Por Thamara Gomes Em Artigos Atualizada em 02 AGO 2019 - 10H47

Maria, Mãe da perseverança

Renata Sedmakova / Shutterstock
Renata Sedmakova / Shutterstock

Vocação é chamado, é escuta, é entrega total da própria vida. Maria escutou a palavra, acolheu-a no coração. Se abriu, saiu de si mesma e se doou por inteiro à missão de Mãe do Filho de Deus. Neste mês de agosto, em que celebramos as vocações, lembramos de Maria de uma maneira especial. Uma jovem que é modelo de coragem, de audácia e de seguimento.

Ao olharmos para a história de Maria, podemos perceber o quanto Ela nos ensina sobre vocação e sobre missão. Vejamos:

Quando Maria de Nazaré recebe do Anjo Gabriel aquela saudação “Alegra-se!” (Lc 1,28), Ela logo lhe pergunta: Como será isto? Uma vez esclarecido, vem a sua pronta resposta: “Eis aqui a serva do Senhor faça-se em mim a sua vontade”. E imediatamente se coloca a caminho para auxiliar a prima. A visita de Maria a Isabel faz com que João salte de alegria no ventre de sua mãe (cf. Lc 1, 41).

Veja como Maria se mostra disponível à sua missão, mesmo diante das dúvidas e incertezas do caminho. Tudo isso acontece na liberdade. A mesma que Deus dá a cada um de nós. Ele convida homens e mulheres, crianças e adultos, solteiros e casados e serem protagonistas da sua própria história. O Senhor da Messe chama cada um para uma missão diferente na Igreja e na sociedade. Maria nos mostra que é possível, mas é preciso coragem para se entregar por inteiro aos planos de Deus.

A vocação dos cristãos

Na liberdade, somos chamados a assumir uma missão na Igreja e na sociedade, a sermos continuadores de Jesus Cristo. Como? Sendo sujeitos ativos no mundo, na comunidade, na família, nos diversos grupos. A exemplo de Maria, o leigo e a leiga é o cristão maduro na fé, que se dispõe a seguir Jesus, independente das consequências desta escolha.

Os leigos são a força da Igreja. São o povo de Deus. São apóstolos e missionários, são evangelizadores. Pelo batismo e pela crisma, são consagrados para a missão de construir o Reino. Por isso, eles têm vez e voz na Igreja, são corresponsáveis na evangelização do mundo de hoje. Devem atuar na política, nos meios de comunicação, no campo da educação, da cultura, do trabalho e em tantos outros ambientes em que possam testemunhar sua fé. Portanto, a missão de todo batizado é ser sinal visível de Jesus Cristo, aonde quer que esteja.

Permanecei no meu amor

A história da Mãe de Jesus evidencia para nós o significado e a grandeza da vocação. Maria, através de seu SIM, se tornou corredentora da humanidade. Um SIM carregado de desafios e alegrias, de insegurança e de confiança nos desígnios do Pai. Assumir a vocação é estar disposto a seguir o caminho traçado por Deus sem medo do que virá, confiantes de que Ele escolheu o melhor para cada um de nós.

Sejamos fortes e corajosos para permanecer em Cristo. Que Maria nos guie no caminho da perseverança e interceda, junto a seu Filho, por todos nós, cristãos.

Thamara Gomes, com orientação do Pe. Lucas Emanuel CSsR
Pastoral Vocacional 
a12.com/vocacional
email: vocacional@a12.com
Tel: (12) 3105-2245

1 Comentário

Os comentários e avaliações são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do site.

0

Boleto

Anterior
Próximo
Reportar erro! Comunique-nos sobre qualquer erro de digitação, língua portuguesa, ou
de informação equivocada que você possa ter encontrado nesta página:

Por Thamara Gomes, em Artigos

Obs.: Link e título da página são enviados automaticamente.