangelista João e o próprio Filho de Deus, Nosso Senhor Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus.

Seja o primeiro a comentar

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Pe. Luiz Carlos de Oliveira, C.Ss.R., em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.

Bem vindo!


Para completar seu cadastro, por favor, verifique seu e-mail e defina sua senha.
Caso não encontre o e-mail na sua caixa de entrada, por favor, verifique na caixa de SPAM/TRASH/LIXO ELETRÔNICO.